Agro

Commodities agrícolas disparam e trigo atinge limite de alta com conflito

Preços do trigo e do milho atingem limite de alta em Chicago antes da abertura do pregão. Países são importantes exportadores para a Europa e Ásia

Cotações do cereal passaram a operar no limite de alta da bolsa de Chicago após invasão da Rússia à Ucrânia
24 de Fevereiro, 2022 | 10:04 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Os preços das commodities agrícolas nas bolsas dos Estados Unidos dispararam após as primeiras notícias confirmando a invasão da Rússia na Ucrânia. Mesmo antes da abertura das bolsas, as cotações da soja, milho e do trigo subiam fortemente durante o pregão noturno da Bolsa de Chicago, que abre as negociações do dia às 11h30 de Brasília, 8h30 no horário local. Os preços do milho e do trigo atingiram o limite de alta da bolsa.

O trigo é o produto que apresenta a maior valorização. O contrato com vencimento em março era negociado às 9h30 de Brasília com alta de 5,71% sobre o fechamento de ontem, cotado a US$ 9,26 por bushel (US$ 20,41 por saca ou US$ 340,25 por tonelada), já no limite de alta. Desde a noite de ontem, após o fechamento do mercado, os preços do trigo atingiram o limite de alta e ainda permanecem nesse patamar.

Ontem, o contrato da soja com vencimento em março terminou o dia a US$ 16,75 por bushel (US$ 36,93 por saca ou US$ 615,46 por tonelada), o que representou uma valorização de 2,45% sobre o dia anterior. Há pouco, os preços alcançaram US$17,31 (US$ 38,16 por saca ou US$ 636,04 por tonelada), acumulando uma valorização de superior a 3%. No caso do milho, a alta dos preços era ainda mais expressiva. O contrato para entrega em março subia 5,12%, cotado a US$ 7,1875 (US$ 16,98 por saca ou US$ 282,97 por tonelada).

Rússia e Ucrânia são dois importantes produtores e fornecedores globais de trigo. Os ucranianos têm como maiores clientes os países europeus, enquanto a Rússia abastece a Ásia e a China. No entanto, ambos fornecem trigo para o Brasil, principalmente quando há problemas de abastecimento na Argentina, principal vendedor para os moinhos brasileiros.

PUBLICIDADE

Leia também

AO VIVO: Militares russos avançam sobre a capital da Ucrânia

Inflação: Confira insumos importados da Rússia que terão preços pressionados

Conflito na Ucrânia deve pressionar M. Dias Branco por alta do trigo

Alexandre Inacio

Alexandre Inacio

Jornalista brasileiro, com mais de 20 anos de carreira, editor da Bloomberg Línea. Com passagens pela Gazeta Mercantil, Broadcast (Agência Estado) e Valor Econômico, também atuou como chefe de comunicação de multinacionais, órgãos públicos e como consultor de inteligência de mercado de commodities.

PUBLICIDADE