Globant, da Argentina, reforça a aposta no Brasil após terceira aquisição no país

Empresa de tecnologia liderada por Martín Migoya concluiu acordo para a aquisição da Iteris, enquanto empresas argentinas, como Mercado Livre e Decolar, seguem investindo no Brasil

Escritório da Globant, em São Paulo
02 de Fevereiro, 2024 | 05:16 PM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg Línea - Buenos Aires — Empresas de tecnologia argentinas continuam a apostar no mercado brasileiro. Nesta semana, a desenvolvedora de software Globant (GLOB), cofundada e liderada por Martín Migoya, concluiu a aquisição concluída da Iteris, uma empresa com 600 funcionários e foco em transformação digital, sediada em São Paulo.

Questionada pela Bloomberg Línea sobre o valor da transação, a Globant respondeu que não poderia fornecer essa informação devido à sua condição de empresa listada na bolsa. A aquisição foi anunciada aos investidores em 28 de dezembro de 2023.

LEIA +
Globant lança fundo de US$ 10 milhões para investir em tecnologia para o bem

Em 2023, a Globant adquiriu quatro empresas: Vertic (da Dinamarca), Experience IT (Estados Unidos), Pentalog (França), GUT (Argentina/Brasil). Paralelamente, a Iteris é a terceira aquisição da Globant no Brasil, após a compra da gA, em 2020, e Nescara, em 2022.

“Estamos entusiasmados em receber a equipe da Iteris na família Globant. Com esta aquisição, damos passos significativos no Brasil porque acreditamos no potencial deste mercado”, afirmou Martín Migoya, cofundador e CEO da Globant, que também anunciou recentemente a abertura de escritórios em Berlim, Alemanha.

PUBLICIDADE

Migoya destacou ainda que houve “um crescimento significativo” das operações da empresa no país.

Segundo a Globant, a incorporação da Iteris fortalecerá sua presença em setores-chave de projetos digitais no Brasil, como finanças, varejo, saúde e agronegócios.

Ignacio Iglesias, Chief Business Officer da América Latina da Globant, ressaltou a importância estratégica do Brasil como uma das principais apostas da empresa na região.

PUBLICIDADE

“O Brasil tem sido uma das principais apostas da Globant na América Latina, e a empresa já tinha uma forte presença em indústrias-chave. Agora, melhorou as equipes locais com grandes projetos de Transformação Digital e novas equipes de especialistas”, afirmou Iglesias.

Em fevereiro, a Globant contratou Carlos Morais como seu novo diretor executivo no Brasil.

LEIA +
IA vai liberar mais tempo para a criação, diz CEO de tech latina listada em NY

A Iteris, com mais de 600 profissionais e 14 anos de experiência no mercado brasileiro, possui expertise em projetos de aplicativos ágeis e garantia de qualidade de aplicativos.

“Esta operação reflete o sucesso da equipe da Iteris nos últimos 14 anos. Desde o início, notamos semelhanças culturais entre as empresas”, disse Marcelo dos Santos, cofundador e coCEO da Iteris.

Techs argentinas investem no Brasil

Além da Globant, outras multinacionais argentinas também têm reforçado sua presença no Brasil recentemente.

Esta semana, o Mercado Livre (MELI) anunciou a aquisição dos direitos de nomeação para o estádio do Pacaembu, em São Paulo, que agora se chama Mercado Livre Arena - Pacaembu. O contrato, com duração de até 30 anos, representou investimentos que superaram R$1 bilhão.

Em maio de 2022, a Decolar concretizou a aquisição da ViajaNet, uma das principais agências de viagens online no Brasil, por um valor total de aproximadamente US$ 15 milhões.

PUBLICIDADE

No mesmo ano, a agência de viagens digital adquiriu 51% da Stays.net, um gestor de canais de aluguel de férias líder no Brasil, por um preço total de US$3 milhões.

Em 2020, a Decolar havia adquirido uma participação de 84% na fintech brasileira Koin por 20 milhões de reais brasileiros (aproximadamente quatro milhões de dólares).

Leia também

Ele levou sua startup à bolsa, perdeu o controle e vendeu tudo. E conta a lição

Francisco Aldaya

Jornalista argentino com 10 anos de experiência. Francisco cobriu o setor financeiro da América Latina na S&P Global Market Intelligence e também trabalhou nas seções de economia e política do Buenos Aires Herald. Ele também contribuiu para o Buenos Aires Times.