PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Tech

TikTok enfrenta sondagens de dados da UE sobre segurança infantil

Há preocupação de que certos dados de usuários poderiam ser acessados por engenheiros de manutenção e inteligência artificial na China

Plataforma é investigada sobre regras de segurança de dados na UE
Por Stephanie Bodoni
15 de Setembro, 2021 | 09:32 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — O TikTok enfrenta duas investigações dos reguladores irlandeses após um intenso escrutínio que demorou meses sobre preocupações de que dados de crianças não estão seguros na plataforma.

A Comissão de Proteção de Dados da Irlanda afirmou na terça ter aberto duas investigações “por vontade própria” sobre o TikTok, da ByteDance Ltd., em meio a preocupações sobre a forma como lida com os dados de seus usuários. O regulador irlandês se tornou a principal autoridade de proteção de dados do TikTok na União Europeia em dezembro.

PUBLICIDADE

Veja mais: TikTok testa formato de conteúdo que expira nos moldes do Snapchat e Instagram

A primeira investigação analisará o processamento de dados de usuários menores de idade do TikTok para conferir se estão de acordo com as regras de proteção da UE. A segunda segue as preocupações expressas pela chefe de privacidade irlandesa, Helen Dixon, de que certos dados de usuários da UE poderiam ser acessados por “engenheiros de manutenção e inteligência artificial na China”.

A autoridade irlandesa tem dezenas de investigações sobre privacidade abertas contra gigantes da tecnologia, que podem enfrentar pesadas multas por violações do Regulamento Geral de Proteção de Dados da UE, que concedeu às comissões de dados poderes de multas sem precedentes.

PUBLICIDADE

WhatsApp, da Facebook Inc. foi multado em 225 milhões de euros (US$ 266 milhões) no início deste mês, após uma penalidade recorde de 746 milhões de euros contra a Amazon.com Inc. pelos reguladores de dados de Luxemburgo.

“A privacidade e a segurança da comunidade TikTok, particularmente de nossos membros mais jovens, é nossa maior prioridade”, segundo comunicado da empresa na terça-feira, acrescentando que cooperará com a autoridade irlandesa. “Implementamos políticas e controles abrangentes para proteger os dados do usuário e contamos com métodos aprovados para transferência de dados da Europa, como cláusulas contratuais padrão.”

Veja mais em bloomberg.com

Leia também:

Quantos dias teria que se trabalhar no Brasil para comprar o novo iPhone?

Amazon e Walmart estão vencendo a guerra do mercado de trabalho

Falta de mão de obra agrava gargalo logístico, diz Caterpillar

PUBLICIDADE