Tensão pré-Fed e balanços de Alphabet e Microsoft: os eventos que movem os mercados

A ansiedade em torno dos balanços de gigantes tech e do encontro de amanhã do Fed ofusca a bateria de dados macroeconômicos programada para hoje

Estes são os eventos que orientam os investidores e movem os mercados hoje
30 de Janeiro, 2024 | 06:39 AM

Barcelona, Espanha — Apesar da agenda repleta de indicadores macroeconômicos, a atenção do mercado se volta principalmente para os fortes balanços corporativos e a expectativa em torno da decisão sobre juros pelo Federal Reserve, amanhã.

Embora os títulos do Tesouro dos EUA tenham impulsionado um pouco os mercados de ações ontem, há certa cautela antes da divulgação dos resultados de grandes empresas como Microsoft e Alphabet após o fechamento de Nova York. A recuperação recorde em Wall Street tem espaço para continuar? Essa ansiedade pode levar a um mercado acionário mais hesitante hoje.

Assine a newsletter matinal Breakfast, uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque em negócios e finanças no Brasil e no mundo.

🟰 50/50. Para amanhã, se espera que o Fed mantenha os juros intactos. Já para a reunião de março, os traders consideram que há aproximadamente a mesma probabilidade de que o banco central norte-americano mantenha os custos dos empréstimos ou comece a reduzi-los.

⏱️ Por dias melhores. A Volkswagen, principal montadora de automóveis da Europa, postergou a busca por investidores externos para sua divisão de baterias devido ao enfraquecimento do mercado de veículos elétricos, conforme a Bloomberg. Esse adiamento ocorre em um contexto onde, em 2023, as ofertas públicas iniciais tiveram seu pior ano em mais de uma década, influenciadas pelos juros elevados. A Renault também cancelou a listagem de sua unidade Ampere, refletindo a falta de apetite por listagens e a adoção mais lenta de veículos elétricos.

PUBLICIDADE

💵 Controle da dívida. Os prêmios do Tesouro estendiam sua queda (o que supõe um melhor valor nominal destes títulos), depois que um corte na estimativa trimestral de empréstimos pelo Tesouro dos EUA diminuiu as preocupações sobre a enxurrada de dívida que está sendo emitida para cobrir o déficit federal.

⏸️ Petróleo em modo espera. A Saudi Aramco cancelou seus planos de aumentar sua capacidade de produção para 13 milhões de barris por dia, optando por mantê-la em 12 milhões. A medida surpreendente ocorre depois que o maior exportador de petróleo do mundo afirmou, em novembro, que estava progredindo “muito bem” com um projeto multibilionário para aumentar a capacidade para 13 milhões de barris por dia até 2027, já que a demanda na China e na Índia continua a crescer. Atualmente, a Arábia Saudita tem capacidade para 12 milhões de barris e está produzindo cerca de 9 milhões por dia, após baixar a produção como parte dos esforços da OPEP+ para evitar um excedente.

Os mercados também aguardam a reação dos EUA ao ataque mortal contra tropas americanas na Jordânia, um evento que poderia intensificar as tensões em uma região crucial para a produção mundial de petróleo.

PUBLICIDADE

📈 O vaivém dos ativos. Os contratos futuros de índices dos EUA operavam em queda. Na Europa, as bolsas subiam. No encerramento do mercado acionário da Ásia, as bolsas fecharam quase todas no vermelho.

Os prêmios dos títulos soberanos dos EUA a 10 anos caíam. Subiam tanto os contratos de ouro como os de petróleo. O bitcoin se valorizava.

(Com informações de Bloomberg News)

🗓️ AGENDA: Os eventos e indicadores em destaque hoje e na semana →

Os mercados esta manhãdfd
🔘 As bolsas ontem (29/01): Dow Jones Industrials (+0,59%), S&P 500 (+0,76%), Nasdaq Composite (+1,12%), Stoxx 600 (+0,21%), Ibovespa (-0,36%)
Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 13 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e fez um mestrado em Digital Business na ESADE.