PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Brasil

Guedes sinaliza energia elétrica mais cara em setembro

Em audiência com senadores, ministro da Economia indica que patamar de bandeira tarifária deve subir

Paulo Guedes (Economia) voltou a criticar os governadores por não reduzirem as alíquotas do ICMS dos combustíveis
26 de Agosto, 2021 | 05:13 pm
Tempo de leitura: 1 minuto

São Paulo — O ministro Paulo Guedes (Economia) sinalizou, nesta quinta-feira (26), que a conta de energia elétrica deve ficar mais cara devido à crise hídrica, durante audiência virtual com senadores, promovida pela comissão que acompanha as ações governamentais no combate aos efeitos da pandemia.

PUBLICIDADE

“Temos de enfrentar a crise. Vamos ter de subir a bandeira, a bandeira vai subir. Vou pedir aos governadores para não subir automaticamente [o ICMS da energia elétrica], eles acabam faturando em cima da crise. Temos de enfrentar, não adianta ficar sentado chorando”, disse Guedes, segundo o portal G1.

Na próxima terça-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) terá reunião para decidir se o patamar 2 da bandeira tarifária vermelha da conta de luz volta a subir já a partir de setembro, segundo o G1.

PUBLICIDADE

Combustíveis

Os senadores expressaram preocupação com o efeito da inflação no bolso do brasileiro. Segundo a Agência Senado, o senador Izalci Lucas (PSDB-DF) disse que há previsões pessimistas de o índice chegar a 11% neste ano, enquanto a alta dos combustíveis tem impactado a economia das famílias.

O ministro respondeu que o governo tem trabalhado para um “crescimento econômico sustentável” e tem reduzido gastos, garantido investimentos por meio do Programa de Parceria de Investimentos (PPI), além da modernização de marcos regulatórios.

Sobre a política de ajuste de preços dos combustíveis, Guedes voltou a criticar a incidência do ICMS e sugeriu que os governos estaduais reavaliem a manutenção da cobrança da forma que está hoje, segundo a Agência Senado.

“O governo federal tentou ajudar, baixando os impostos do governo federal. O presidente também tentou encaminhar uma medida para o Congresso pedindo que os governadores também transformassem seus impostos em número fixo, em vez de ser um percentual”, respondeu o ministro.

PUBLICIDADE

Os senadores também questionaram sobre a reserva de recursos no Orçamento para a aplicação da terceira dose da vacina contra a Covid-19. Guedes disse que não faltará dinheiro para vacinas e que o governo está otimista com o avanço da imunização e o retorno das atividades econômicas, segundo a Agência Senado.

Leia também

Temporada de unicórnios: Seis startups devem entrar para o clube do bilhão no Brasil

Ameaçada por parceria entre B3 e Totvs, Sinqia inicia oferta restrita de ações para levantar até R$ 550 mi

Mensagem dos empregadores americanos é clara: tome a vacina ou caia fora