ESG

Hashdex contrata Nicole Dyskant, ex-Bradesco, para chefe de compliance

A Hashdex está em um esforço para ampliar seus escritórios e tem outras 20 vagas abertas

Ela atuou como diretora do Bradesco BBI quando a empresa comprou a Ágora Corretora, em 2008, onde era Chief of Legal and Compliance
Por Rachel Gamarski
03 de Março, 2022 | 12:05 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A Hashdex, a maior gestora de criptoativos da América Latina, contratou a advogada Nicole Dyskant como nova chefe global do jurídico e compliance. Dyskant começou em fevereiro e trabalhará da sede da empresa, no Rio de Janeiro. A advogada liderará uma equipe com 6 pessoas e está contratando mais uma, disse ela em entrevista.

Dyskant vê a aprovação da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado do projeto que regulamenta os criptoativos no Brasil como um bom começo, mas com um longo caminho pela frente. “O Brasil precisa regular o patrimônio separado das exchanges e mercados de balcão nacionais dentre outros procedimentos, além da custódia de criptoativos e sua submissão a regras de prevenção à lavagem de dinheiro, segurança e transparência. A lei aprovada pela comissão do Senado é um bom marco inicial, mas deve ser aprimorada em alguns aspectos”, disse.

Veja mais: Senado dá primeiro passo para regular mercado de criptoativos

Dyskant atuou como diretora do Bradesco BBI quando a empresa comprou a Ágora Corretora, em 2008, onde ela era Chief of Legal and Compliance. Dyskant também foi sócia do ACA Compliance Group e assessorou mais de 250 gestores de ativos com regulação por meio de seu escritório, Dyskant Advogados.

PUBLICIDADE

A Hashdex está em um esforço para ampliar seus escritórios e tem outras 20 vagas abertas. O mais recente escritório da empresa, em Nova York, está em busca de um chefe de pesquisa e um analista. No Rio de Janeiro, a companhia quer reforçar o escritório do Rio de Janeiro com mais de 15 vagas abertas.

A gestora de criptomoeda quer contratar 45 pessoas em SP, Rio e NY

No ano passado, a Hashdex levantou cerca de US$ 26 milhões de investidores incluindo o SoftBank, a Coinbase e a Valor Capital. Outros investidores incluíram a brasileira Igah Ventures, a Globo Ventures e a Canary. Em agosto, a empresa lançou o fundo de hedge Victory Hashdex Nasdaq Crypto Index em parceria com a Victory Capital. E protocolou junto à SEC, xerife do mercado de capitais dos EUA, o que a Hashdex disse que seria o primeiro ETF de multicriptomoedas nos Estados Unidos, que seguiria as variações do índice de criptomoedas da Nasdaq.

Veja mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Estrangeiro aposta R$ 62,6 bi em ações brasileiras no 1º bimestre

AO VIVO: Putin diz que o pior ainda está por vir; navio estoniano é atingido

PUBLICIDADE