PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

AO VIVO: Biden volta a falar que Putin cometeu crime de guerra

Ministro de Relações Exteriores da Rússia acusou o Ocidente de travar uma “guerra híbrida, uma guerra total” por meio de sanções contra seu país

Sergei Lavrov, ministro das Relações Exteriores da Rússia
Por Bloomberg News
25 de Março, 2022 | 02:09 pm
Tempo de leitura: 14 minutos

Bloomberg — Com o presidente dos EUA, Joe Biden, na Polônia, os militares russos disseram que estão se concentrando em assumir o controle total da região leste de Donbass, na Ucrânia. A declaração ofereceu uma pista de que o Kremlin pode estar se afastando de ganhos militares mais ambiciosos após um mês de combates.

Depois de deixar uma cúpula de líderes europeus, onde os EUA e a União Europeia divulgaram um acordo para ajudar a Europa a se livrar das importações de combustível russo, Biden se reuniu com tropas dos EUA no leste da Polônia, não muito longe da fronteira com a Ucrânia. Horas antes, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou os EUA e a UE de tentar “destruir” a Rússia por meio de uma “guerra híbrida, uma guerra total”.

Enquanto as tropas ucranianas tentam afastar as forças russas de Kiev, a cidade portuária de Mariupol, no sudeste do país, disse que cerca de 300 pessoas foram mortas quando as forças russas atacaram um teatro no local este mês. Os EUA e seus aliados alertaram Putin contra o uso de armas biológicas, químicas ou nucleares na Ucrânia.

Os Estados Unidos e a União Europeia anunciaram um acordo para ajudar a Europa a se livrar das importações de combustíveis russos. Uma cúpula da União Europeia com foco na Rússia continua em Bruxelas, com uma modesta intensificação das sanções.

PUBLICIDADE

Todos os horários de Brasília:

Macron discute evacuação de Mariupol com Putin (18h05)

O presidente francês, Emmanuel Macron, disse que ligará para Putin na segunda-feira para discutir a evacuação humanitária de Mariupol. A operação será coordenada com os governos da Turquia e da Grécia. “Quanto mais cedo, melhor”, disse Macron em entrevista em Bruxelas, acrescentando que espera que a evacuação comece nos próximos dias.

Líderes da UE concordam em se concentrar na aplicação de sanções (17h07)

Líderes de países da União Europeia concordaram na cúpula de dois dias em Bruxelas em se concentrar na aplicação de sanções contra a Rússia em cooperação com parceiros globais, disse o chefe do braço executivo do bloco a repórteres.

“Concordamos agora em realmente examinar profundamente as brechas que descobrimos, ou as evasões que alguns tentam tomar, e fazer tudo dentro do próprio sistema para fechar as brechas e tornar as evasões impossíveis”, disse Ursula von der Leyen, chefe da Comissão Europeia, após a reunião.

PUBLICIDADE

Von der Leyen disse que mais de 40 países estão aplicando sanções, acrescentando que “temos sistemas diferentes, mas o mesmo objetivo com as sanções”.

Ucrânia diz que a Rússia não vai ceder nas negociações (16h18)

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia lamentou o estado das negociações entre seu país e a Rússia após um mês da invasão ao país. O presidente Volodymyr Zelenskiy disse na sexta-feira que eles estavam em um impasse.

“A posição da Ucrânia é clara: cessar-fogo, garantias de segurança, sem comprometer a integridade territorial. Mas a Rússia não cede”, disse o ministro das Relações Exteriores, Dmytro Kuleba, no Twitter. “Para estimular uma abordagem mais construtiva, precisamos de duas coisas: mais sanções e mais ajuda militar para a Ucrânia”, disse ele.

A Rússia exigiu concessões territoriais e a neutralidade da Ucrânia. A Ucrânia disse que não negociará sob ultimatos, não negociará sua terra, mas está aberta a discutir a neutralidade.

Biden repete acusação de crimes de guerra contra Putin (15h05)

Biden disse que acredita que Putin “cumprirá a definição legal” de criminoso de guerra, reforçando a afirmação de que as forças russas cometeram atrocidades na Ucrânia.

