Viagens

Caos nas viagens de Natal se aprofunda e companhias cancelam mais de 800 voos nos EUA

Aumento dos casos de Covid e mau tempo são principais causas

Nova variante se espalha rapidamente pelos Estados Unidos e impacta viagens de fim de ano
Por Justin Bachman e Will Davies
24 de Dezembro, 2021 | 03:38 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Empresas aéreas americanas cancelaram mais de 800 voos no fim de semana do feriado, com a United Airlines e a Delta liderando os cancelamentos, diante do aumento dos casos de Covid no país e do mau tempo em algumas regiões.

De acordo com a plataforma de dados aéreos FlightAware.com, no mundo, mais de 3.500 viagens para sexta e sábado foram canceladas. China Eastern e Air China ficaram em segundo lugar, e o aeroporto mais afetado foi na cidade chinesa de Xi’an, onde o governo de Pequim estabeleceu duras restrições após um novo surto de Covid.

A United Airlines deu início aos cancelamentos nos Estados Unidos na noite de quinta-feira (23), totalizando 280 voos para a véspera e para o dia de Natal cancelados. A FlightAware informou que a Delta cortou 278 voos. A JetBlue cortou 72 voos, ou 7% de sua programação de sexta-feira (24), de acordo com o site.

O caos nas viagens mostra o poder da variante ômicron, que está aumentando rapidamente o número de casos nos Estados Unidos, os quais subiram quase seis vezes em apenas uma semana, tornando-se a variante dominante no país. A United disse em um e-mail na quinta-feira que a dispara de casos pela ômicron estava limitando a disponibilidade de tripulações de voo e funcionários em terra. A Delta atribuiu suas interrupções a uma combinação de razões.

PUBLICIDADE

“À medida que o inverno afeta o noroeste e nordeste dos EUA e a variante ômicron continua a aumentar, as equipes da Delta esgotaram todas as opções e recursos” antes de recorrer aos cancelamentos, disse a Delta em um comunicado por e-mail na sexta-feira (24).

As férias são uma das épocas mais difíceis para viajar. A Administração de Segurança do Transporte dos EUA estimou que os dias 22 e 23 de dezembro seriam as datas de viagem pré-natal mais movimentadas, e 2 e 3 de janeiro as mais cheias pós-natal.

“Infelizmente, tivemos que cancelar alguns voos e estamos notificando os clientes afetados com antecedência”, disse a United. “Lamentamos a interrupção e estamos trabalhando muito para remarcar o maior número possível de pessoas e colocá-las no caminho para as férias.”

A JetBlue não respondeu imediatamente às perguntas enviadas por e-mail sobre a causa de seus cancelamentos.

PUBLICIDADE

O clima agravou os problemas das companhias aéreas em alguns aeroportos importantes dos EUA. O Aeroporto Internacional O’Hare de Chicago, um hub da United e American Airlines, teve o maior número de partidas tardias nos EUA, com 65. Névoa e nuvens baixas limitaram a visibilidade a menos de 2 milhas (3,2 quilômetros).

Globalmente, os cancelamentos aumentaram no Aeroporto Internacional de Xi’an Xianyang, na cidade chinesa onde o governo puniu as autoridades locais por não conterem um surto que levou ao maior bloqueio de circulação desde o surgimento da Covid em Wuhan. Quase um terço dos voos que partiam do aeroporto foram cancelados na sexta-feira, enquanto cerca de 25% foram cancelados no dia de Natal, de acordo com a FlightAware.

Na Europa, a britânica EasyJet disse que cancelou alguns voos entre o Reino Unido, França e a Alemanha para o resto de dezembro, após a introdução de restrições aos viajantes do Reino Unido para esses países.

- Com a ajuda de Charlotte Ryan e Maria Elena Vizcaino.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

PUBLICIDADE