PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Mercados

Principal do dia: semana começa amena no exterior; política local fica no radar

Breakfast: No Brasil, o andamento das reformas e a relação do presidente Jair Bolsonaro com o Congresso e o Poder Judiciário são centro das atenções

Dia de otimismo nos mercados no exterior impulsiona ativos locais
13 de Setembro, 2021 | 08:43 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg Línea — Os mercados internacionais iniciam a semana com comportamento misto, de olho em dados de inflação que devem ser lançados ao longo da semana. A atenção fica voltada para o avanço dos preços no mundo, que podem pressionar os bancos centrais a apertarem os estímulos econômicos da pandemia.

Veja mais: Dados sobre inflação podem trazer volatilidade aos negócios na Europa e nos EUA

PUBLICIDADE

Por aqui, o foco fica com as negociações políticas em torno de reformas, além da relação do presidente Jair Bolsonaro com o poder Judiciário, após a distensão com a carta de esclarecimento da última semana. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na sexta que o governo deve retomar a as negociações dos precatórios nesta semana.

Na agenda, o dia é leve para indicadores econômicos, com o Boletim Focus, do Banco Central, marcando a expectativa do mercado para a inflação, juros e outros indicadores brasileiros.

  • Futuros americanos sobem, com Dow Jones (+0,63%), S&P 500 (+0,6%) e Nasdaq (+0,54%)
  • Bolsas asiáticas fecharam mistas: Tóquio/Nikkei 225 (+0,22%), Hong Kong/Hang Seng (1,5%) e Xangai (+0,33%)
  • Por aqui, na segunda, o Ibovespa fechou em queda de 0,79%, aos 114.454 pontos. O dólar fechou em alta de 1,19%, a R$ 5,26.

Direto de Brasília (e outros lugares)

A temperatura da reação dos Poderes à carta Bolsonaro-Temer poderá ser acompanhado essa semana. No Senado, que não teve sessões na semana passada, a indicação de André Mendonça ao STF ainda estava empacada. A Casa, que tem o clima de maior resistência ao Planalto, ainda receberá a reforma do Imposto de Renda que passou pela Câmara.

PUBLICIDADE

Paulo Guedes tem uma expectativa da retomada na negociação de uma saída para os precatórios a partir do STF, mas ministros resistem a ajudar o governo depois dos ataques da semana passada.

Manifestações do Movimento Brasil Livre e do Vem Pra Rua, pelo impeachment do presidente Jair Bolsonaro, foram vazias. Pouco mais de 6 mil pessoas na avenida Paulista, segundo a PM de São Paulo. Em Brasília, foram cerca de mil. Entre políticos presentes: João Doria (PSDB), Ciro Gomes (PDT), Henrique Mandetta (DEM-MS) e a senadora Simone Tebet (MDB-MS). No RS, o governador Eduardo Leite (PSDB) participou dos atos. O PT, alvo tradicional do Vem Pra Rua, não participou dos atos.

Atraso da chegada do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) à Fiocruz provocou falta da vacina AstraZeneca em algumas capitais. Prefeitura de São Paulo começa a aplicar a Pfizer como segunda dose em quem recebeu a primeira da AZ a partir de hoje. Segundo Fiocruz, novas remessas da vacina AstraZeneca serão disponibilizadas ainda essa semana.

Enquanto você dormia

Israel está se preparando para garantir estoque suficiente de vacinas caso uma quarta dose seja necessária, disse a principal autoridade de saúde do país neste domingo (12). O país começou uma campanha para administrar doses de reforço no início de agosto e, até agora, vacinou cerca de 2,8 milhões de pessoas com uma terceira injeção da vacina contra a Covid-19.

PUBLICIDADE

As manchetes dos jornais:

  • Valor: Cena política e inflação levam fundos locais a reduzir risco
  • Folha: Líderes de centro-esquerda planejam investida para atrair PT aos atos contra Bolsonaro
  • Estadão: Com pandemia, cirurgias eletivas têm queda de 25,9% no 1º semestre no País
  • O Globo: Empresas investem em frotas próprias para se proteger de novas greves de caminhoneiros
  • NYT: New York City Schools to Reopen Fully After 18 Months
  • WSJ: Stock Futures Point to Indexes Rebounding
  • Washington Post: Democrats wanted Trump gone. Now they want him on the ballot.

Agenda do dia

Indicadores Brasil: Boletim Focus (8h25)

Indicadores EUA: Balanço Orçamentário Federal (15h)

  • Jair Bolsonaro: Reuniões com embaixador Carlos França, Ministro de Estado das Relações Exteriores; com Pedro Cesar Sousa, Subchefe para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral da Presidência; com Milton Ribeiro, Ministro da Educação; Cerimônia de Lançamento do Programa Habite Seguro.
  • Paulo Guedes (Economia): Reuniões com o secretário da Receita Federal, Jose Tostes; com Secretário Executivo, Marcelo Guaranys; com o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais substituto, João Rossi.
  • Roberto Campos Neto (BC): Reunião do Economic Consultative Committee (ECC); videoconferência com representantes do Banco Inter; videoconferência com representantes do J.P Morgan; videoconferência com o presidente do Banco Central do Uruguai, Diego Labat.
Ana Siedschlag

Ana Carolina Siedschlag

Editora na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero e especializada em finanças e investimentos. Passou pelas redações da Forbes Brasil, Bloomberg Brasil e Investing.com.

Graciliano Rocha

Graciliano Rocha

Editor da Bloomberg Línea no Brasil. Jornalista formado pela UFMS. Foi correspondente internacional (2012-2015), cobriu Operação Lava Jato e foi um dos vencedores do Prêmio Petrobras de Jornalismo em 2018. É autor do livro "Irmã Dulce, a Santa dos Pobres" (Planeta), que figurou nas principais listas de best-sellers em 2019.