PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Bolsas sobem com pausa em semana marcada pela turbulência

Investidores voltam a aumentar posições em ativos especulativos e trocam dólar americano por outras moedas

As variáveis que orientarão os mercados
13 de Maio, 2022 | 09:30 am
Tempo de leitura: 2 minutos

São Paulo — --Atualiza com a abertura dos mercados americanos -- 11h

O tom nos mercados é marcado por um raio de esperança após uma semana turbuleta. Nesta manhã se sexta-feira 13, os mercados acionários operavam no verde tanto na Europa como entre os índices nos Estados Unidos. E as criptomoedas, que constituem o melhor indicador da aceitação de risco do mercado, ensaiavam uma leve recuperação, com destaque para o Bitcoin, que subia perto de 8%.

PUBLICIDADE

O mau humor nos mercados da semana se deve sobretudo à inflação, cuja permanência em níveis elevados reforçou os argumentos a favor de um aperto monetário mais rígido por parte do Federal Reserve (Fed). O índice S&P 500 avançava hoje em torno do 1,72%, após um tombo acumulado perto de 5% na semana.

Já o Nasdaq se aproximava de uma alta de 3%, mesmo com as ações do Twitter caindo mais de 10%. O bilionário Elon Musk twittou nesta manhã que sua aquisição de US$ 44 bilhões do Twitter está “temporariamente suspensa” até receber mais informações sobre a proporção de contas falsas na rede social - mas voltou atrás logo depois.

O dólar recuava, interrompendo uma sequência de seis sessões positivas seguidas, com o apetite por risco de volta ao mercado levando investidores a buscarem ativos menos seguros, como as moedas emergentes.

PUBLICIDADE

As moedas digitais subiam, com a demanda por ativos especulativos dando algum alívio no sell-off da semana. Uma venda massiva em moedas digitais retirou mais de US$ 200 bilhões de riqueza do mercado em apenas 24 horas na última quarta, de acordo com estimativas do site de rastreamento de preços CoinMarketCap. O amplo mergulho no sistema de criptomoedas, impulsionado pelo colapso da stablecoin TerraUSD, atingiu duramente os principais tokens.

Leia também o Breakfast, uma newsletter da Bloomberg Línea: Uma fintech com músculos de US$ 1,5 bi

🛢️ Petróleo volátil. Os preços do petróleo reduziam os ganhos do início da manhã, marcando outra semana tumultuada de negociações, com investidores avaliando a perspectiva de uma proibição da União Europeia às importações de petróleo da Rússia e a incerteza sobre o ressurgimento do vírus na China.

📊 Recado para a Petrobras. Em sua live semanal desta quinta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro (PL) relacionou a troca do ministro de Minas e Energia na véspera a “um pequeno problema na Petrobras”. “Estamos fazendo o possível — sem interferência, obviamente — para fazer a Petrobras entender qual é o seu papel. Entender como? Fazendo mudanças, como fizemos no Ministério de Minas e Energia”, disse.

Na agenda

Esta é a agenda prevista para hoje:

• EUA: Expectativas de Inflação a 5 anos - Univ. Michigan/Mai; Índice Michigan de Confiança do Consumidor/Mai; Preços de Bens Importados e Exportados/Abr

• Europa: Zona do Euro (Produção Industrial/Mar); Espanha (IPC/Abr)

PUBLICIDADE

• Ásia: China (Investimento Estrangeiro Direto; PIB/1T22)

• América Latina: Brasil (IBC-Br; Fluxo Cambial Estrangeiro)

• Bancos centrais: Discursos de Neel Kashkari e Loretta Mester (FOMC/Fed); Isabel Schnabel e Luis de Guindos (BCE)

PUBLICIDADE

• Balanços: Toshiba, Deutsche Telekom

--Com informações da Bloomberg News

MercadosÚltimas BrasilBloomberg LíneaEuropaEstados UnidosNo radar dos mercados
Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

PUBLICIDADE