PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Operações de M&A aceleram no setor de saúde; confira quem comprou quem

Rede D’Or, Kora Saúde, Hapvida e Mater Dei correm para consolidar o setor com aquisições fora do eixo Rio-SP

Aquisição do Hospital Aliança, em Salvador, pela Rede D'Or é uma das recentes operações de M&A no setor de saúde
01 de Setembro, 2021 | 10:37 am
Tempo de leitura: <1 minuto

São Paulo — O movimento de consolidação do setor de saúde no Brasil, no segundo ano da pandemia da Covid-19, acelerou nas últimas semanas com vários anúncios de aquisições realizadas por redes hospitalares, principalmente em regiões fora do eixo Rio-São Paulo.

Confira as últimas operações de M&A divulgadas no setor

Hapvida

PUBLICIDADE
  • A empresa cearense, que anunciou fusão com a paulista NotreDame Intermédica em março, anunciou, nesta quarta-feira (1º), a compra do Hospital Madrecor, que atua na região de Uberlândia, em Minas Gerais. O contrato prevê a compra de pelo menos 94,34% das ações, podendo chegar até 100% das ações. O preço de aquisição, incluindo o imóvel do hospital, é de até R$120 milhões para a totalidade das ações. “Essa aquisição é mais um passo importante na estratégia de crescimento e ganho de market share no estado de Minas Gerais, ampliando o potencial de crescimento verticalizado na região”, diz a Hapvida, em comunicado

Kora Saúde

  • A rede hospitalar capixaba divulgou, na noite de ontem, que sua controlada, a Camburi Participações, concluiu a aquisição do Hospital São Mateus, localizado em Fortaleza (CE). A Camburi assumiu a obrigação de pagar aos vendedores R$ 92,1 milhões, sendo R$ 75 milhões à vista e o restante no prazo de até 5 anos. Esta é a segunda aquisição da empresa no Ceará, onde já possui a Gastroclínica. “É um importante passo na ampliação da operação hospitalar da Kora no Nordeste e em sua estratégia de crescimento na região”, disse. Na semana passada, a Kora adquiriu ativos, como o Instituto de Neurologia de Goiânia, em Goiás, ampliando sua presença no Centro-Oeste

Rede D’Or

  • A Rede D’Or São Luiz adquiriu, por meio da subsidiária Hospital Esperança, a fatia de 20% no Hospital Aliança da Companhia de Participações Aliança da Bahia, por R$ 350 milhões, no último dia 20 de agosto, passando a ser dona de 100% do hospital. O Hospital Aliança fica em Salvador (BA). A Rede D’Or também tentou comprar a empresa de diagnósticos médicos Alliar, mas acabou desistindo da oferta depois de os médicos fundadores selaram um novo acordo de acionistas e da entrada do empresário Nelson Tanure como minoritário no capital da companhia

NotreDame Intermédica

PUBLICIDADE
  • O grupo paulista anunciou a aquisição do Hospital Santa Martha, de Niterói (RJ), por R$ 160 milhões, incluindo o imóvel, no último dia 30 de julho. A companhia espera capturar sinergias operacionais e administrativas com seu plano de integração com seus outros três hospitais, dez centros clínicos e dois prontos-socorros no estado do Rio de Janeiro. A transação está sujeita apenas à aprovação prévia do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A NotreDame ainda aguarda o aval do Cade para a fusão com a Hapvida, anunciada em março.

Mater Dei

  • A rede hospitalar mineira anunciou a compra do Hospital Porto Dias, em Belém, capital do Pará, por cerca de R$ 800 milhões, no dia 7 de julho. O Cade aprovou a operação no mês passado. O vendedor foi a holding Porto Dias, que é uma rede hospitalar privada na região Norte, controlada pela família Porto Dias. O plano da Mater Dei é ser uma plataforma consolidadora de hospitais do Brasil. A rede mineira também pretende inaugurar um hospital da bandeira Mater Dei em Salvador, cujas obras começaram no mês passado. Com essa aquisição e inauguração, a expectativa é que a capacidade da rede seja duplicada para 2 mil leitos no próximo ano.

Leia também

Orçamento para 2022 não consegue dissipar incerteza fiscal

Chile surpreende com o maior choque de juros em duas décadas

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.

PUBLICIDADE