Saúde

Covid supera marca de 6 milhões de óbitos

Contudo, ritmo das mortes aparenta estar diminuindo e se aproximando daquele visto no início da pandemia

A falta de acesso a doses ou a recusa a se vacinar representa grande risco
Por Jinshan Hong
07 de Março, 2022 | 03:11 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Mais de 6 milhões de pessoas em todo o mundo morreram de covid-19 dois anos depois que o vírus começou a se espalhar globalmente, apesar da distribuição de vacinas que consideravelmente reduziram as taxas de mortalidade em todo o mundo.

As mais recentes 1 milhão de mortes registradas ocorreram mais lentamente do que os intervalos anteriores. Demorou cerca de 125 dias para o número passar de 5 milhões para 6 milhões, em comparação com 117 dias para atingir a marca de 5 milhões e menos de 90 dias cada para atingir a casa de 3 e 4 milhões. O ritmo voltou ao que era visto durante o primeiro ano da pandemia, quando o vírus ainda estava se espalhando.

Ritmo de óbitos por covid vem diminuindodfd

A covid continua matando milhares de pessoas todos os dias. Outros bilhões permanecem não vacinados, seja porque não têm acesso às vacinas ou não estão dispostos a receber as doses, ficando estas pessoas expostas à infecção e o mundo vulnerável a novas variantes.

Apenas os Estados Unidos foram responsáveis por 16% deste o último milhão de mortes – a maior parcela de qualquer país. O Brasil responde por 11% desse total, e a Índia, por 9%.

PUBLICIDADE
EUA e Brasil lideram listadfd

--Este texto foi traduzido por Bianca Carlos, localization specialist da Bloomberg Línea.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE