Mercados

Da ata do Fed ao balanço da Nvidia: os eventos que movem os mercados

Os operadores mostram moderação após a alta da véspera enquanto aguardam sinais adicionais na ata da última reunião do Fed e um dos balanços mais esperados da temporada

Estes são os eventos que orientam os investidores e movem os mercados hoje
Por Bianca Ribeiro e Michelly Teixeira
21 de Novembro, 2023 | 07:16 AM

Barcelona, Espanha — O foco dos investidores está na divulgação dos balanços da Nvidia e do Baidu nesta jornada e na visão do Federal Reserve (Fed) a ser apresentada na ata do último encontro de política monetária. Enquanto isso, o mercado monitora os desdobramentos da troca de comando na OpenAI.

Assine a newsletter matinal Breakfast, uma seleção da Bloomberg Línea com os temas de destaque em negócios e finanças no Brasil e no mundo.

🌀 Reviravolta na OpenAI. Ante a ameaça de saída de centenas de funcionários devido à demissão inesperada do CEO Sam Altman, a OpenAI busca unificar a equipe e passa por “discussões intensas” com o próprio Altman, o CEO interino Emmett Shear e o conselho da empresa, segundo um memorando interno a que teve acesso a Bloomberg News. CEO da Microsoft, Satya Nadella, que contratou Altman para liderar o setor de inteligência artificial, já informou que não se oporia à reintegração do executivo. As conversas continuam nesta terça-feira.

LEIA +
Centenas de funcionários da OpenAI ameaçam sair após demissão de CEO

👨‍💻 Comunicação em alta. A Zoom conseguiu elevar sua receita fiscal em 3,2% no trimestre até outubro, para US$1,4 bilhão, melhor do que o esperado (US$1,12 bilhão), com aumento de 7,5% nas vendas empresariais. O lucro, excluindo alguns itens, foi de US$1,29 por ação, também acima da estimativa média (US$1,10 por ação).

💡 Investindo em energia. A Capital Power concordou em comprar duas usinas de energia movidas a gás natural nos EUA por US$1,1 bilhão com apoio parcial da BlackRock. Cada uma aportará 50% no plano de aquisição das geradoras de Harquahala, no Arizona, e de La Paloma, na Califórnia, que tornará a empresa canadense uma das maiores geradoras da América do Norte.

PUBLICIDADE

🍔 De partida da China. A Carlyle concordou em vender toda a sua participação na operação da McDonald ‘s na China para a operadora da rede de hambúrgueres por cerca de US$1,8 bilhão, segundo a Bloomberg. A oferta do McDonald’s pela participação na Carlyle teria superado uma proposta anterior e representa um retorno de 6,7 vezes.

👁️ Baidu surpreende. A gigante chinesa de buscas Baidu surpreendeu ao apresentar lucro líquido de 6,7 bilhões de yuans no trimestre até setembro, bem acima da média prevista (4,4 bilhões de yuans). O desempenho indica ao mercado o resultado da expansão da empresa para outros negócios, como a inteligência artificial generativa, que levou o Ernie Bot a acumular 70 milhões de usuários três meses após seu lançamento.

🚘 Perto de um acordo. O governo indiano negocia com a Tesla para que a montadora envie seus carros elétricos ao país a partir do próximo ano e monte uma fábrica dentro de dois anos. Segundo a Bloomberg, o acordo, que pode ser anunciado em janeiro, envolve um investimento mínimo inicial de cerca de US$2 bilhões na produção local, com aumento da compra de autopeças no país para até US$15 bilhões.

PUBLICIDADE

🆙 Vendas de dois dígitos. A venda de carros na Europa subiu 14% em outubro em relação ao mesmo mês de 2022, apesar da inflação alta e do custo elevado dos empréstimos. Segundo a Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis, foram entregues 1,04 milhão de unidades, enquanto os fabricantes continuavam a lidar com pedidos em atraso. As vendas de veículos elétricos representaram cerca de 15% do total vendido.

📈 O vaivém dos ativos. Os contratos futuros de índices dos EUA operavam com ligeira queda, assim como a maioria das bolsas europeias. Na Ásia, o fechamento dos índices foi majoritariamente negativo. Em outros mercados, o prêmio de risco do título de 10 anos dos EUA, em queda, era de 4,417%. No mercado cambial, o euro e a libra se apreciavam em relação ao dólar, enquanto o iene se desvalorizava. O ouro operava em alta, enquanto os contratos de petróleo bruto WTI recuavam, cotados ao redor de US$77 por barril.

(Com informações de Bloomberg News)

LEIA +
Além dos dados: como o Fed tem buscado histórias da vida real para avaliar a economia
Os mercados esta manhãdfd

🟢 As bolsas ontem (20/11): Dow Jones Industrials (+0,58%), S&P 500 (+0,74%), Nasdaq Composite (+1,13%), Stoxx 600 (+0,10%), Ibovespa (+0,95%)

A semana começou com fortes ganhos nas bolsas, com destaque para as ações da Nvidia e da Microsoft que ajudaram a levar a Nasdaq para o maior nível em quase dois anos. O rendimento elevado em um leilão de títulos dos EUA também agitou o mercado de dívida. No Brasil, o Ibovespa subiu quase 1% em dia de liquidez restrita devido ao feriado do Dia da Consciência Negra.

Saiba mais sobre o vaivém dos Mercados e se inscreva no After Hours, a newsletter vespertina da Bloomberg Línea com o resumo do fechamento dos mercados.

Na Agenda

Esta é a agenda prevista para hoje:

EUA:Índice Redbook, Índice de Atividade Nacional-Fed Chicago/Out, Vendas de Casas Usadas, Estoques de Petróleo Bruto Semanal-API

Europa: Licenciamento de Veículos/Out (Reino Unido, Alemanha, França, Itália); Reino Unido (Produtividade de Mão de Obra, Dívida Líquida do Setor Público/Out)

Ásia: Hong Kong (IPC/Out)

PUBLICIDADE

América Latina:  Argentina (Balanço Orçamentário/Out)

Bancos centrais: Atas da reunião do Fed/FOMC, Discurso de Christine Lagarde, Isabel Schnabel (BCE), Huw Pill (BoE)

Balanços: Nvidia, Dell, Baidu, HP, Best Buy

🗓️ Os eventos de destaque na semana →

Leia também:

PUBLICIDADE

CEO da Petrobras é pressionado a reduzir preços e investir mais, dizem fontes

Riverwood, que investe em startups no Brasil, capta US$ 1,8 bilhão para fundo global

Bianca Ribeiro

Bianca Ribeiro

Jornalista especializada em economia e finanças, com passagem por redações e veículos focados em economia, como Valor Econômico, Agência Estado e Folha de S.Paulo.

Michelly Teixeira

Michelly Teixeira

Jornalista com mais de 20 anos como editora e repórter. Em seus 13 anos de Espanha, trabalhou na Radio Nacional de España/RNE e colaborou com a agência REDD Intelligence. No Brasil, passou pelas redações do Valor, Agência Estado e Gazeta Mercantil. Tem um MBA em Finanças, é pós-graduada em Marketing e fez um mestrado em Digital Business na ESADE.