“A coisa mais importante que podemos fazer desde o início é manter as democracias unidas em nossa oposição e nosso esforço para reduzir a devastação que está ocorrendo nas mãos de um homem que, francamente, acho que é um criminoso de guerra“, disse Biden durante uma visita à cidade polonesa de Rzeszow. Mariupol e outras cidades ucranianas sitiadas lembram “algo saído de um filme de ficção científica”, disse ele.

PUBLICIDADE

Zelenskiy diz que Rússia tenta ganhar tempo em negociações (14h)

As negociações diretas entre a Rússia e a Ucrânia não estão avançando, de acordo com um importante assessor do presidente ucraniano Volodymyr Zelenskiy, que sinalizou que Moscou tenta ganhar tempo nas negociações. Reconhecer a soberania russa sobre o território ucraniano, como a Crimeia ou o Donbas, não é negociável, disse ele.

“Se a delegação russa é séria ou está se arrastando no tempo – essa é uma grande questão”, disse Ihor Zhovkva, vice-chefe de gabinete de Zelensky, em entrevista à Bloomberg TV. Ele disse que, não conseguindo atingir os objetivos militares de curto prazo do Kremlin, os negociadores russos pareciam estar esperando para ver o que acontece a seguir em uma tentativa de fortalecer sua posição.

Europeus apoiam sanções contra Rússia, diz pesquisa (13h05)

Na União Europeia, 42% dos cidadãos apoiam as sanções atuais contra a Rússia e 43% acham que não vão longe o suficiente, de acordo com uma pesquisa da Gallup International com 24.509 pessoas em 24 dos 27 membros do bloco, mais Suíça e Sérvia.

Pouco mais de metade dos participantes, ou 52%, são a favor da adesão da Ucrânia à UE e 21% são contrários. Mais de nove em cada 10 entrevistados disseram que é “importante” ou “muito importante” que seu país mude para fontes de energia renováveis e reduza a dependência da Rússia. As maiores preocupações dos cidadãos da UE com a invasão são a inflação, que o conflito possa se expandir para uma guerra mundial ou envolver armas nucleares, e que o fornecimento de energia possa falhar, de acordo com a pesquisa.

PUBLICIDADE

Biden visita tropas perto da fronteira com Ucrânia (12h45)

A pouco mais de uma hora de carro da fronteira oeste da Ucrânia, Biden pousou em uma base aérea na cidade polonesa de Rszezow, no sudeste da Polônia, em um local com baterias de mísseis antiaéreos Patriot.

Biden visitou a barbearia da base e foi convidado por um militar para fazer seu corte de cabelo. “Não tenho tanto cabelo para tirar”, disse Biden a um soldado. Mais tarde, ele cumprimentou as tropas em um refeitório.

Rússia diz que ‘operação’ da Ucrânia se concentrou em Donbas: Interfax (11h49)

Após um mês de combates que resultaram em ganhos territoriais limitados, os militares russos disseram que estão concentrando esforços em assumir o controle total da região de Donbass, no leste da Ucrânia, potencialmente um sinal de que estão se afastando das esperanças de tomar áreas maiores do país ou remover o governo. Parte da região já estava sob o controle de separatistas apoiados por Moscou.

“Nossas forças se concentrarão no principal – a libertação completa de Donbas”, disse Sergei Rudskoi, primeiro vice-chefe do Estado-Maior Geral, na sexta-feira, segundo o serviço de notícias Interfax. Dizendo que a operação foi “bem-sucedida”, Rudskoi classificou o fracasso da Rússia em tomar as principais cidades como deliberado, com os militares tentando prender as tropas ucranianas.

PUBLICIDADE

As forças russas não capturaram nenhuma cidade importante e as autoridades ocidentais estimam que cerca de 15 mil pessoas foram mortas. Rudskoi colocou as perdas em 1.351 mortos e 3.835 feridos, a primeira contabilidade oficial desde 2 de março. Ele disse que os militares russos controlam 93% da República Popular de Luhansk e 54% da República Popular de Donetsk.

Lavrov diz que o Ocidente quer destruir a Rússia (7h31)

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou o Ocidente de travar uma “guerra híbrida, uma guerra total” por meio de sanções contra seu país. Os líderes europeus querem “destruir, estrangular a economia russa e a Rússia como um todo”, disse Lavrov em uma reunião do Fundo de Diplomacia Pública Gorchakov, em Moscou, na sexta-feira (25).

