PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Internacional

Acidente na China: Avião quase atingiu velocidade do som antes do impacto

Além da trajetória incomum – praticamente na vertical – aeronave estava a uma velocidade mais alta que o normal

Embora dispositivo seja resistente, intensidade do impacto pode destruir evidências
Por Alan Levin e Mary Schlangenstein
23 de Março, 2022 | 03:35 pm
Tempo de leitura: 4 minutos

Bloomberg — O jato da China Eastern Airlines (CEA) que caiu na segunda-feira (21) voava próximo à velocidade do som momentos antes de colidir com uma encosta, segundo análise da Bloomberg News de dados de rota de voo.

O impacto pode complicar a tarefa dos investigadores, pois pode obliterar evidências e danificar os dados e os gravadores de voz projetados para resistir à maioria dos acidentes. Uma das duas caixas-pretas foi localizada na quarta-feira (23), segundo autoridades na China.

PUBLICIDADE

O 737-800 da Boeing (BA) voava a mais de 966 quilômetros por hora, e pode ter ultrapassado 1120 quilômetros por hora, de acordo com dados do Flightradar24, site que rastreia voos.

“Os dados preliminares indicam que a aeronave estava próxima da velocidade do som”, disse John Hansman, professor de astronáutica e aeronáutica do Instituto de Tecnologia de Massachusetts que revisou o cálculo da velocidade da aeronave feito pela Bloomberg. “O jato estava caindo praticamente na vertical”.

A velocidade do som é de aproximadamente 1235 quilômetros por hora no nível do mar, mas esse valor diminui com a altitude, pois a temperatura do ar fica mais baixa, chegando a 1067 quilômetros por hora a 10,7 mil metros de altura.

PUBLICIDADE

O voo 5735 ia de Kunming para Guangzhou com 132 pessoas a bordo a uma altitude de cerca de 8,8 mil metros quando iniciou uma descida repentina, de acordo com dados transmitidos pelo avião e capturados pelo Flightradar24. O jato estava cruzando a cerca de 957 quilômetros por hora antes de cair.

Os dados de velocidade são consistentes com vídeos que parecem mostrar a aeronave caindo praticamente na vertical nos momentos antes do impacto e indicam que provavelmente atingiu o solo com muita força.

“Foi um acidente de energia extremamente alta”, disse Bob Mann, presidente da consultoria R.W. Mann & Co., que não participou da análise de velocidade. “Parece que a aeronave literalmente evaporou em uma cratera”.

Autoridades chinesas disseram na quarta-feira que a caixa-preta localizada estava seriamente danificada, mas não disseram qual era – se era o gravador de voz da cabine ou a que captura dados de voo.

Gravadores de caixa-preta modernos, que armazenam dados em chips de computador, têm bom histórico de sobrevivência em acidentes de alta velocidade, disse James Cash, que atuou como consultor técnico de gravadores do Conselho Nacional de Segurança em Transportes dos Estados Unidos.

As placas que armazenam os dados geralmente se soltam do exterior protetor do gravador. Mas geralmente é possível extrair dados mesmo se estiverem danificados, disse Cash antes que a caixa-preta fosse encontrada.

PUBLICIDADE

“Suspeito que vai dar certo”, disse.

Ausência de sinal

A busca pela outra caixa-preta não contará com o auxílio de um sinal – ou “ping” – dos dispositivos porque eles só são ativados quando submersos.

Os dois gravadores do 737-800 da China Eastern foram fornecidos pela divisão aeroespacial da Honeywell International e instalados no avião quando este era novo, segundo o porta-voz da empresa, Adam Kress.

PUBLICIDADE

Ao longo de décadas, os investigadores de acidentes aperfeiçoaram a investigação dos destroços em busca de pistas, mas alguns impactos podem obliterar as evidências. A queda de um 737 Max da Ethiopian Airlines em 2019 foi rastreada devido a um sensor no nariz do avião, mas o sensor nunca foi encontrado depois que o jato atingiu o solo em alta velocidade, segundo relatório preliminar do país.

Os investigadores devem conseguir encontrar dados mais precisos sobre a velocidade do jato a partir de seu gravador de voo. Se este não estiver disponível por algum motivo, especialistas em aerodinâmica podem realizar análises extensas para estimar a velocidade com mais precisão.

Os dados do Flightradar24 incluem a velocidade do jato, mas são medidos horizontalmente em relação ao solo. Os cálculos da Bloomberg oferecem uma ideia aproximada de sua velocidade pelo ar, levando em consideração sua velocidade horizontal em relação ao solo, bem como sua velocidade de queda.

As estimativas de velocidade foram baseadas na rapidez com que o jato passou de um ponto a outro e não contemplou a direção do vento ou outras condições atmosféricas. A análise da Bloomberg foi conservadora, e as velocidades reais podem ser maiores.

PUBLICIDADE

Embora vídeos não verificados mostrassem o avião mergulhando em um ângulo íngreme perto do solo, a velocidade no impacto não ficou clara. A última transmissão de dados capturada pelo Flightradar24 ocorreu a cerca de 975 metros de altitude.

Cerca de 40 segundos antes da última transmissão, o jato parou de descer e subiu brevemente antes de retomar a queda. Durante as últimas etapas do voo, a aeronave diminuiu um pouco a velocidade, de acordo com a análise preliminar.

O avião ainda voava a uma velocidade mais alta que o normal. Normalmente, os jatos não ultrapassam 463 quilômetros por hora em altitudes abaixo de 3 mil metros de altitude. O jato da China Eastern estava viajando a cerca de 756 quilômetros por hora ou mais nessas altitudes, de acordo com dados do Flightradar24.

--Com a colaboração de Claire Che.

PUBLICIDADE

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Alan Levin

Alan Levin

Produtor audiovisual com experiência em pesquisa de tendências e criação de conteúdo para diversos segmentos do ramo de entretenimento.

PUBLICIDADE