PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Guerra na Ucrânia: Escassez de óleo de girassol impacta alimentos

Principal substituto, o óleo de palma, gera preocupações por sua relação com o desmatamento

Guerra na Ucrânia aperta abastecimento do óleo
Por Megan Durisin, Irina Anghel e Katie Linsell
01 de Abril, 2022 | 12:03 pm
Tempo de leitura: 4 minutos

Bloomberg — A invasão da Ucrânia pela Rússia interrompeu o fornecimento de quase metade das exportações mundiais de óleo de girassol, forçando as empresas a recorrer a alternativas menos desejáveis, como o óleo de palma, para produtos que vão desde batatas fritas a biscoitos.

Milhares de itens, incluindo pratos prontos e até papel de embrulho, usam óleo de girassol. Os preços estão subindo e o ingrediente só se tornará mais escasso a partir do verão do hemisfério norte, já que os agricultores ucranianos podem ter dificuldades para cultivar e exportar a safra.

PUBLICIDADE

“Os preços do óleo de girassol subiram 1.000%, mas não é sobre o preço, pois os óleos geralmente são apenas uma pequena parte constituinte dos produtos”, disse Richard Walker, diretor-gerente da cadeia de supermercados Iceland Foods. “O verdadeiro desafio é conseguir o produto”.

Assim como a indústria de alimentos estava lidando com a escassez relacionada à pandemia, a invasão da Ucrânia pela Rússia exacerbou a situação, elevando os preços de ingredientes básicos, como o trigo. O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, alertou que o mundo terá escassez de alimentos e os países devem se preparar para fontes alternativas.

Walker disse que 450 produtos que a Iceland Foods vende serão afetados e, embora muitos possam usar alternativas, como óleo de canola, a empresa não terá escolha a não ser “lamentavelmente” usar óleo de palma em cerca de 30 a 40 produtos. Esta é uma reversão de uma promessa de alto nível que a mercearia fez em 2018 para remover todo o óleo de palma de suas marcas própria devido a preocupações sobre suas ligações com o desmatamento.

PUBLICIDADE

“Eu simplesmente não sei por quanto tempo isso vai durar”, disse Walker, da Iceland, acrescentando que usaria apenas óleo de palma cultivado de forma sustentável. “A única alternativa ao uso de óleo de palma nas circunstâncias atuais seria simplesmente retirar diversos alimentos de circulação.”

A Wm Morrison Supermarkets disse que também terá que usar óleo de palma sustentável em alguns produtos quando não puderem mudar para alternativas como óleo de canola.

Ucrânia exporta óleo de girassol em massa para o mundodfd

A guerra na Ucrânia causou um desastre humanitário no país e interrompeu o comércio de alimentos em todo o mundo, elevando os preços do trigo e do milho ao mais alto nível em uma década. A Ucrânia é um importante fornecedor de grãos para países do Oriente Médio. Os preços da carne também estão sob pressão, pois o custo da ração usada para bovinos e suínos vem aumentando.

Os agricultores ucranianos estão avançando com o plantio de primavera, mas enfrentarão desafios ao lidar com a escassez de trabalhadores, combustível e fertilizantes. A Rússia bloqueou os portos da Ucrânia, cortando a rota tradicional de exportação. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse na quinta-feira (31) que as tropas russas estão sabotando a agricultura, colocando minas terrestres em fazendas e destruindo máquinas.

Substituição para importação

“Quando o óleo de girassol for um ingrediente em produtos, os varejistas o substituirão por outros óleos seguros, como óleo de canola”, disse Andrea Martinez-Inchausti, vice-diretora de alimentos do British Retail Consortium. Para alimentos como batatas fritas, que usam óleo de girassol como ingrediente-chave, os varejistas adicionarão informações sobre o óleo substituto nos rótulos existentes, disse.

Para sanduíches pré-embalados, os vendedores estão tendo que colocar avisos explicando que alguns ingredientes podem ter mudado porque as embalagens foram impressas com antecedência, de acordo com a British Sandwich & Food to Go Association. A Monde Nissin, das Filipinas, disse que está substituindo o óleo de girassol pelo óleo de canola do Reino Unido em suas alternativas para carne.

PUBLICIDADE

As empresas que usam óleo de girassol para fritar estão substituindo-o por óleo de palma, óleo de soja e óleo de canola, disse o grupo industrial Fediol. Andrew Crook, presidente da Federação Nacional de Fritura de Peixe do Reino Unido, disse que sua própria loja em Euxton, no noroeste da Inglaterra, viu os preços dos tambores de óleo de girassol de 20 litros subirem para 40 libras (US$ 52) nas últimas duas semanas. Eles normalmente usam oito ou nove barris por semana e podem ter de mudar para óleo de palma em algum momento, embora ele valorize o óleo de girassol por seu “sabor agradável e limpo”.

Isso gera preocupações de que os preços mais altos dos alimentos e a necessidade de buscar suprimentos em outros lugares diminuam os padrões alimentares da Europa e levem as empresas a optar por ingredientes que podem ser mais prejudiciais ao meio ambiente. O óleo de palma e soja vêm passando por um escrutínio crescente recentemente devido a seu papel no desmatamento, originando planos de redução das importações da União Europeia.

A demanda pelo óleo de canola teve o maior aumento, de acordo com Hemeline Macret, chefe de análise de mercado de oleaginosas da Strategie Grains. “Ele já é usado em alimentos, e o óleo de palma não é muito popular por causa de sua má imagem”. O óleo de soja não é usado em muitas receitas porque geralmente é feito de soja geneticamente modificada, disse.

PUBLICIDADE

A guerra está exacerbando uma cadeia de suprimentos já apertada, e os problemas de transporte e reveses nas colheitas estão levando os preços dos alimentos a níveis recordes. O aumento dos custos de alimentos básicos em países do Oriente Médio e Norte da África que dependem das importações está colocando a resiliência das pessoas em um “ponto de ruptura”, segundo o Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas.

“Se a guerra não acabar logo, as interrupções no fornecimento podem durar até 2023″, disse Hemeline Macret.

--Com a colaboração de Áine Quinn e Deirdre Hipwell.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Últimas BrasilGuerra na UcrâniaRússiaAlimentos
PUBLICIDADE