PUBLICIDADE

A Rússia não tem intenção de ficar isolada e tem “muitos amigos, aliados, parceiros no mundo” com os quais continuará trabalhando, disse Lavrov.

Confiança nos negócios da Alemanha, Itália mergulha na guerra (6h41)

A confiança empresarial em duas das maiores economias da zona do euro caiu neste mês, com a guerra na Ucrânia levando a previsões de crescimento econômico mais lento e inflação mais alta, à medida que os mercados de energia e o comércio são interrompidos.

“As empresas na Alemanha estão esperando tempos difíceis”, disse Clemens Fuest, do Instituto Ifo, com sede em Munique, que viu seu indicador de expectativas de negócios cair para o nível mais baixo desde maio de 2020. Dados separados da Itália mostraram que onível de confiança na indústria é o mais baixo desde janeiro de 2021.

PUBLICIDADE

Refugiados na Polônia agora são mais de 2,2 milhões (6h30)

Cerca de 32.500 pessoas foram liberadas na fronteira polonesa na quinta-feira (24) e outras 6.900 cruzaram na sexta-feira (25), elevando o total de refugiados que entram da Ucrânia para 2,237 milhões, segundo as autoridades de fronteira polonesas.

Desde 24 de fevereiro, 2,237 milhões de pessoas chegaram. Ontem, ou seja, em 24 de março, os oficiais do #SG registraram 32,5 mil viajantes. É um aumento de 7,4% em relação ao dia anterior (30 mil). Hoje, até as 07h00 da manhã, 6,9 mil - um aumento de 1,7%.

— Straż Graniczna (@Straz_Graniczna) 25 de março de 2022

PUBLICIDADE

Rússia a caminho da recessão profunda (5h50)

A economia da Rússia está em processo de contração já pelo segundo ano consecutivo, pela primeira vez desde o colapso soviético há três décadas.

O Produto Interno Bruto encolherá 9,6% em 2022 e 1,5% em 2023, segundo pesquisa da Bloomberg com 24 analistas realizada de 18 a 23 de março. Antes do ataque à Ucrânia no final de fevereiro, a economia estava em processo de expansão pelo segundo ano seguido.

A inflação está agora prevista para uma média de 20% neste ano, o que seria o aumento mais rápido em cerca de duas décadas.

PUBLICIDADE

Alemanha pretende acabar com as importações de gás russo até meados de 2024 (5h43)

O ministro da Economia alemão, Robert Habeck, revelou planos para reduzir as importações russas de combustíveis fósseis, que tornariam o país quase completamente independente do gás russo até meados de 2024, segundo um comunicado.

EUA e UE chegam a acordo de fornecimento de energia para cortar dependência da Rússia (5h41)

Um acordo para tentar aumentar o fornecimento de gás natural liquefeito dos EUA aos países europeus até o final de 2022 com pelo menos 15 bilhões de metros cúbicos será anunciado pelo presidente americano, Joe Biden, e pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, antes de uma aparição juntos em Bruxelas.

Veja mais: EUA fecham acordo para ajudar Europa a substituir importações de gás russo

O pacto inclui a formação de uma força-tarefa conjunta para ajudar o continente a se livrar das importações de combustíveis russos.

Os preços do gás natural na Europa caíram pelo segundo dia, com os futuros holandeses sendo negociados cerca de 10% mais baixos.

Banco da Rússia diz que reservas de ouro são armazenadas internamente (5h)

O banco central da Rússia informou que todas as suas reservas de ouro estão armazenadas no mercado interno, de acordo com uma publicação de perguntas e respostas em seu site sobre a operação do sistema financeiro sob sanções.

Os comentários foram feitos depois que o Tesouro dos EUA emitiu um aviso de que as transações de ouro com a Rússia estão proibidas, e o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que há sinais de que a Rússia esteja usando o metal precioso para escapar das sanções.

Veja mais: A pergunta de US$ 140 bi: a Rússia pode vender sua enorme pilha de ouro?

A Rússia passou anos construindo o quinto maior estoque de ouro do mundo, e está sendo visado agora porque as vendas podem aumentar o rublo.

