PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Bolsa cede à pressão e recua, em mais uma sessão instável no exterior

Papéis da Petrobras e da Vale, que avançavam no início do pregão, passaram a cair e puxaram o principal índice da Bolsa brasileira para baixo

No final de uma semana de fortes oscilações do mercado, o S&P 500 (SPX) retomou seu avanço e interrompeu uma queda de três dias
28 de Janeiro, 2022 | 01:31 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) passou a manhã oscilando e firmou queda no início da tarde, com a pressão baixista do exterior e a cautela já clássica de sexta-feira pesando sobre os ativos. Os papéis da Petrobras - (PETR4) e (PETR3) - e da Vale (VALE3), que avançavam no início do pregão, passaram a cair e puxaram o principal índice da Bolsa brasileira para baixo.

Depois de levar o Ibovespa a descolar do exterior nos últimos dias, os investidores agora optam pela realização de lucros.

PUBLICIDADE

Já nos Estados Unidos, os índices se recuperavam com os fortes ganhos da Apple, impulsionando um rali nas ações de tecnologia, moderando a preocupação de que o Federal Reserve terá que ser mais agressivo para impedir a inflação mais rápida desde os anos 1980.

Veja mais: Apple tem recorde de vendas e sinaliza que contornou crise de oferta

  • Perto das 13h20, o Ibovespa caía 0,33%, a 112.237 pontos
  • Petrobras, Vale e Magazine Luiza (MGLU3) eram as maiores contribuições para o recuo do índice
  • O dólar se mantinha no vermelho e caía 0,21%, a R$ 5,40, assim como os vencimentos dos juros. O DI para janeiro de 2023 recuava de 12,220% para 12,175%
  • Nos EUA, o Dow Jones subia 0,12%, o S&P 500, 0,72%, e o Nasdaq, 1,33%

Contexto

No final de uma semana de fortes oscilações do mercado, o S&P 500 (SPX) retomou seu avanço e interrompeu uma queda de três dias. A Apple disparou após divulgar resultados que ultrapassaram as estimativas de Wall Street, marcando uma vitória contra uma crise na cadeia de suprimentos alimentada pela pandemia e pela escassez de chips.

PUBLICIDADE

Os mercados se agitaram desde que o presidente do Fed, Jerome Powell, sinalizou um aperto agressivo, aumentando as preocupações dos investidores sobre as tensões geopolíticas e uma temporada de resultados desigual.

Veja mais: Companhias aéreas modificam voos para contornar escalada na Ucrânia

O presidente do Fed Bank de Minneapolis, Neel Kashkari, disse hoje (28) que “simplesmente não sabemos” se três aumentos de 2022 são suficientes. O estrategista-chefe de renda fixa da BlackRock, Scott Thiel, alertou que o Fed corre o risco de um erro de política hawkish enquanto se esforça para extinguir a inflação causada em grande parte pelo caos nas cadeias de suprimentos globais.

(Com informações de Bloomberg.com)

Leia também: Diversidade como ativo: contratar pessoas trans pode aumentar lucro da empresa

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE