PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Governo admite possibilidade de prorrogar auxílio emergencial

Conforme a CNN Brasil, governo avalia decretar um novo estado de calamidade pública para viabilizar benefício

Novo decreto de calamidade pública pode ser adotado, dada resistência com a PEC dos Precatórios na Câmara, diz reportagem
28 de Outubro, 2021 | 01:26 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg Línea — Com as dificuldades enfrentadas pela proposta de emenda constitucional (PEC) dos Precatórios na Câmara, o governo já admite a possibilidade de prorrogação ao auxílio emergencial, segundo a CNN Brasil. De acordo com fontes ouvidas pelo veículo, ministros indicaram a líderes que o governo avalia decretar um novo estado de calamidade pública, o que viabilizaria gastos além do teto.

A emissora diz que o ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, e a ministra da Secretaria de Governo, Flávia Arruda, trataram do tema com os líderes partidários da Câmara hoje (28). Mesmo com a ideia tendo adesão entre deputados e senadores, integrantes do governo já preparam um discurso para justificar a medida. A última parcela do auxílio vigente foi paga em outubro.

Veja mais: Guedes: Governo estuda pedir ‘waiver’ de R$ 30 bi para bancar benefício

A justificativa seria a de que como o Congresso não aceitou a PEC, o presidente Jair Bolsonaro não teve outra alternativa que não fosse prorrogar o auxílio para atender os mais pobres.

PUBLICIDADE

A CNN diz ter ouvido membros da equipe econômica, que disseram que não é necessária uma nova decretação de calamidade para que o auxílio seja estendido, já que não há mais elementos ligados à Covid para justificar. Uma PEC especificamente para este fim pode ser uma alternativa, conforme a emissora.

Leia também

Malan: não há chance para reforma consistente no ‘apagar das luzes’


Igor Sodré

Igor Sodré

Jornalista com formação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com experiência na cobertura de cultura e economia, tendo como foco mercado financeiro e companhias. Passou pela Bloomberg News e TradersClub.