PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Fintech brasileira adota piso salarial de R$ 7 mil para toda a empresa

Apenas 5% da população brasileira está recebendo acima de R$ 7 mil por mês, segundo a empresa

Fintech fundada em 2016 tem operações focadas em influenciadores digitais, streamers ou profissionais que recebem em moeda estrangeira
17 de Março, 2022 | 06:17 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — A Husky, uma fintech que facilita transferências internacionais, anunciou a adoção de remuneração mínima de R$ 7 mil para toda a empresa, com base em uma pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que aponta o valor como ideal para custo de vida. Este é um valor que permite mais qualidade de vida e incentiva o crescimento profissional, diz a empresa.

PUBLICIDADE

Apenas 5% da população brasileira está recebendo acima de R$ 7 mil por mês, de acordo com a fintech, citando o estudo. “A Husky acredita num cenário no qual quem colabora para o crescimento da empresa, merece ter condições ideais para seu próprio desenvolvimento”.

O CEO da companhia, Tiago Santos, e o CTO, Maurício Carvalho, implementaram a ideia destacando que as práticas do trabalho remoto aumentam a produtividade. “Nosso pessoal faz parte do crescimento e da jornada da Husky, nada mais justo que a remuneração acompanhe todos esses bons resultados”, relata Tiago.

PUBLICIDADE

A fintech fundada em 2016, que tem operações focadas em influenciadores digitais, streamers ou profissionais que recebem em moeda estrangeira, projeta atingir a marca de R$ 3 bilhões em pagamentos movimentados até o final 2022, um aumento de 200% em relação ao volume financeiro total processado até o momento pela startup.

Leia também

Como os influenciadores ganham dinheiro no TikTok?

Profissão influencer: criar conteúdo nas redes é um negócio de verdade

St. Patrick’s Day: Quais as cidades brasileiras que mais bebem cerveja

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.