Sinais do Fed, balanços, investimento do Google e outros eventos que movem os mercados

Os investidores avaliam as novas declarações de banqueiros centrais, a escalada da tensão geopolítica e também o noticiário corporativo, com investimentos e balanços indicando tendências

Estes são os eventos que orientam os investidores e movem os mercados hoje
19 de Janeiro, 2024 | 06:58 AM

Barcelona, Espanha — Os pronunciamentos de lideranças do Federal Reserve (Fed) dominam as atenções do mercado hoje. Os investidores estão ávidos por indícios sobre o momento e a magnitude dos cortes de juros esperados para este ano.

🧐 Foco no Fed. Ontem, o presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, pediu a seus pares na formulação de políticas que procedam com cautela, considerando os possíveis impactos de eventos imprevisíveis, desde eleições até conflitos globais. Por outro lado, seu colega da Filadélfia, Patrick Harker, disse esperar que a inflação continue aproximando-se da meta.

Assine a newsletter matinal Breakfast, uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque em negócios e finanças no Brasil e no mundo.

🪫 Lucro menor. O aumento dos gastos com energia pesou negativamente sobre o resultado da BASF em 2023, ofuscando os esforços de cortes de custos da maior empresa química da Europa. O lucro antes de juros e de impostos antes de itens extraordinários caiu para €3,8 bilhões, frente aos €6,9 bilhões do exercício anterior, segundo balanço preliminar divulgado hoje. A BASF está entre os fabricantes de produtos químicos alemães que lutam contra a desaceleração da demanda e os elevados custos de energia, já que a invasão da Ucrânia pela Rússia acabou com seu acesso ao gás natural barato.

💷 Bilhão britânico. O Google, da Alphabet, investirá US$ 1 bilhão em um novo data center no Reino Unido para ajudar a atender à crescente demanda por seus serviços, um impulso para o governo conservador do primeiro-ministro Rishi Sunak, que tenta posicionar a Grã-Bretanha como líder mundial em tecnologia.

PUBLICIDADE

🌤️ Depois da chuva. Os fabricantes de semicondutores, da Tokyo Electron à Nvidia, ganharam mais de US$ 160 bilhões em valor de mercado depois que a Taiwan Semiconductor Manufacturing aumentara sua projeção de receita e de gastos de capital, enviando sinais otimistas sobre uma ampla recuperação do setor em 2024. A TSMC, principal fornecedora de chips para a Apple e a Nvidia, avança com planos para fábricas no Japão, Arizona e Alemanha, em meio ao impulso pelo desenvolvimento da inteligência artificial.

🔁 Paralisação, o retorno. O Congresso dos EUA aprovou um projeto de lei de gastos temporários para evitar uma paralisação parcial do governo dos EUA neste fim de semana, enviando a legislação para a Casa Branca, onde o presidente Joe Biden planeja assiná-la. A medida provisória financiaria algumas agências dos EUA - que ficariam sem dinheiro a partir de sexta-feira - até 1º de março e outras até 8 de março.

🔴 A ameaça persiste. Os EUA lançaram vários ataques contra alvos Houthi no Iêmen, mas o grupo continua a ameaçar a navegação ao largo da costa, disparando contra outro navio. O presidente Joe Biden disse que os ataques dos EUA continuarão.

PUBLICIDADE

📈 O vaivém dos ativos. Os contratos futuros de índices dos EUA situavam-se em território positivo. Na Europa, as bolsas também subiam. No encerramento do mercado acionário da Ásia, os índices terminaram com variações mistas e o Nikkei exibiu forte alta.

Os contratos de ouro subiam, assim como os do petróleo. Entre as divisas, o iene e a libra se depreciavam frente ao dólar. O bitcoin se valorizava.

(Com informações de Bloomberg News)

🗓️ AGENDA: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Os mercados esta manhãdfd
🔘 As bolsas ontem (18/01): Dow Jones Industrials (+0,54%), S&P 500 (+0,88%), Nasdaq Composite (+1,35%), Stoxx 600 (+0,59%), Ibovespa (-0,94%)
Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 13 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e fez um mestrado em Digital Business na ESADE.