Brasil

Bolsonaro intensifica ataques ao Judiciário e eleva tensões

Presidente lançou novos ataques contra o sistema de votação, enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu uma nova investigação criminal contra o líder do Executivo

“Em outras palavras, eles apagaram as possíveis evidências de um crime"
Por Andrew Rosati
13 de Agosto, 2021 | 03:32 pm
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — As tensões entre o presidente Jair Bolsonaro e as autoridades eleitorais atingiram um novo ápice da noite para o dia, lançando uma sombra sobre os mercados brasileiros.

O presidente lançou novos ataques contra o sistema de votação do país, enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) abriu uma nova investigação criminal contra o líder de extrema direita e prendeu um de seus aliados mais declarados.

Em sua transmissão semanal nas redes sociais na noite de quinta-feira (12), Bolsonaro voltou a fazer alegações de que membros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apagaram dados que sugeriam um ataque de hackers durante a votação presidencial de 2018.

“Em outras palavras, eles apagaram as possíveis evidências de um crime”, disse ele. “Não tenho provas, mas esta é a história que me ocorreu.”

PUBLICIDADE

O real brasileiro chegou a enfraquecer 0,4% para R$ 5,2758 por dólar, pela manhã, o segundo pior desempenho entre as 31 principais moedas monitoradas pela Bloomberg, enquanto as taxas de swap subiram até 20 pontos base na ponta longa da curva.

Enquanto sua popularidade despencava em meio à caótica resposta à pandemia de seu governo, Bolsonaro mirou na urna eletrônica, dizendo que é necessário um registro em papel para evitar fraudes. Os oponentes temem que o ex-capitão do Exército esteja roubando uma página do ex-presidente Donald Trump, tentando criar a base para contestar o resultado do próximo ano se ele perder.

Suas declarações vieram na sequência da decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes de abrir outra investigação federal para apurar se o presidente cometeu crime por divulgar informações confidenciais. A investigação veio a pedido do TSE, depois que o presidente publicou nas redes sociais detalhes de uma investigação policial sigilosa de 2018 sobre o sistema de votação, alegando que era a prova de que o sistema era vulnerável a trapaças.

A Justiça Eleitoral nega as acusações. Em um comunicado, disse que o incidente sob investigação foi tornado público na época e “não representava nenhum risco para a integridade das eleições de 2018”.

PUBLICIDADE

Fake News

A enxurrada de conspirações de Bolsonaro contra o TSE já havia levado Moraes a incluí-lo em uma ampla investigação sobre a divulgação de notícias falsas e desinformação nas redes sociais na semana passada. O presidente diz que a investigação é inconstitucional, mas prendeu muitos de seus aliados mais próximos por seus supostos ataques a instituições brasileiras.

Nesta sexta-feira (13), a Polícia Federal anunciou a prisão do ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB e aliado do presidente Bolsonaro, por supostos ataques à democracia. A assessoria de imprensa de Jefferson não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

No início desta semana, o Congresso rejeitou um projeto de lei apresentado pelos aliados de Bolsonaro no Congresso que pedia pelo voto impresso. Mas o foco contínuo do presidente no sistema de votação assustou os investidores, com o real entre as moedas de pior desempenho na quinta-feira (12).

“Parece que o Bolsonaro está realmente insistindo nas cédulas de papel, e isso está pesando sobre o real”, disse Brendan McKenna, estrategista de câmbio do Wells Fargo em Nova York.

Leia mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE