PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Tesla recua em NY após Musk comprar o Twitter por US$ 44 bilhões

Ações da empresa de veículos elétricos fecharam em queda de 0,7% após comunicado sobre compra da empresa de mídia social pelo bilionário

Para alguns analistas, reação negativa do mercado é "injustificada"
Por Esha Dey
25 de Abril, 2022 | 06:05 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As ações da Tesla (TSLA) caíram na tarde desta segunda-feira (25) após a notícia de que o presidente-executivo Elon Musk está comprando a empresa de mídia social Twitter (TWTR) em um acordo de US$ 44 bilhões.

As ações da empresa de veículos elétricos fecharam em queda de 0,7% depois que o Twitter disse que concordou em ser adquirida por Musk por US$ 54,20 por ação em dinheiro. As ações estavam entre os cinco maiores pesos do índice S&P 500, que subiu 0,6%.

Embora a fraqueza nas ações da Tesla possa refletir a preocupação dos investidores com relação ao “foco” do bilionário, a reação é injustificada, segundo Craig Irwin, analista da Roth Capital Partners. “Tesla está no sangue dele, então não estou preocupado com Musk assumindo outro projeto”, disse ele.

Ainda que as ações da Tesla tenham caído 7% este ano, ela superou significativamente a maioria das empresas de tecnologia de mega capitalização, o mercado mais amplo e também gigantes do setor automotivo, como General Motors Co. e Ford Motor Co. As ações do Twitter subiram mais de 6% após serem paralisadas pela Bolsa de Valores de Nova York.

PUBLICIDADE
As ações da Tesla oscilaram enquanto Musk perseguia o Twitter.dfd

O Twitter se tornará a mais recente empresa em que Musk se concentrará, além da Tesla. O grupo inclui Space Exploration ou SpaceX, The Boring e Neuralink.

A resiliência das ações da Tesla este ano reflete o gerenciamento hábil da empresa em meio à escassez da cadeia de suprimentos e dos custos crescentes das matérias-primas. Seus resultados do primeiro trimestre na semana passada destacaram ainda mais essas vantagens, com a Tesla relatando fortes lucros e dizendo que estava a caminho de expandir a produção para mais de 1,5 milhão de veículos este ano, apesar dos desafios de fornecimento.

Mesmo assim, o agravamento do surto de covid na China ameaça complicar ainda mais a escassez, com lockdowns adicionais e paradas de produção na fábrica da Tesla em Xangai, potencialmente perturbando os planos da empresa para o ano.

Enquanto Musk perseguia o Twitter de maneira altamente pública – twittando suas opiniões sobre a plataforma para seus milhões de seguidores e realizando pesquisas – os investidores da Tesla ficaram adivinhando o impacto de um acordo. Alguns temiam que o CEO da Tesla pudesse ser obrigado a vender parte de sua participação na fabricante de veículos elétricos para pagar pelo Twitter.

PUBLICIDADE

No entanto, o analista da Wedbush, Daniel Ives, disse nesta segunda-feira que não acredita que a “oferta do Twitter resultará em uma grande venda das ações de Musk da Tesla”.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Conheça as brasileiras entre as 50 Mulheres de Impacto da América Latina em 2022