Internacional

Xangai fecha aeroportos e cancela aulas com chegada de tufão

Centro financeiro da China, que tem o maior porto do mundo, deve ser atingido pela tempestade Chanthu nesta segunda-feira

Porto de Xangai é o mais movimentado do mundo
Por Bloomberg News
12 de Setembro, 2021 | 08:03 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A cidade de Xangai vai cancelar a maioria dos voos e fechar algumas escolas nesta segunda e terça-feira conforme o tufão Chanthu se aproxima da capital financeira da China e principal centro de transporte marítimo do mundo.

Todos os voos serão cancelados no Aeroporto Internacional de Pudong da cidade após às 11h de segunda-feira, horário local, por causa do clima, enquanto todos os voos pelo aeroporto de Hongqiao, no oeste da cidade, também serão cancelados após as 15h, de acordo com um anúncio da Autoridade do Aeroporto de Xangai.

No início do domingo, o governo de Xangai disse que fechará todos os jardins de infância e escolas primárias na segunda à tarde e terça-feira, uma vez que se prepara para a chegada da tempestade tropical, que deve atingir a parte sul da cidade na noite de segunda. O Chanthu trouxe fortes chuvas na cidade de 25 milhões de habitantes no domingo, após atingir a costa do país no sudeste e nas Filipinas.

Veja mais: Transportadoras de contêineres marítimos têm maior lucro desde 2008

PUBLICIDADE

O observatório nacional da China manteve o alerta laranja, o segundo maior aviso, para a tempestade. Não ficou claro como o tufão afetará o porto de contêineres de Xangai, que é o maior do mundo. A Administração de Segurança Marítima da China divulgou na semana passada um alerta para a província de Fujian, no sudeste do país, onde está localizado o porto de Xiamen, pedindo aos navios que ajustem os planos de navegação e deixem as águas afetadas pelo tufão. A Administração de Segurança Marítima de Ningbo, que cobre o porto de Ningbo-Zhoushan - perto de Xangai - disse na quinta-feira que iniciou uma resposta de emergência de nível quatro.

Os portos na Ásia surgiram como um dos gargalos para o comércio global, à medida que a demanda europeia e americana por mercadorias supera a capacidade das docas e dos navios. A Covid também afetou a capacidade das companhias marítimas de operar, com tripulações sendo afetadas e a China fechando dois portos separados nos últimos meses, após surtos entre os trabalhadores portuários.

Os terminais de Xangai movimentaram coletivamente cerca de 43,5 milhões de TEU no ano passado, tornando a cidade como um todo o maior porto de contêineres do mundo, de acordo com o Shanghai International Port Group. TEU é o jargão da indústria para “unidades equivalentes de 20 pés”, a medida padrão para capacidade de navios de contêineres.

Leia também

PUBLICIDADE

Entregadores de Nova York enfrentam baixos salários, mesmo com aumento dos riscos

Israel se prepara para garantir quarta dose da vacina contra a Covid-19

Cotas não aumentam presença de mulheres na política da América Latina

PUBLICIDADE