Internacional

EUA atacam com drone grupo terrorista e tensão cresce no Afeganistão

O alvo era um suspeito de estar envolvido na trama de futuros ataques, mas não tinha ligação direta com o ataque de quinta-feira em Cabul, de acordo com um oficial dos EUA

Refugiados esperam por voo para deixar Cabul
Por John Harney e Tony Capaccio
28 de Agosto, 2021 | 10:17 am
Tempo de leitura: 1 minuto

Bloomberg — Os Estados Unidos realizaram neste sábado um ataque no Afeganistão contra a organização terrorista considerada responsável pelo bombardeio devastador que matou pelo menos 88 pessoas perto do aeroporto de Cabul um dia antes.

“As forças militares dos EUA realizaram uma operação de contraterrorismo hoje contra um planejador do ISIS-K “, disse o Capitão Bill Urban, porta-voz do Comando Central dos EUA. Ele acrescentou que o ataque não tripulado ocorreu na província de Nangahar, no Afeganistão, a leste de Cabul.

O alvo era um suspeito de estar envolvido na trama de futuros ataques, mas não tinha ligação direta com o ataque de quinta-feira em Cabul, de acordo com um oficial dos EUA.

O oficial, que preferiu ter anonimato para discutir a operação, disse que a pessoa alvo do ataque foi morta por um drone Reaper enquanto viajava em um veículo.

PUBLICIDADE

“As indicações iniciais são de que matamos o alvo”, disse Urban em um comunicado. “Não conhecemos vítimas civis.”

Atentado suicida

Treze militares americanos e pelo menos 75 cidadãos afegãos morreram no que o Pentágono agora diz ser um único atentado suicida, em vez de dois relatados anteriormente.

O presidente Joe Biden prometeu completar a missão de evacuação dos EUA no Afeganistão e disse que iria perseguir os agressores, afirmando na noite de quinta-feira que “não vamos perdoar, não vamos esquecer, vamos caçá-lo e fazê-lo pagar”.

PUBLICIDADE

Veja mais em bloomberg.com

Leia mais

Cinco assuntos quentes para o Brasil na próxima semana

Eduardo Leite diz que terceira via só vai se viabilizar em março

Hidrelétricas podem ser desativadas por conta da seca, avisa Bolsonaro

PUBLICIDADE