PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Green

Fundos buscam profissionais que realmente entendam regras ESG

A falta de experiência surge como um obstáculo importante para o investimento ESG com base em dados

Pontuação de políticas ESG dos países-membros
Por Frances Schwartzkopff
15 de Setembro, 2021 | 05:27 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Uma das maiores associações de fundos da Europa diz que seus membros sentem falta de profissionais com habilidades científicas necessárias para trabalhar com as novas regulamentações de finanças sustentáveis.

Marc-Andre Bechet, vice-diretor-geral da Associação da Indústria de Fundos de Luxemburgo, diz que as regras europeias destinadas a evitar metas infundadas, o chamado greenwashing, e canalizar recursos para empresas que não poluem obrigam profissionais de investimento a se aprofundarem em assuntos altamente complexos, além de sua especialização atual.

O Regulamento para Divulgação de Finanças Sustentáveis da União Europeia, que entrou em vigor em março, representa o conjunto de regras mais ambicioso já criado para garantir que profissionais de investimento documentem informações divulgadas sobre estratégias ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês). Gestores de fundos também precisam declarar os riscos climáticos representados pelos ativos com base em uma rigorosa taxonomia, se quiserem ter sucesso dentro do novo marco regulatório.

“Não são consultores financeiros. São cientistas”, disse Bechet sobre os especialistas por trás das novas regulamentações com foco no clima. Portanto, o setor “também precisará de novos especialistas”. Mas agora “é difícil encontrar um especialista... e isso é general. Não apenas para reguladores, para todos nós.”

PUBLICIDADE

Veja mais: Credit Suisse pede ‘mais pressão’ sobre classificações ESG

A falta de experiência surge como um obstáculo importante para o investimento ESG com base em dados. Pesquisa recente realizada pelo HSBC revelou que a falta de profissionais qualificados é o principal motivo que impede investidores de buscarem estratégias sustentáveis de maneira mais ampla e completa. A falta de conhecimento também representa um risco à medida que reguladores se tornam mais rigorosos sobre a divulgação de metas ESG infundadas.

A complexidade das novas regulamentações climáticas representa “uma avalanche” em comparação com as atualizações anteriores das regras que profissionais financeiros devem seguir, disse Bechet.

O novo conjunto de regras ESG da Europa também é consideravelmente mais desafiador do que a onda de regulamentações na esteira da crise financeira de 2007 e 2008, disse Bechet. “Isso é algo muito mais amplo, diverso e complexo”, disse.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Eurasia prevê ‘eleições disfuncionais’ em 2022 no Brasil

Quantos dias teria que se trabalhar no Brasil para comprar o novo iPhone?

Pfizer: Eficácia de vacina contra Covid diminui com o tempo