Mercados

Vale lidera pregão com minério de ferro de volta aos US$ 120

Ações da mineradora subiam com recuperação da commodity no exterior; Usiminas cai após paralisação do Alto Forno

Papéis da mineradora brasileira subiam 1,4%, a R$ 78,77
27 de Setembro, 2021 | 10:42 am
Tempo de leitura: <1 minuto

Bloomberg Línea — As ações da Vale lideravam o pregão brasileiro desta segunda-feira (27) seguindo a alta do minério de ferro no exterior, que voltou a negociar acima dos US$ 120 a tonelada com maior demanda pelas siderúrgicas chinesas.

  • Perto das 10h30, os papéis da mineradora brasileira subiam 1,4%, a R$ 78,77, enquanto a CSN avançava 1,38%, a R$ 29,40.
  • Enquanto isso, os papéis da Usiminas recuavam 2,09%, a R$ 15,91, após a companhia anunciar a parada das operações do Alto Forno por um período de 90 a 150 dias
  • As ações da Gerdau operavam em estabilidade, negociadas a R$ 26,54

Alta do minério de ferro na China

O minério de ferro superou US$ 120 a tonelada e acelerou sua recuperação depois de atingir o nível mais baixo em mais de um ano. Investidores voltaram a apostar na commodity com a perspectiva de aumento dos estoques das siderúrgicas antes de um feriado prolongado na China.

  • Os futuros em Singapura chegaram a subir mais de 9% na segunda-feira com expectativas de maiores estoques depois da desaceleração no verão chinês.
  • Os lucros de usinas chinesas avançaram para o nível mais alto desde maio, segundo um indicador da Bloomberg Intelligence.

Paralisação do Alto Forno da Usiminas

A Usiminas paralisou as operações do Alto Forno por um período de 90 a 150 dias após um incidente ocorrido no equipamento localizado na usina de Ipatinga (MG), no Vale do Aço, na última sexta-feira (24).

  • Segundo a companhia, a expectativa menor produção de aço bruto com a utilização de seus estoques e com a compra de placas no mercado, minimizando o impacto no atendimento dos compromissos com os seus clientes”, informou a siderúrgica mineira, nesta segunda-feira (27).

--Com informações da Bloomberg News

PUBLICIDADE

Leia também

China promete frear ‘expansão desordenada’ de empresas tech