Internacional

Acidente na China: evidências sinalizam desmembramento em voo

Peça pode ter se soltado devido à resistência do ar durante a queda da aeronave em alta velocidade

Queda continua sendo um mistério para investigadores
Por Alan Levin
25 de Março, 2022 | 11:54 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Pelo menos uma peça do jato 737-800 da Boeing (BA) que caiu na China parece ter se soltado bem antes do impacto – descoberta que aumenta o mistério do acidente fatal.

A peça suspeita de ser originária do jato da China Eastern Airlines (CEA) foi encontrada a cerca de 10 quilômetros da área principal dos destroços, disseram autoridades chinesas em um briefing na quinta-feira (23).

Se os investigadores confirmarem que a peça veio do jato, isso indicaria que o avião sofreu algum tipo de rompimento no ar, o que poderia oferecer pistas sobre o que levou ao acidente ocorrido na segunda-feira (21) ou pelo menos esclarecer os segundos finais do voo.

“As perguntas são: que peça era essa e quando ela saiu?” disse Jeff Guzzetti, ex-chefe de investigações de acidentes da Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos.

PUBLICIDADE

O voo 5735 de Kunming para Guangzhou caiu sem uma chamada de emergência dos pilotos, batendo em uma encosta arborizada a cerca de 160 quilômetros do destino, segundo a Administração de Aviação Civil da China. Havia 132 pessoas a bordo.

A comunicação com o voo era normal antes do acidente, disse o representante da China Eastern, Liu Xiaodong, em entrevista na sexta-feira (24).

A queda incomum intrigou os investigadores de acidentes e especialistas em segurança. Aeronaves como o 737-800 são projetadas para não cair tão agressivamente, então algum tipo de falha da aeronave ou ação do piloto seria necessária para manter o nariz apontado para baixo por tanto tempo.

Uma peça de cerca de 1,3 metro de comprimento e 10 centímetros de largura que pode ter sido do avião foi encontrada em uma fazenda, disse Zheng Xi, chefe da equipe de resgate de combate a incêndios de Guangxi, em briefing.

PUBLICIDADE

É impossível saber neste estágio inicial da investigação se a peça se soltou como resultado da resistência do ar durante a queda em alta velocidade ou se quebrou antes da descida repentina.

Guzzetti disse que a ruptura provavelmente ocorreu quando o avião despencou de uma altitude de cerca de 8,8 mil metros em aproximadamente 1 minuto e 35 segundos.

“Na minha opinião, a peça caiu da aeronave durante a queda”, disse.

Se for esse o caso, os investigadores teriam pistas sobre a velocidade do avião e possíveis manobras do piloto.

Transmissão na queda

A aeronave não se desfez completamente. Ele continuou transmitindo sua posição até atingir 982 metros de altitude, segundo dados coletados pelo serviço de rastreamento Flightradar24, sugerindo que a estrutura principal permaneceu intacta.

Uma análise da Bloomberg News dos dados do Flightradar24 mostrou que o jato voava bem acima das velocidades normais durante o mergulho, possivelmente se aproximando da velocidade do som.

PUBLICIDADE

Ir tão rápido em um jato que não foi projetado para atingir essas velocidades pode fazer com que componentes relativamente leves nas asas e na cauda se soltem, de acordo com uma investigação sobre o acidente de 19 de dezembro de 1997 de um SilkAir 737-300 na Indonésia.

Essa aeronave viajava próxima à velocidade do som quando mergulhou em um rio, concluíram os investigadores. O Comitê Nacional de Segurança no Transporte da Indonésia (ou NTSB, na sigla em inglês) disse que não havia evidências suficientes para dizer o que causou o acidente, mas o NTSB discordou, dizendo que o capitão provavelmente o fez intencionalmente.

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Alan Levin

Alan Levin

Produtor audiovisual com experiência em pesquisa de tendências e criação de conteúdo para diversos segmentos do ramo de entretenimento.

PUBLICIDADE