Negócios

Startup chilena busca fatia em gigante mercado de remessas

Global66 aposta no forte fluxo de remessas e transferências de dinheiro pela América Latina

Startup, que emprega 200 pessoas em oito países, planeja usar a rodada mais recente de financiamento para promover um novo aplicativo
Por Eduardo Thomson
05 de Agosto, 2021 | 11:22 am
Tempo de leitura: 2 minutos

Bloomberg — A fintech chilena Global66 aposta no forte fluxo de remessas e transferências de dinheiro pela América Latina com a esperança de que uma nova onda de produtos dê vantagem à empresa sobre o grande número de concorrentes.

A startup, que emprega 200 pessoas em oito países, planeja usar a rodada mais recente de financiamento para promover um novo aplicativo por meio do qual clientes podem enviar dinheiro instantaneamente entre contas a partir de sua plataforma a baixo custo, disse o CEO e fundador da empresa, Tomás Bercovich, em entrevista. A plataforma já permite que clientes movimentem fundos entre contas de bancos comerciais.

A Global66 busca uma fatia de um mercado gigante. Mexicanos que trabalham no exterior enviaram para casa US$ 4,44 bilhões somente em junho, um aumento de 26% em relação ao ano anterior, de acordo com o Banco de México. Também em junho, as remessas para a Colômbia cresceram 25% na comparação anual. Mas a competição é acirrada: uma busca na Google Play Store em espanhol com o termo “enviar dinheiro” traz 249 aplicativos diferentes.

“Não estou preocupado em competir com outras fintechs por financiamento ou por clientes”, disse Bercovich, referindo-se ao mercado mais amplo de novos serviços financeiros. “Ainda há pouca competição na América Latina.”

PUBLICIDADE

A Global66 tem como alvo os segmentos de renda média e baixa e pequenas empresas em países como México, Peru, Argentina e Colômbia, onde muitas pessoas permanecem excluídas do sistema bancário.

Os ricos “têm acesso a executivos que podem ajudá-los a conseguir boas tarifas para enviar dinheiro ao exterior”, disse Bercovich. “Para pessoas com menos patrimônio e PMEs, tudo é muito mais complexo.”

A Global66 captou US$ 12 milhões em uma rodada de financiamento de estágio A em julho liderada pela Quona Capital e contou com a participação da Magma Partners, Venrex Investment Management, Clocktower Technology Ventures e outros investidores. No total, a empresa arrecadou US$ 20 milhões desde a fundação em 2018.

A fintech usará parte desse capital para lançar seu próprio cartão pré-pago no Chile e tem um projeto fazer o mesmo na Colômbia. Nos próximos meses, a Global66 também planeja oferecer uma carteira eletrônica com múltiplas moedas.

PUBLICIDADE

A empresa já cresce rapidamente, tendo movimentado cerca de US$ 400 milhões em transferências no acumulado de 2021, cinco vezes mais do que no primeiro semestre de 2020. A meta é alcançar US$ 1 bilhão até o fim do ano.

Bercovich não quis comentar sobre o valor atual da Global66 após a rodada de financiamento ou quanto planeja captar no futuro. “Nosso objetivo agora é desenvolver produtos”, disse. “No futuro, podemos começar a oferecer outras coisas, como empréstimos.”

Leia mais em bloomberg.com

PUBLICIDADE