Flybondi, aérea de baixo custo argentina, planeja expansão no Brasil, diz CEO

Em entrevista à Bloomberg News, Maurício Sana diz que a low cost da Argentina trabalha para anunciar a entrada no país no ano que vem e pode buscar financiamento para a operação

Avião da Flybondi
Por Carolina Millan
14 de Novembro, 2023 | 07:22 PM

Bloomberg — A companhia aérea argentina de baixo custo Flybondi considera a expansão para o Brasil, caminho que poderá eventualmente ser financiado por meio do mercado — uma vez que conclua a fusão com uma SPAC (conhecida como “empresa de cheque em branco”) no primeiro semestre do próximo ano.

A aérea, que anunciou seu plano de abrir o capital na Nasdaq em 20 de outubro por meio da SPAC (empresa de aquisição de propósito específico) Integral Acquisition Corporation 1, pode não obter receitas imediatas da transação, mas seria um primeiro passo para conseguir atrair um grupo mais amplo de investidores no futuro, disse o CEO Maurício Sana, em entrevista à Bloomberg News.

“A medida não visa angariar fundos: não precisamos deles, não pedimos injeção de capital há três anos. E você nunca sabe quanto vai ganhar no final”, disse Sana às margens de uma conferência.

LEIA +
Por que a eleição na Argentina também importa para os planos da China

A vantagem é que se no próximo ano a Flybondi quiser crescer rapidamente “e os nossos acionistas não quiserem necessariamente dar-nos mais fundos, poderemos fazer um follow-on sem ter que esperar um ano para executar um plano de negócios”.

PUBLICIDADE

É aí que uma expansão no Brasil poderia entrar. A empresa está analisando ativamente a estratégia, disse Sana, mas as leis “agressivas” de proteção ao consumidor do Brasil e as multas frequentes para empresas que operam no país são riscos.

“Queremos estar no Brasil e estamos trabalhando para anunciar nossa possível entrada lá no próximo ano”, disse Sana. “Mas agora estamos analisando questões regulatórias. Se essa barreira for reduzida, provavelmente avançaremos, estamos trabalhando nisso.”

Mauricio Sana, CEO da Flybondidfd

A empresa já voa da Argentina para Rio de Janeiro, São Paulo e Florianópolis. Uma expansão significaria fazer rotas domésticas dentro do Brasil, onde a Latam Airlines (LTM), Azul (AZUL4) e Gol (GOLL4) são dominantes.

PUBLICIDADE

Com sede em Buenos Aires, a FB Lineas Aereas iniciou suas operações em 2018, quando companhias aéreas de baixo custo foram liberadas para atuar na Argentina, aumentando a concorrência para a estatal Aerolineas Argentinas.

A participação de mercado da Flybondi para rotas domésticas é de até 22% e de 5% para rotas regionais em outubro, de acordo com o os dados mais recentes do governo.

A empresa opera com 15 aviões após dobrar sua frota em 2022 e tem planos de receber mais um antes do final do ano. Mais quatro aviões deverão ser adicionados em 2024.

Eleições Argentinas

Sana disse não estar preocupado com o resultado da disputa das eleições presidenciais entre o ministro da Economia Sergio Massa e libertário Javier Milei.

Uma das propostas mais drásticas discutidas na campanha foi a ideia de Milei de dolarizar a economia argentina.

“Não creio que uma mudança cambial teria um grande impacto no setor aéreo”, disse ele. Devido aos custos em dólares, uma dolarização “poderia simplificar alguns processos, discussões, provavelmente até regulamentações. Mas o desafio é o que acontece com as carteiras dos nossos clientes, daqueles que estão habituados a voar connosco.”

-- Com a colaboração de Bailey Lipschultz.

PUBLICIDADE

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Magazine Luiza: falha de R$ 829 mi na contabilidade gera incerteza, dizem analistas

Queremos estar prontos para a volta do apetite do investidor, diz Landers, do BTG

Natura vende The Body Shop para fundo alemão por cerca de US$ 250 milhões