Monitor Covid-19

Pfizer pede que agência reguladora dos EUA libere novo reforço para idosos

Objetivo de dose adicional é proteger adultos vulneráveis à medida que a imunidade fornecida pelas três primeiras doses diminui

Pfizer busca aprovação de uso emergencial de segundo reforço de sua vacina.
Por Riley Griffin
16 de Março, 2022 | 12:09 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Pfizer (PFE) informou que pediu aos reguladores dos Estados Unidos a liberação de um reforço adicional da vacina contra a covid-19 para idosos, em uma tentativa de proteger adultos vulneráveis à medida que a imunidade fornecida pelas três primeiras doses diminui.

A farmacêutica com sede em Nova York e sua parceira alemã BioNTech SE disseram na terça-feira (15) que buscaram uma autorização de uso emergencial da Food and Drug Administration (FDA), a Anvisa dos EUA, para um segundo reforço de sua vacina, Comirnaty, para pessoas com 65 anos ou mais que já receberam uma vacina de reforço de qualquer uma das vacinas contra a covid-19 autorizadas.

A Pfizer e a BioNTech disseram que enviaram dados à FDA de Israel, que começou a oferecer uma quarta dose para idosos e profissionais de saúde no ano passado, quando a variante ômicron estava circulando.

Os dados mostraram que uma quarta injeção dada pelo menos quatro meses após a terceira reduziu a taxa de infecção e doenças graves em comparação com aqueles que receberam apenas uma dose de reforço, de acordo com uma análise dos registros do Ministério da Saúde de Israel para mais de 1,1 milhão de adultos com 60 anos ou mais sem histórico conhecido de infecção por covid.

PUBLICIDADE

As empresas também enviaram dados de um estudo com profissionais de saúde em Israel, que descobriu que a equipe que recebeu uma quarta dose da vacina tinha níveis mais altos de anticorpos de combate à covid, inclusive contra a ômicron, do que aqueles que receberam três doses.

Veja mais: China bloqueia centro tecnológico de Shenzhen com aumento de casos de covid

Segundo comunicado enviado na terça-feira, a FDA planeja revisar o pedido rapidamente. A agência também está planejando uma reunião de seu painel consultivo externo no próximo mês para discutir se e quando os reforços podem ser necessários ainda este ano e para quais pessoas.

No dia 13 de março, o CEO da Pfizer, Albert Bourla, disse em entrevista à CBS que uma quarta dose da vacina era necessária “agora”, já que a proteção contra as três primeiras injeções havia diminuído.

PUBLICIDADE

Nos EUA, pessoas com 12 anos ou mais podem receber uma única dose de reforço da vacina Comirnaty se já tiverem concluído o regime de duas doses da Pfizer-BioNTech. Entre aqueles que inicialmente receberam uma injeção desenvolvida pela Moderna Inc. ou Johnson & Johnson, apenas os maiores de 18 anos podem receber um reforço Comirnaty.

As pessoas que receberam uma terceira dose geralmente se saíram melhor contra as variantes delta e ômicron do que as pessoas que receberam apenas duas doses, de acordo com estudos dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês) divulgados no início deste ano.

Embora os casos de covid-19 tenham caído acentuadamente em relação ao pico do inverno nos EUA, há sinais de que outro aumento nas infecções pode ocorrer nas próximas semanas. Mais de um terço dos locais de amostragem de águas residuais do CDC nos EUA mostraram tendências crescentes de vírus no início deste mês.

A Pfizer também está estudando uma vacina específica para ômicron e uma vacina híbrida que teria como alvo a ômicron juntamente com variantes anteriores. A empresa deve divulgar dados sobre esses esforços em abril.

O CDC recomenda que algumas pessoas imunocomprometidas recebam uma primeira série de três injeções de mRNA e uma quarta dose como reforço.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também:

Falsas debêntures: Investidores denunciam golpe em site de Campinas

PUBLICIDADE