PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Negócios

Azul conversa com credores para comprar operações da Latam Brasil

Um porta-voz da Latam negou, em resposta ao Wall Street Journal, que a companhia aérea chilena tenha interesse de vender a operação no Brasil

Ações da Azul negociadas na B3 reverteram as quedas na abertura e passaram a subir com a notícia
20 de Agosto, 2021 | 01:05 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A Azul tem conversado com com credores para comprar as operações da rival Latam no Brasil, de acordo com fontes que falaram ao americano Wall Street Journal.

PUBLICIDADE

A Azul estaria aberta para comprar a empresa inteira e depois vender operações em outros países, e a empresa brasileira também está aberta a uma possível joint venture com a Latam para complementar seus negócios atuais no Brasil, conforme as fontes do jornal.

Perto das 12h55, os papéis da Azul subiam 1,31% em São Paulo, a R$ 35,66, após tocar os R$ 36,58 com a notícia, revertendo a queda vista na abertura. No ano, a ação acumula perdas de 9,26%.

PUBLICIDADE

As diferentes unidades nacionais da Latam entraram em processo de falência no ano passado em meio à turbulência causada pela pandemia. As companhias conversaram sobre um possível negócio no início do processo de falência, mas a Latam, com sede em Santiago, interrompeu as negociações porque os proprietários da empresa chilena não queriam abrir mão do controle do grupo, de acordo com a fonte do WSJ.

“O Brasil tem suas vantagens e oportunidades”, e a Azul está focada nelas, disse a fonte, segundo o jornal.

Um porta-voz da Latam disse que a empresa não tem intenção de vender sua operação brasileira, e que a companhia aérea espera apresentar seu plano de reorganização e sair da recuperação judicial este ano.

Veja mais: Azul negocia compra de 220 jatos elétricos com empresa alemã para operar a partir de 2025

Os credores da Latam terão que aprovar o plano de falência, e uma combinação com a Azul provavelmente resultaria em menos dinheiro para os credores da empresa chilena, mas qualquer acordo deve levar meses para ser concluído, disse a pessoa.

PUBLICIDADE

Mais de 40 companhias aéreas em todo o mundo suspenderam ou encerraram as operações desde o início do ano passado, em meio à queda acentuada nas viagens causada pela pandemia. A Avianca Holdings SA da Colômbia também entrou com pedido de recuperação judicial nos EUA em maio de 2020, assim como a Latam.

Leia também

Sete de doze ações de ‘tech’ valem menos que no IPO; Quem são as ‘stonks’ brasileiras?

Como as mulheres lutam para recuperar a força econômica perdida na pandemia

Banco Central observa regras de cripto à medida que aumenta o interesse dos investidores

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.