Estilo de vida

Algumas categorias se destacam na busca pela diversidade do Oscar

Os indicados deste ano incluem quatro atores negros, em comparação com nove que concorreram ao Oscar no ano passado, e um ator que é surdo

Oscar statues on display at "Meet the Oscars". Photographer: Andrew H. Walker/Getty Images North America
Por Ella Ceron
26 de Março, 2022 | 11:48 am
Tempo de leitura: 6 minutos

Bloomberg — É a maior noite de Hollywood - o Oscar - e, embora todos os olhos possam estar no tapete vermelho de domingo (27), o compromisso da indústria cinematográfica com a diversidade também está sob escrutínio.

O Oscar está sob o microscópio da diversidade desde pelo menos 2015, quando a ativista April Reign criou a hashtag #OscarsSoWhite, quando atores negros foram menosprezados nas indicações para todas as quatro categorias. Houve ganhos desde então, e a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas em setembro de 2020 alterou suas regras para o programa de 2024, para exigir que cada categoria de atuação inclua pelo menos um indicado de um grupo racial ou étnico sub-representado.

Os indicados deste ano incluem quatro atores negros, em comparação com nove que concorreram ao Oscar no ano passado e um ator que é surdo. A indicação de Jane Campion para melhor diretora marca a oitava vez que uma mulher é indicada ao prêmio. Ela também é a primeira a concorrer a essa honra mais de uma vez. Mas os membros da academia também indicaram uma lista totalmente branca para melhor atriz e melhor ator coadjuvante, mostrando que ainda há trabalho a ser feito.

Se você está acompanhando o progresso da academia no cumprimento das metas de diversidade, aqui estão as categorias a serem observadas quando o programa for ao ar na rede americana ABC, da Walt Disney:

PUBLICIDADE

Melhor ator

Embora seja uma das maiores estrelas de Hollywood, Will Smith ainda não ganhou um Oscar. Ele já foi indicado duas vezes ao prêmio de melhor ator: em “À Procura da Felicidade” e por seu papel principal na cinebiografia de Muhammad Ali “Ali”. Este ano, Smith tem duas chances de ganhar: ele está novamente concorrendo ao prêmio de melhor ator por seu trabalho em “King Richard”, interpretando Richard Williams, pai das estrelas do tênis Serena e Venus Williams, e ele também pode ganhar como produtor se isso acontecer,se o filme levar o prêmio de melhor fotografia.

Smith é o segundo homem negro a ser indicado para atuar e produzir papéis no mesmo ano, juntando-se a Denzel Washington, que recebeu essas indicações por “Um limite entre nós”, em 2017, e está competindo novamente este ano por seu papel principal em “A Tragédia de Macbeth” Se Smith ganhar o prêmio de atuação, ele se tornaria o quinto homem negro na história a receber tal honra. Outros artistas negros venceram nas categorias criativas de coadjuvante e de bastidores.

Melhor Ator Coadjuvante

Troy Kotsur, que interpreta o patriarca Frank Rossi em “CODA”, já fez história com sua indicação de ator coadjuvante: ele é um dos dois únicos artistas surdos a ser indicado ao Oscar de atuação. Sua co-estrela, Marlee Matlin, ganhou o prêmio de melhor atriz em 1987 por seu papel em “Filhos de um Deus Menor”. “CODA” acompanha uma estudante do ensino médio, a única pessoa que ouve em uma família de surdos, enquanto ela luta entre seguir uma educação musical ou ficar em casa para ajudar no negócio de pesca de sua família.

Kotsur quase desistiu de atuar, disse ele ao site Deadline, dadas as oportunidades limitadas para atores surdos, bem como o hábito de Hollywood de escalar pessoas sem deficiência como personagens com deficiência. Um estudo de 2020 da USC Annenberg Inclusion Initiative descobriu que apenas 2,3% dos papéis de fala em 1.300 dos principais filmes lançados entre 2007 e 2019 retratavam uma pessoa com deficiência, e um estudo de 2018 da Ruderman Family Foundation descobriu que apenas 22% dos personagens com deficiência em programas de televisão em rede foram interpretados por um ator com a mesma deficiência.

PUBLICIDADE

“Eu estava quase me acostumando com a falta de oportunidade”, disse Kotsur. “Pessoas surdas que pudessem usar sua voz [falada] melhor do que eu teriam mais oportunidades e mais chances de conseguir trabalho.”

