Apple decide adiar bônus e pagar uma vez ao ano em esforço para cortar custos

Empresa mais valiosa do mundo tinha desembolsos semestrais para áreas como operações e varejo corporativo; haverá também congelamento de vagas abertas

Logo de Apple
Por Mark Gurman
14 de Março, 2023 | 03:16 PM

Leia esta notícia em

Espanhol

Bloomberg — A Apple (AAPL) decidiu adiar os bônus para algumas divisões corporativas e ampliar um esforço de corte de custos, juntando-se aos pares do Vale do Silício na tentativa de simplificar as operações durante tempos incertos, de acordo com pessoas com conhecimento da situação.

A mudança reduzirá a frequência de bônus para uma parte da força de trabalho corporativa da Apple, disseram as pessoas, que pediram para não serem identificadas porque o plano não foi anunciado publicamente.

Separadamente, a empresa está congelando a contratação de mais empregos e deixando vagas adicionais abertas quando os funcionários saem.

No passado, a Apple normalmente distribuía bônus e promoções uma ou duas vezes por ano, a depender da divisão. As equipes geralmente viam isso acontecer em abril e outubro. De acordo com o novo plano, esse grupo não receberá bônus ou promoções no próximo mês, e todas as divisões passarão a ter uma programação anual - com os pagamentos ocorrendo apenas em outubro.

PUBLICIDADE

A maioria das divisões da Apple já havia mudado para uma programação com recebimento de bônus e promoções uma vez por ano, incluindo engenharia de software e serviços, mas as equipes de operações, varejo corporativo e outros grupos ainda estava no plano bianual.

Contratações da Apple tiveram aumento moderado ao longo da última décadadfd

A Apple, a empresa mais valiosa do mundo, iniciou um esforço de apertar o cinto em julho passado, quando a inflação galopante e os temores de recessão a estimularam a adotar uma postura mais cautelosa.

A fabricante do iPhone evitou demissões em massa vistas na maioria de seus pares de tecnologia, mas reduziu orçamentos, cortou metas de pessoal e congelou contratações em várias divisões.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Google apresenta IA generativa e acirra disputa pela inovação com ChatGPT

Meta cortará 10.000 empregos e fechará mais de 5.000 vagas em aberto