Mercados

Ibovespa deixa tensões em segundo plano e começa semana em alta

Magazine Luiza, Petrobras e bancos ajudam o principal índice da B3 a retomar os 116 mil pontos; dólar recua, em dia de maior apetite global por risco

Bolsas ao redor do globo têm início de semana no azul, aproveitando as barganhas da última semana
13 de Setembro, 2021 | 11:02 am
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — Em um dia de agenda de eventos globais tranquila, os investidores aproveitam as barganhas para ir às compras e levam os principais índices ao azul neste início de sessão. A alta dos preços do petróleo impulsiona o bom humor, enquanto o mercado monitora a lenta restauração do abastecimento no Golfo do México e as perspectivas de demanda e estoques no quarto trimestre.

Além disso, a Organização dos Países Produtores de Petróleo (OPEP) divulgou uma previsão de demanda mais forte para a commodity, em uma combinação de aumento do consumo global de combustível e interrupções na produção em outros lugares.

Lá fora, as bolsas avançam na Europa, com a percepção de que os índices ficaram para trás em relação ao rali dos ativos americanos. Já nos Estados Unidos, o S&P 500 e o Dow Jones se recuperam das perdas da última semana e apresentam altas consistentes.

Por aqui, o foco fica com as negociações políticas em torno de reformas, além da relação do presidente Jair Bolsonaro com o poder Judiciário, após a distensão com a carta de esclarecimento da última semana. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse na sexta que o governo deve retomar a as negociações dos precatórios nesta semana.

PUBLICIDADE
  • Perto das 10h50, o Ibovespa subia 1,25%, a 115.709 pontos, após superar os 116 mil pontos na máxima até então
    • Magazine Luiza (MGLU3), Petrobras (PETR4) e bancos estavam entre os papéis que impulsionavam a alta, enquanto Vale (VALE3) pesava na ponta oposta, com o recuo dos preços do minério
    • Destaque da Bolsa: A Magazine Luiza se manifestou nesta segunda-feira (13) sobre o tombo de suas ações na B3 na última sexta-feira (10), citando ganhos de participação de mercado no comércio eletrônico nos últimos meses e rebatendo análises de que entrou em rota de desaceleração de crescimento.
  • O dólar caía 0,30%, a R$ 5,23, acompanhado pela curva de juros, que recuava em todos os vértices. O DI para janeiro próximo caía 1 ponto-base, para 7,275%, e o vencimento para janeiro de 2027 recuava 14 pontos-base, para 10,440%
  • Nos EUA, o S&P 500 subia 0,54%, o Dow Jones, 0,86% e o Nasdaq, 0,07%

Contexto

Ainda no campo da política doméstica, a CPI da Covid no Senado entra na reta final dos depoimentos nesta semana, conforme o presidente da comissão, senador Omar Aziz. Conforme agências, o grupo já se aproxima do relatório final, que deve ser votado até o fim de setembro.

Leia também

Restrições ao setor de Internet pesam sobre ações chinesas

Dúvidas sobre China colocam rali de mercados emergentes em risco

Tempestade tropical Nicholas se aproxima do Golfo do México; Louisiana em alerta

Kariny Leal

Kariny Leal

Jornalista carioca, formada pela UFRJ, especializada em cobertura econômica e em tempo real, com passagens pela Bloomberg News e Forbes Brasil. Kariny cobre o mercado financeiro e a economia brasileira para a Bloomberg Línea.