Não é só a Petrobras: CEO da Chevron defende lucros recordes diante de críticas

Mike Wirth, CEO da segunda maior petrolífera americana, rebate acusações de Joe Biden e congressistas sobre preços de combustíveis e diz que setor perdeu bilhões há 3 anos

A Chevron, a segunda maior petrolífera dos EUA, deverá reportar US$ 37 bilhões de lucro em 2022
Por Kevin Crowley
09 de Janeiro, 2023 | 08:41 AM

Bloomberg — Não é só no Brasil que os lucros recordes de grandes petrolíferas como a Petrobras (PETR3, PETR4) estão no alvo do governo federal - primeiro com Jair Bolsonaro (PL) e agora com Lula (PT).

O CEO da Chevron (CVX), Mike Wirth, rejeitou as alegações do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de que os lucros recordes das grandes petrolíferas estão sendo obtidos às custas do povo americano. E isso sendo que a Chevron é uma empresa privada, diferentemente da estatal Petrobras.

O maior fluxo de caixa da indústria não deve ser visto isoladamente, dado que apenas três anos atrás estava “perdendo bilhões de dólares com a queda dos preços”, disse Wirth em entrevista a David Rubenstein, da Bloomberg TV.

“Ao longo do ciclo, é uma indústria que gera cerca de 10% de retorno sobre o capital investido, o que, pelos padrões de outras indústrias, é um retorno bastante modesto”, disse o CEO da Chevron.

PUBLICIDADE

As dez ações com melhor desempenho no índice S&P 500 no ano passado foram empresas de energia, com produtores tradicionais de petróleo e gás dominando a lista, apesar de um coro de investidores, líderes políticos e grupos da sociedade civil pedindo uma transição para energia limpa.

A Chevron, a segunda maior petrolífera dos Estados Unidos, deverá reportar US$ 37 bilhões de lucro em 2022, 40% a mais do que seu recorde anterior estabelecido em 2011, segundo dados compilados pela Bloomberg News. A ação subiu 53% no ano passado, em comparação com uma queda de 19% do índice geral que teve o S&P 500 como referência.

Biden passou grande parte do ano passado criticando a indústria petrolífera doméstica e, em outubro, acusou-a de se beneficiar da guerra na Ucrânia. Os aliados democratas acusaram a indústria de enganar os consumidores quando os preços da gasolina atingiram um recorde em 2022. “Discordo dessa afirmação”, disse Wirth, acrescentando que o preço do petróleo e do gás é definido pelo mercado, não pelos produtores.

“À medida que os preços aumentam e fica menos acessível, você encontra pessoas que ficam chateadas”, disse Wirth. “E parte disso é porque realmente não fomos capazes de encontrar o equilíbrio certo entre acessibilidade energética, segurança energética e proteção do meio ambiente. “Precisamos ter uma abordagem equilibrada em relação à energia.”

Seus comentários refletem uma crescente frustração na indústria de petróleo e gás de que políticos, investidores e consumidores se concentraram demais em forçar grandes empresas a reduzir suas emissões de carbono, ao mesmo tempo em que consideraram a energia acessível e confiável garantida.

Confira os principais destaques da entrevista feita com Mike Wirth, editada para fins de clareza:

Bloomberg News: A indústria pode arcar com um imposto inesperado sobre os lucros?

PUBLICIDADE

Mike Wirth: Um imposto sobre lucros não vai encorajar mais oferta. Não é provável que reduza os preços; na verdade, poderia fazer exatamente o oposto. O presidente Carter [que comandou os Estados Unidos de 1977 a 1981] tentou um imposto sobre lucros em 1980. Ele foi revisto vários anos depois, arrecadou muito menos receita do que o esperado e não resultou em mais investimentos.

Portanto, normalmente, se você quer menos de alguma coisa, você tende a colocar mais impostos sobre ela. Se queremos mais produção de energia, se queremos mais oferta para reduzir os preços, colocar impostos na produção de energia provavelmente não é uma boa ideia.

Por que acha que as pessoas amam o tema energia, mas não as empresas de energia?

