Negócios

Enauta paralisa um dos principais campos fornecedores de gás no Nordeste

Interrupção na produção do Campo de Manati, na Bahia, não tem prazo de duração; causas de vazamento de gás são investigadas

Enauta planeja concluir a venda do Campo de Manati até o fim deste ano
28 de Setembro, 2021 | 10:54 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — A Enauta interrompeu a produção do Campo de Manati, localizado nas águas rasas da Bacia de Camamu, no litoral da Bahia, após um vazamento de gás, informou a companhia, nesta terça-feira (28). É um dos principais campos fornecedores de gás da região Nordeste.

As causas do incidente estão sendo investigadas, e não há ainda previsão de retorno. A Enauta dimensionou o vazamento como “pequeno” e situou o problema “na parte terrestre do duto entre a estação de compressão e a estação de tratamento de gás”.

Diante do vazamento, a companhia disse que, ontem (27), decidiu interromper a produção “de forma preventiva”.

Novo dono

A Enauta possui 45% de participação no Campo de Manati. No dia 16 de agosto de 2020, a empresa anunciou um acordo de venda para a Gas Bridge de sua participação. Até o próximo dia 31 de dezembro, a empresa espera concluir o contrato.

PUBLICIDADE

A Gas Bridge é uma sociedade criada por João Carlos de Luca, ex-diretor da Petrobras, Marco Tavares, fundador da Gas Energy, e Esteban Papanicolau, que foi da Nova Gas International e da TransCanada Pipelines no Cone Sul nos anos 1990.

Campo de Manati no Nordeste

O Campo de Manati é um dos principais fornecedores de gás da região Nordeste. A Enauta, uma das principais empresas de controle privado do setor de exploração e produção no Brasil, detém ainda a operação do Campo de Atlanta, localizado nas águas profundas da Bacia de Santos (SP), com participação de 50%.

Descoberto em 2000 e com a produção iniciada em 2007, Manati foi um dos maiores campos de gás natural não associado no Brasil. Os poços de Manati são interligados por linhas submarinas à plataforma PMNT-1, uma unidade fixa de produção instalada em uma profundidade de lâmina d’água de 35 m, situada a 10 km da costa. A partir dela, o gás flui por um gasoduto de 36 km de extensão até a Estação de Compressão (SCOMP), onde é comprimido e percorre mais 89 km até a estação de processamento (EVF). Além de gás, o Campo de Manati também produz o condensado.

Leia também

Embraer: China será o maior mercado de aviação comercial do mundo

Sérgio Ripardo

Sérgio Ripardo

Jornalista brasileiro com mais de 25 anos de experiência, com passagem por sites de alcance nacional como Folha e R7, cobrindo indicadores econômicos, mercado financeiro e companhias abertas.