Mineiro russo diz que não pode vender ouro após sanções (5h10)

A mineradora de ouro, Petropavlovsk, disse que está considerando urgentemente as implicações das sanções ao Gazprombank, que proíbem mais vendas de ouro para a insituição. O banco recebe 100% da produção de ouro da Petropavlovsk como condição de seus empréstimos, e a mineradora tem um empréstimo a prazo de US$ 200 milhões, e US$ 86,7 milhões em linhas de crédito rotativo com o Gazprombank.

Mercado de ações russo reverte ganhos (5h22)

O índice de ações da Rússia apagou os ganhos iniciais para cair 2,6% durante o segundo dia de negociação após um período recorde de fechamento. O indicador subiu 4,4% na sessão encurtada de quinta-feira (24). As ações europeias e os futuros de ações dos EUA caíram.

O níquel atingiu um recorde intradiário em Xangai depois que outro pico em Londres colocou as importações fora do alcance de muitos compradores chineses. O níquel tem estado extremamente volátil desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, com os comerciantes ocidentais evitando os metais russos, embora os fluxos de níquel para a China continuem.

Nesse ínterim, o petróleo oscilava entre ganhos e perdas, com o petróleo West Texas Intermediate acima de US$ 110 o barril, enquanto os EUA e a União Europeia pareciam prontos para anunciar planos para reduzir a dependência de combustíveis fósseis russos da região.

Fechamento final da conexão ferroviária Rússia-UE (4h30)

O serviço de trem de passageiros entre Helsinque e São Petersburgo será suspenso na segunda-feira (28) “por enquanto”, segundo a empresa ferroviária estatal da Finlândia. Esta era a última conexão ferroviária deixada para os passageiros entre a Rússia e a União Europeia.

A fronteira de 1.300 quilômetros entre os dois países ainda pode ser atravessada de carro. Dezenas de milhares de pessoas deixaram a Rússia desde a invasão da Ucrânia, com muitas delas indo primeiro para ex-estados soviéticos, Oriente Médio e Turquia. A conexão ferroviária de Helsinque era vista por muitos como a maneira mais fácil de chegar à Europa.

Zelenskiy convoca Orban a afastar-se da Rússia (4h20)

Em seu discurso em vídeo para a UE na quinta-feira (24), o presidente Volodymyr Zelenskiy criticou a Hungria por não mostrar total apoio quando se trata da adesão da Ucrânia ao bloco, sanções à Rússia ou trânsito de armas pelo território húngaro.

Zelenskiy pediu ao primeiro-ministro, Viktor Orban, que “de uma vez por todas” dê seu total apoio à Ucrânia e evite a Rússia. “Não há tempo para hesitar”, disse ele. “É hora de decidir.”

Ucrânia empurra forças russas para longe de Kiev, diz Reino Unido (4h04)

Os contra-ataques ajudaram a Ucrânia a reocupar cidades e posições defensivas até 35 quilômetros a leste de Kiev, disse o Ministério da Defesa do Reino Unido, em uma atualização de inteligência. As forças ucranianas provavelmente continuarão tentando empurrar as tropas russas de volta ao longo do eixo noroeste de Kiev em direção ao aeródromo de Hostomel.

No sul, a Rússia ainda está tentando contornar Mykolaiv, em uma tentativa de se dirigir para o oeste rumo a Odesa, segundo o Reino Unido. O progresso está sendo retardado pela resistência ucraniana e “questões logísticas”.

O Ministério da Defesa da Rússia disse em uma atualização que usou mísseis guiados Kalibr para atacar um depósito de combustível perto de Kiev.

Comerciantes chineses ajudam Rusal da Rússia (4h10)

A United Co. Rusal International, a grande produtora de alumínio que tem sofrido as consequências negativas da guerra da Rússia na Ucrânia, está recebendo ajuda de traders na China para manter suas fundições funcionando.

Cerca de 30.000 toneladas de alumina - usadas para fazer metal de alumínio - foram carregadas em dois navios com destino à Sibéria depois de deixar a China nas últimas semanas, disseram traders familiarizados com o assunto. A ação ocorre em um momento de intenso escrutínio global quanto ao papel da China na resposta ao crescente isolamento econômico da Rússia.

O iate de magnata sancionado volta para a Rússia (3h13)

Um dos maiores super iates do mundo, supostamente de propriedade do bilionário sancionado Alexey Mordashov, está indo para Vladivostok, uma cidade portuária russa perto do Japão.