Somos uma grande empresa. Os números são grandes. Às vezes, grande não é popular, grande energia, grande governo, grande tecnologia. Precisamos ter uma abordagem equilibrada em relação à energia. E isso significa que temos que nos concentrar na acessibilidade, porque a energia acessível é realmente essencial para a prosperidade econômica. Além de um fornecimento confiável para a segurança nacional, porque a segurança energética e a segurança nacional estão ligadas.

E, depois, proteger o meio ambiente. À medida que os preços aumentam e fica menos acessíveis, você encontra pessoas que ficam chateadas. Parte disso é porque realmente não fomos capazes de encontrar o equilíbrio certo entre acessibilidade energética, segurança energética e proteção do meio ambiente.

A Chevron Corp. gas station displays a price for regular gas exceeding $3.50 a gallon in Atlanta, Georgia, U.S., on Thursday, May 13, 2021. Five days after a criminal hack shut down deliveries of almost half the gasoline and diesel burned in the eastern U.S., the Atlanta area's reserves of gas and diesel began to plummet. Photographer: Elijah Nouvelage/Bloombergdfd

O que está fazendo para a Chevron ser uma empresa de energia renovável?

Estamos focados em alavancar nossos pontos fortes para fornecer energia com baixo teor de carbono para um mundo em crescimento. Estamos reduzindo as emissões associadas ao petróleo e ao gás – algo de que o mundo precisa muito, desesperadamente. E, ao mesmo tempo, estamos construindo negócios de energia inerentemente com baixo teor de carbono para o futuro.

Coisas como combustíveis renováveis, hidrogênio, captura e armazenamento de carbono, geotérmica são todas tecnologias nas quais estamos investindo.

A guerra na Ucrânia é o motivo pelo qual as empresas petrolíferas estão obtendo grandes lucros?

A guerra e os eventos associados à ela tiveram definitivamente um impacto nos mercados de energia. Mas se você olhar para o contexto mais amplo, em 2020 vimos a demanda entrar em colapso com a pandemia quando o mundo realmente travou.

As empresas do nosso setor tiveram que fechar poços e parar de produzir porque não havia onde armazenar o petróleo que não era necessário ao mercado. Portanto os níveis de investimento caíram. Com a recuperação da economia, pós-pandemia, conseguimos vacinas, a demanda voltou e, com isso, indústria tem lutado para acompanhar a taxa de crescimento.

A Chevron está retomando a produção na Venezuela?

Somos a última empresa dos EUA que tem presença lá. As sanções foram um pouco aliviadas, mas na margem, por um período de seis meses. Isso permitirá que certas atividades, principalmente ligadas ao petróleo, fluam da Venezuela para os EUA – o que não está acontecendo hoje.

As refinarias da Costa do Golfo foram projetadas para processar o petróleo que sai da Venezuela, então veremos algum fluxo de petróleo para os EUA; receberemos um pouco de dinheiro e devemos algum por empréstimos e coisas que fizemos ao longo dos anos lá. Portanto, esse é um primeiro passo a ser potencialmente seguido por outros.

Há uma percepção de que, quando as cotações do petróleo caem, os preços da gasolina nos postos não caem tão rapidamente. Há alguma verdade nisso?

Empresários independentes vão olhar para o que eles acreditam que serão seus custos futuros de reabastecimento. E se eles acham que pode ser mais alto, eles tendem a segurar seus preços nas bombas de gasolina até terem certeza de que sua próxima carga pode ter um custo menor – e aí você começa a ver os preços caírem.

Quando o presidente Biden diz que ‘as empresas de energia estão enganando o povo americano’, presumo que você não goste, mas provavelmente apenas aceita?

Discordo dessa afirmação. Eu não acho que é precisa. Somos uma indústria de tomadores de preços, não de formadores de preços. São mercados globais de commodities e os preços sobem e descem. Apenas dois anos atrás, estávamos perdendo bilhões de dólares com a queda dos preços. E assim, ao longo do ciclo, é uma indústria que gera cerca de 10% de retorno sobre o capital investido, o que, pelos padrões de muitas outras indústrias, é um retorno bastante modesto.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Ação da Petrobras abaixo de R$ 20? Analistas calculam impacto de dividendo menor

Bancos da Argentina constroem cofres para lidar com recorde de dinheiro vivo

Bear market é oportunidade para crescer e ganhar cliente, diz CEO da Genial