PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Quem é o negociador mexicano em Xangai por trás do Spac de Trump?

Abraham Cinta ajudou a listar mais de uma dúzia de empresas nos EUA e esteve envolvido em mais de US$ 2 bilhões em negócios

Ex-presidente Donald Trump participa de Spac com negócio em rede social
Por Ben Scent e Crystal Tse
24 de Outubro, 2021 | 05:10 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — Um negociador mexicano na China foi um dos principais arquitetos por trás do acordo do ex-presidente Donald Trump com uma empresa de propósito de aquisição (Spac).

A ARC Group Ltd., com sede em Xangai, foi consultora da parceira de fusão de Trump, a Digital World Acquisition Corp., e foi encarregada de construir o pipeline de negócios do Spac, de acordo com seu prospecto de listagem. A boutique é liderada pelo fundador mexicano Abraham Cinta, que viveu no centro financeiro chinês por mais de oito anos.

Abraham Cinta ajudou a listar mais de uma dúzia de empresas nos EUA e esteve envolvido em mais de US$ 2 bilhões em negócios, de acordo com uma biografia de palestrante não datada publicada em um site de conferência de private equity. Ele estudou administração de empresas internacionais e já trabalhou no Ministério do Bem-Estar do México, mostra a biografia.

Leia mais: Trump pode ganhar bilhões com ‘meme stocks’ em negócio com Spac

PUBLICIDADE

O banqueiro ajudou a abrir a ARC em 2015 e agora atua como seu CEO. A empresa também tem escritórios na cidade chinesa de Wuhan, bem como na Cidade do México, Jacarta e Singapura, de acordo com seu site. Cinta recusou um pedido de entrevista, e uma ligação para a sede da ARC em Xangai não foi atendida fora do horário comercial normal.

Os links globais da Spac são ainda mais surpreendentes, dados os comentários de Trump sobre alguns países estrangeiros durante o mandato. O ex-presidente estava frequentemente em desacordo com a China e atacou o rival de 2020, Joe Biden, sobre os laços comerciais de seu filho Hunter Biden com a maior economia da Ásia. Trump também assumiu uma postura dura em suas negociações com o México, ameaçando construir um muro na fronteira do país com os EUA. O muro continua parcialmente construído.

Rede internacional

A Digital World Acquisition anunciou em 20 de outubro que se fundirá com a Trump Media & Technology Group Corp. em um negócio que avalia a companhia em até US$ 1,7 bilhão. A corretora norte-americana EF Hutton foi citada no anúncio como consultora da Digital World Acquisition no negócio.

O papel da ARC era mais nos bastidores. Ela possui uma participação no patrocinador da Digital World Acquisition, o que significa que é parte do grupo que reuniu o Spac e obtém ações com desconto que a ajudará a se beneficiar de uma transação bem-sucedida, disseram pessoas com conhecimento do assunto.

PUBLICIDADE

Um representante da Digital World Acquisition não comentou. Um porta-voz do ex-presidente encaminhou perguntas à Trump Media, que não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

A ARC trabalhou em várias outras transações envolvendo Spacs, incluindo muitas com um ângulo internacional. Estava por trás da PHP Ventures Acquisition Corp., com sede na Malásia, que arrecadou US$ 57,5 milhões em agosto para um negócio na África. A empresa também está assessorando o ex-banqueiro do Citigroup Inc., Jonathan Chan, da Aetherium Acquisition Corp., que busca US$ 100 milhões para uma aquisição na área de tecnologia educacional na Ásia.

A boutique também é uma colaboradora frequente de Patrick Orlando, o financista que administra a Digital World Acquisition, e estruturou vários Spacs com ele.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Spac de Donald Trump pode levar ‘meme stock’ ao extremo

PUBLICIDADE

Bolsonaro usa estratégia de Trump e põe em xeque confiabilidade das eleições