O Nord de 465 pés - um navio de US$ 500 milhões com dois helipontos, um cinema e 20 cabines de luxo - está atualmente no Mar da China Meridional. Outros iates ligados à Rússia estão desligando seus transponders, deixando a Europa e navegando em direção ao Oriente Médio, onde podem escapar mais facilmente do monitoramento.

China pode enviar hardware tecnológico para Putin, diz UE (22h47)

Autoridades da União Europeia suspeitam que a China possa estar pronta para fornecer semicondutores e outros equipamentos de tecnologia para a Rússia, como parte de um esforço para amenizar o impacto das sanções impostas pela invasão da Ucrânia.

A UE está preocupada com o fato da China estar disposta a ajudar o governo do presidente Vladimir Putin a enfrentar as penalidades econômicas impostas junto com os EUA, o Reino Unido e o Japão, com foco particular na disponibilidade de componentes de alta tecnologia, de acordo com duas fontes com conhecimento das avaliações internas do bloco.

Johnson diz que aliados podem fortalecer a Ucrânia fora da OTAN (21h38)

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que, mesmo que a Ucrânia não consiga ingressar na OTAN, os aliados podem ajudá-la a criar um efeito de dissuasão enviando equipamentos, treinamento e inteligência, e dando aos ucranianos as “ferramentas para se proteger”.

Johnson também disse que não está otimista de que Putin queira a paz e alertou que a Rússia pode bombardear as cidades da Ucrânia como fez na Chechênia durante as guerras travadas há duas décadas.

Líderes do Báltico se encontram com Zelenskiy em Kiev (15h57)

Os chefes dos parlamentos lituano, estónio e letão visitaram Kiev na quinta-feira (24) para se encontrarem com Zelenskiy.

“A nação ucraniana confia mais em seus países e na Polônia”, disse Zelenskiy em seu gabinete na capital. Ele disse que as tropas russas atacam deliberadamente civis e arruínam a infraestrutura civil enquanto tentam sitiar cidades, criando catástrofes humanitárias. A Ucrânia precisa de sistemas de defesa aérea, jatos, veículos blindados e proteção para civis, e quer sanções mais rígidas contra a Rússia, disse o presidente.

Líderes da UE chegam a acordo sobre moderação das sanções (15h02)

Espera-se que os líderes da União Europeia apoiem uma modesta intensificação nas sanções anteriores contra a Rússia por sua invasão da Ucrânia, mas se abstenham de impor novas medidas importantes, já que os países continuam divididos quanto à questão do fornecimento de energia.

Sob pressão dos EUA e com Biden em Bruxelas como convidado, os líderes provavelmente aprovarão a sanção contra mais magnatas russos e o fechamento de algumas brechas já na noite de quinta-feira (24), segundo diplomatas da UE. Espera-se que eles evitem um grande maior nas compras de petróleo e gás, apesar do impulso de vários países de fazê-lo. A Áustria declarou que não concordará com um embargo de energia.

Biden diz esperar escassez de alimentos ‘real’ (14h57)

Biden disse que o mundo sofrerá escassez de alimentos como resultado da invasão da Ucrânia pela Rússia e pediu aos países que abandonem as restrições comerciais que podem limitar as exportações de alimentos.

“Vai ser real”, disse Biden sobre a escassez de alimentos em uma coletiva de imprensa, em Bruxelas. A Ucrânia e a Rússia são grandes produtores de trigo, em particular, e o governo de Kiev já alertou que o plantio e a colheita do país foram severamente prejudicados pela guerra.

Biden diz que apoia a remoção da Rússia do G-20 (14h40)

A Rússia deve ser removida do Grupo das 20 principais economias dp mundo, disse Biden em uma coletiva de imprensa após reuniões com aliados em Bruxelas. Putin planeja participar da cúpula do G-20 na Indonésia ainda este ano, disse o enviado da Rússia ao país do sudeste asiático.

Biden também disse que falou ao presidente da China, Xi Jinping, que a economia de seu país poderia se colocar sob “risco significativo” se ele apoiasse a invasão da Ucrânia pela Rússia.

– Esta notícia foi traduzida por Marcelle Castro, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

É o ‘momento do Nobel da paz’ da China parar a guerra, diz funcionário da ONU