Mercados

Ibovespa avança com exterior e dólar recua; resultados do 2º tri estão no radar

Em sessão de queda para o minério de ferro, mercados avaliam as perspectivas de ganhos corporativos e de crescimento global

Mercados acompanham resultados trimestrais em busca de sinais do impacto da inflação e dos juros
19 de Julho, 2022 | 10:31 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Seguindo o otimismo dos mercados globais, o Ibovespa (IBOV) operava em alta nesta terça-feira (19), com os investidores avaliando as perspectivas de ganhos corporativos e de crescimento global em meio à crescente crise de energia na Europa.

Por volta das 11h15 (horário de Brasília), o principal índice de renda variável da Bolsa brasileira subia cerca de 0,4%, negociado na casa dos 97 mil pontos, enquanto o dólar recuava diante do maior apetite ao risco.

A sessão, contudo, é de queda para o minério de ferro, que voltou a ser negociado abaixo de US$ 100 a tonelada com o boicote de mutuários na China, surto de covid-19 por todo o país e após o alerta da BHP sobre o crescimento global. O movimento prejudicava as ações de mineradoras como a Vale (VALE3), que recuava cerca de 0,60% na B3.

Confira o desempenho dos mercados nesta terça-feira (19):

PUBLICIDADE
  • Por volta das 11h15 (horário de Brasília), o Ibovespa (IBOV) subia 0,36%, aos 97.261 pontos;
  • Entre os contratos de juros futuros, o DI para 2025 operava estável, a 12,39%;
  • O dólar à vista recuava 0,67%, a R$ 5,40;
  • Nos EUA, os índices avançavam: o Dow Jones subia 1,13%, o S&P 500, 1,27%, enquanto o Nasdaq tinha alta de 1,11%;
  • Na Europa, o movimento também era de alta: o índice CAC-40, de Paris, por exemplo, avançava 0,88%.

Contexto global

Os investidores continuam em alerta máximo a sinais de que a inflação alta e o aperto monetário estão pressionando os consumidores e o emprego. Segundo pesquisa mensal mais recente de gestores de fundos feita pelo Bank of America, o investimento em ações caiu para níveis vistos pela última vez em outubro de 2008 dado o cenário macro atual.

Enquanto isso, o euro subiu para seu nível mais alto em cerca de duas semanas depois que a Bloomberg News informou que o Banco Central Europeu pode considerar aumentar as taxas de juros nesta quinta-feira (21) em meio ponto percentual, acima do previsto anteriormente para combater o agravamento da inflação.

O BCE está sob pressão para conter a inflação, mas um possível fechamento do gás russo pode levar a Europa à recessão. A União Europeia está se preparando para dizer aos membros que cortem o consumo de gás “imediatamente” para preservar os suprimentos para o inverno, de acordo com um relatório.

-- Com informações da Bloomberg News

PUBLICIDADE

*Matéria atualizada às 11h12 (horário de Brasília) com a abertura das bolsas nos EUA

Leia também:

Conselho da Petrobras pode mudar política de preços para evitar ingerência

Mariana d'Ávila

Mariana d'Ávila

Redatora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.

PUBLICIDADE