Internacional

Segurança alimentar: Estudo sinaliza preocupação com escassez de arroz no mundo

Um estudo publicado pela revista Nature Food menciona o aumento da demanda de arroz, a estagnação do rendimento e o espaço limitado para a expansão das terras agrícolas

Especialistas dizem que produção excedente é necessária para reduzir a volatilidade global dos preços
Por Jasmine Ng
01 de Abril, 2022 | 09:11 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — As preocupações estão aumentando no Sudeste Asiático sobre a capacidade da região de manter seu título de principal fornecedor de arroz para o mundo, já que países como Indonésia e Filipinas têm enfrentado dificuldades para produzir o suficiente até mesmo para suas próprias necessidades.

As tendências atuais de rendimento não devem permitir que os dois países sejam autossuficientes em arroz, de acordo com um estudo publicado na revista Nature Food em março deste ano. Isso significa que eles terão que depender de importações para atender à demanda doméstica para um alimento básico e crucial para a segurança alimentar e estabilidade política, além de ser comercialmente fundamental para a região.

“O novo milênio trouxe uma série de desafios para os sistemas de arroz no Sudeste Asiático”, disseram os pesquisadores, citando o aumento da demanda de arroz, a estagnação do rendimento e o espaço limitado para a expansão das terras agrícolas. “As preocupações com a escassez de arroz estão de volta.”

As descobertas chegam em um momento em que as preocupações com a segurança alimentar estão crescendo em todo o mundo, à medida que a invasão da Ucrânia pela Rússia coloca em risco um dos maiores celeiros do mundo, elevando ainda mais os preços dos alimentos que já estavam em alta.

PUBLICIDADE

Ainda assim, os preços do arroz estão relativamente moderados devido à produção e aos estoques nas principais regiões de cultivo, impedindo que, pelo menos por enquanto, a crise de alimentos seja ainda pior.

Arrozdfd

As perspectivas de autossuficiência do arroz variam de país para país. A Tailândia e o Vietnã produzem mais do que consomem, enquanto a Indonésia e as Filipinas “lutam consistentemente” para atender à demanda de arroz de sua própria produção, contando com as importações, disseram os pesquisadores.

É particularmente crucial para regiões como a África Subsaariana e o Oriente Médio que o Sudeste Asiático continue a produzir um grande excedente de arroz, disseram os pesquisadores, já que isso pode ajudar a reduzir a volatilidade global dos preços e fornecer suprimentos de arroz de forma mais estável e acessível.

– Esta notícia foi traduzida por Melina Flynn, content producer da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Guerra na Ucrânia: Escassez de óleo de girassol impacta alimentos

Goldman corta projeção para petróleo no ano com venda de reserva

PUBLICIDADE