PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Ibovespa oscila entre cautela externa e impulso com commodities

Sinalização do Fed, aumento das preocupações sobre tensões geopolíticas e uma temporada de balanços desigual dão o tom

Dados fracos sobre a economia alemã e a confiança na zona do euro elevaram o tom de cautela.
28 de Janeiro, 2022 | 10:47 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) abriu a sessão desta sexta-feira (28) em queda fraca, cedendo ao ambiente de cautela nos mercados globais, enquanto os investidores ainda avaliam os próximos passos após as sinalizações do Federal Reserve na quarta-feira. Ainda assim, papéis ligados a commodities impulsionaram o índice e reverteram o recuo.

Os futuros dos EUA caem e as ações europeias operam sob volatilidade, com a preocupação com a política monetária americana mais apertada ofuscando os fortes ganhos da Apple (AAPL), divulgados na véspera (27).

PUBLICIDADE

Veja mais: Apple tem recorde de vendas e sinaliza que contornou crise de oferta

A Apple avançava nas negociações de pré-mercado, enquanto a Chevron caía com lucros decepcionantes. As perdas em ações de tecnologia e automóveis se arrastaram sobre os benchmarks europeus.

Os mercados foram açoitados pela volatilidade esta semana, com o Federal Reserve sinalizando um aperto agressivo, aumentando as preocupações dos investidores sobre as tensões geopolíticas e uma temporada de balanços desigual. Dados fracos sobre a economia alemã e a confiança na zona do euro elevaram o tom de cautela.

PUBLICIDADE
  • O Ibovespa oscilava nos primeiros minutos de pregão e, após recuar na abertura, passo a subir 0,20%, a 112.836 perto das 10h30
  • Papéis ligados a commodities ajudam a impulsionar o índice, como Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4), que têm altas consistentes após avanços do minério de ferro e do petróleo
  • O dólar caía 0,55%, a R$ 5,38, assim como os vencimentos dos juros. O DI para janeiro de 2023 recuava de 12,220% para 12,170%
  • O futuro do Dow Jones caía 0,57%, do S&P 500, 0,36%, e do Nasdaq, 0,18%

Contexto

A ligação entre os movimentos das ações brasileiras e o mercado norte-americano está mais frouxa neste mês de janeiro. A correlação de 90 dias entre o Ibovespa (IBOV) e o índice S&P 500 (SPX) vem caindo e neste mês ficou, em média, em 0,36. A solidez destoa das bolsas em Nova York em meio aos solavancos com ajustes para o aperto monetário sinalizado pelo Federal Reserve.

Além disso, o indicador de inflação Fed para medir a inflação subiu 4,9% em relação ao ano anterior, o maior ganho desde setembro de 1983, informou o Departamento de Comércio nesta sexta-feira (28).

O índice de preços das despesas de consumo pessoal excluindo alimentos e energia foi ligeiramente superior à estimativa de 4,8% do Dow Jones. O ganho mensal de 0,5% ficou em linha com as expectativas.

(Com informações de Bloomberg News)

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE