PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Dólar vai a R$ 5,66 e juros disparam no pós-Copom, com fiscal no radar

Ressaca do Copom e novas preocupações com a situação fiscal do país ditaram negócios; Ibovespa descola do exterior de recordes, mais uma vez, e fecha no vermelho

Rumos das contas do governo preocupam mercado
28 de Outubro, 2021 | 05:49 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Mesmo após sair do terreno negativo e registrar um avanço, o Ibovespa descolou do exterior acabou encerrando o pregão desta quinta-feira (28) em queda, enquanto as taxas dos juros futuros dispararam. Enquanto o mercado ainda analisava a decisão de ontem do Copom, os investidores foram surpreendidos com a notícia de que o governo planeja estender o auxílio emergencial caso a PEC dos Precatórios não passe na Câmara, o que azedou o clima nas mesas de negociação.

As dificuldades enfrentadas pela proposta de emenda constitucional (PEC) dos Precatórios na Câmara estão fazendo com que o governo considere a possibilidade de prorrogação ao auxílio emergencial, segundo a CNN Brasil. De acordo com fontes ouvidas pelo veículo, ministros indicaram a líderes que o governo avalia decretar um novo estado de calamidade pública, o que viabilizaria gastos além do teto.

Ontem, o Banco Central acelerou o passo de alta da Selic para 1,5pp, levando a taxa para 7,75%, e sinalizou outro aperto de mesma magnitude em dezembro. Alguns analistas, no entanto, consideraram o comunicado levemente dovish, tanto por dar o mesmo peso para 2022 e 2023 no horizonte relevante quanto à necessidade de uma linguagem mais dura para a inflação. Outros ainda viram avaliação menos incisiva sobre as recentes mudanças no teto de gastos.

Enquanto isso, lá fora, as bolsas americanas fecharam no azul, com o Nasdaq e o S&P 500 marcando novos recordes em meio a resultados corporativos acima do esperado.

dfd
  • Câmbio: Perto das 17h40, o dólar operava em alta de 2,22% a R$ 5,66
  • Bolsa: O Ibovespa fechou em queda de 0,49%, a 105.840 pontos
  • Juros: O DI com vencimento para janeiro de 2023 disparou de 11,41% para 12,48%. A taxa para janeiro de 2025 foi de 11,65% para 12,71%
  • Exterior: Em Nova York, o Dow Jones fechou em alta de 0,68%, o S&P 500 0,98% e o Nasdaq 1,39%
  • Bitcoin: Por volta das 17h40, a criptomoeda operava em alta de 5,38%, a US$ 61.781

-- Com informações de Bloomberg News

Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.