Mercados

Trump pode ganhar bilhões com ‘meme stocks’ em negócio com Spac

Ações da Digital World, que está se fundindo com o novo empreendimento de Trump, subiram mais de 800% em relação ao preço de oferta de US$ 10 usado em Spac

Empresário pode ganhar bilhões com empresa de mídia social
Por Sophie Alexander, Tom Maloney e Crystal Kim
23 de Outubro, 2021 | 05:57 pm
Tempo de leitura: 5 minutos

Bloomberg — A fortuna decadente de Donald Trump está subitamente pronta para receber um grande impulso com a mania das meme stocks.

A notícia na noite de quarta-feira de que a empresa de mídia nascente do ex-presidente, Trump Media & Technology Group, está planejando abrir o capital por meio de uma empresa de propósito de aquisição (Spac), deixou os investidores de varejo em um frenesi, mesmo com poucos detalhes divulgados. O ganho em ações elevou o valor implícito do novo empreendimento para mais de US$ 8,2 bilhões.

Com base em números de comunicados à imprensa e arquivamentos para a SEC (Securities and Exchange Commission), parece que Trump terá mais de 50% da empresa combinada. Em seu valor atual, isso o tornaria mais rico que já foi, ante seu patrimônio líquido estimado agora de US$ 2,5 bilhões, de acordo com o Bloomberg Billionaires Index.

Veja também: Elon Musk se tornará o primeiro trilionário com SpaceX, diz Morgan Stanley

PUBLICIDADE

Na montanha-russa das negociações alimentadas pelo Reddit e pela grandiosa campanha publicitária da Spac, esses ganhos dificilmente são garantidos. Mas o dinheiro apostando em um conglomerado de mídia com a marca Trump sinaliza uma reviravolta para um período pós-presidencial que não foi muito amigável com o império empresarial do bilionário.

Seu hotel em Washington, que foi colocado à venda pela primeira vez em 2019, ainda busca compradores, enquanto a torre de escritórios do centro de Manhattan que leva seu nome tem vagas crescentes. Neste verão, o diretor financeiro da Trump Organization foi acusado de fraude fiscal. O patrimônio líquido de Trump diminuiu cerca de US$ 500 milhões desde que ele entrou na Casa Branca, com a pandemia e as consequências do motim de janeiro no Capitólio, afetando seus interesses comerciais.

Veja também: Spac de Donald Trump pode levar ‘meme stock’ ao extremo

Agora surge a mídia social que Trump, o líder nas pesquisas para a indicação presidencial do Partido Republicano em 2024, vem ameaçando criar há algum tempo. Existem muitas razões para duvidar desse valuation. Passará meses antes que o novo empreendimento lance publicamente seu primeiro produto, uma plataforma de mídia social chamada Truth Social. E já existem problemas técnicos. Na quinta-feira, a página da Truth Social foi hackeada para fazer parecer que Trump compartilhou uma foto de um porco defecando.

PUBLICIDADE

Também não está claro como Trump planeja construir uma plataforma de mídia social na escala do Twitter nos próximos meses, muito menos um serviço de streaming, que é a próxima fase dos planos da Trump Media, de acordo com o comunicado de imprensa anunciando a empresa. Essa declaração foi fraca em números, mesmo para os padrões do Spac.

“Não temos dados financeiros. Não temos plano de negócios. Não sabemos como chegaram ao valuation. Não temos informações “, disse Kristi Marvin, presidente-executiva da empresa de pesquisas Spac Insider. “Esse é o problema fundamental.”

Os representantes da Trump e da Trump Media não responderam aos pedidos de comentário.

A empresa tem planos ambiciosos que também incluem uma potencial “tech stack” para competir com a AWS da Amazon.com Inc. e a nuvem do Google, entre outras, de acordo com uma apresentação no site da Trump Media. A partir de agora, o conselho da Digital World tem poucos membros com experiência em mídia. Seu diretor executivo, Patrick Orlando, é um ex-trader de derivativos do Deutsche Bank AG que cofundou uma empresa de trading de açúcar e abriu uma firma bancária, Benessere Capital, antes de, mais recentemente, adotar os Spacs.

Até agora, os investidores de varejo têm pouca preocupação. As ações da Digital World Acquisition Corp., a empresa que está se fundindo com o novo empreendimento de Trump para torná-lo negociado em bolsa, fecharam na sexta-feira a US$ 94,20 - acima dos US$ 9,96 antes do anúncio do negócio na quarta-feira. É também um aumento de mais de 800% de um preço de oferta de US$ 10 que normalmente é usado em um acordo de fusão Spac.

O comunicado à imprensa disse que a nova empresa teria um valor inicial de US$ 875 milhões. Assumindo que o cálculo usou US$ 10 por preço de oferta de ações e US$ 293 milhões que a Digital World tem acertado, os controladores da Spac obterão cerca de 42% da empresa combinada após contabilizar as ações que o patrocinador recebe se um negócio for fechado.

PUBLICIDADE

Isso deixa 58% para Trump e quaisquer parceiros que ele tenha na Trump Media. Essa participação vale quase US$ 4,8 bilhões, com base no último preço da Digital World. A empresa inteira está sendo avaliada pelo mercado em cerca de US$ 8,2 bilhões, em comparação com a avaliação patrimonial de quase US$ 50 bilhões do Twitter Inc..

Com o valuation da nova empresa de mídia superando o valor da companhia de US$ 875 milhões acordado por Trump, ele pode ter sido capaz de negociar um acordo ainda melhor. Os termos do acordo precisarão ser divulgados de forma mais completa e ainda podem mudar antes que um contrato seja votado pelos acionistas, um evento que provavelmente ocorrerá a meses de distância.

Tensões de negócios

A maior parte da riqueza atual de Trump está ligada à Trump Organization, uma empresa imobiliária em expansão que foi prejudicada pela pandemia e por problemas legais. Também há pelo menos US$ 590 milhões em dívidas com vencimento nos próximos quatro anos vinculadas às propriedades da empresa, mais da metade dos quais é pessoalmente garantida por Trump.

Em abril, a empresa obteve uma vitória quando seu sócio em dois empreendimentos, Vornado Realty Trust, refinanciou dívidas vinculadas à sua torre de São Francisco, trazendo US$ 617 milhões para seus proprietários. A Trump Organization também parece estar fechando a venda do Trump International Hotel de Washington, que foi um ponto de encontro para aliados políticos, lobistas e figuras conservadoras da mídia durante sua administração.

PUBLICIDADE

“Somos uma das empresas imobiliárias menos alavancadas do país em relação aos nossos ativos”, disse Eric Trump, filho de Trump, na época do negócio com a Vornado. No papel, ele e seu irmão Donald Trump Jr. têm liderado a Organização Trump. O diretor financeiro Allen Weisselberg deixou suas várias funções após sua acusação. A empresa também foi acusada de 15 acusações criminais em Nova York.

Trump não deu sinais de que retornará à Organização Trump. Seu foco agora é dominar o Partido Republicano e seu novo projeto de mídia, o que lhe daria um caminho para se conectar com apoiadores e arrecadar dinheiro depois que ele foi banido do Facebook e Twitter. Isso seria fundamental se ele optar por um segundo mandato em 2024.

Quando Trump concorreu pela primeira vez à presidência, ele afirmou ter uma fortuna de US$ 10 bilhões. Agora, o frenesi das negociações de varejo pode aproximá-lo um pouco mais de chegar lá.