Melhor atriz coadjuvante

West Side Story, de Steven Spielberg, rendeu sete indicações, incluindo melhor filme e melhor atriz coadjuvante para Ariana DeBose. A atriz, que interpreta Anita, é a primeira afro-latina a ser indicado na categoria atuação. Em 1962, Rita Moreno se tornou a primeira latina a ganhar um Oscar de atuação por sua interpretação da mesma personagem no filme original.

Até agora, DeBose varreu o circuito de premiações, ganhando prêmios BAFTA, Screen Actors Guild, Critics Choice e Globo de Ouro, entre outros. Ela foi a primeira mulher negra abertamente queer a ganhar um prêmio SAG, em fevereiro. Ela concorre na categoria com a atriz negra Aunjanue Ellis, que interpreta Oracene “Brandy” Price, mãe das irmãs Williams, em “King Richard”.

O grupo de direitos LGBTQ GLAAD saudou a indicação de DeBose, juntamente com a indicação de Kristen Stewart por “Spencer”, bem como filmes que incluíam histórias LGBTQ, como “Flee”. Eles “são lembretes claros das oportunidades que existem com o público e a crítica, quando Hollywood investe em talentos queer e conta histórias diversas de maneiras ousadas e originais”, disse Sarah Kate Ellis, chefe da GLAAD.

Pesquisadores da Annenberg dizem que personagens LGBTQ estão sub-representados nos principais filmes de Hollywood. Ellis acrescentou que “a indústria e a academia devem priorizar o investimento e o reconhecimento de criadores e histórias de pessoas LGBTQ e outras comunidades marginalizadas que o público deseja e com as quais se conecta.”

Melhor Canção Original

O maestro Lin-Manuel Miranda está na fila para conseguir um feito raro no mundo dos prêmios se seu “Dos Oruguitas” (duas lagartas) do filme de animação da Disney “Encanto” ganhar o Oscar de melhor canção original. Isso colocaria Miranda entre as 16 pessoas que conquistaram um Emmy, Grammy, Oscar e Tony, os principais prêmios de TV, música, cinema e teatro, incluindo Whoopi Goldberg e Moreno. Miranda também ganhou o prêmio Pulitzer de drama em 2016.

PUBLICIDADE

A trilha sonora do filme atingiu o topo das paradas da Billboard e o single “Don’t Talk About Bruno”, também composto por Miranda, também alcançou o primeiro lugar. O cantor colombiano Sebastián Yatra interpreta “Dos Oruguitas” no filme. No entanto, a música não será o primeiro número em espanhol a ganhar o Oscar – “Al Otro Lado Del Rio” de “Diários de Motocicleta” ganhou em 2005.

“Encanto” está indicado a três Oscars ao todo: melhor canção original, melhor trilha sonora original e melhor filme de animação.

Melhor Diretor

Os eleitores da Academia têm algumas opções de diversidade nesta categoria. O filme japonês “Drive My Car”, sobre um ator e diretor que lida com a perda de sua esposa, está concorrendo a quatro Oscars, incluindo melhor filme, melhor filme internacional e melhor roteiro adaptado. Foi dirigido por Ryûsuke Hamaguchi e adaptado do conto de Haruki Murakami de mesmo nome. É um dos sete filmes internacionais a serem indicados simultaneamente para melhor filme e melhor filme internacional ao longo dos anos.

Hamaguchi enfrenta Campion, que fez o aclamado faroeste “Ataque dos cães” e concorreu ao mesmo prêmio em 1994 com o filme “O Piano”. “Ataque dos cães” tem uma dúzia de indicações ao todo e foi considerado o favorito para ganhar o prêmio de melhor filme.

PUBLICIDADE

No entanto, Campion pode ter prejudicado suas chances depois de ganhar um Critics Choice Award quando disse que as irmãs Williams “não jogam contra os caras, como eu tenho que jogar”. A ofensa foi rapidamente denunciada e Campion desde então se desculpou.

As mulheres ganharam o Oscar de melhor direção duas vezes: Kathryn Bigelow por “Guerra ao Terror” em 2010 e Chloe Zhao por “Nomadland” no ano passado.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, Localization Specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE