Negócios

Família Batista investirá US$ 1 bilhão para crescer no ramo de mineração

J&F Mineração planeja construir 50 quilômetros de linhas ferroviárias e aumentar frota de barcaças para escoar produção de minério pelo rio Paraná até o Uruguai

s
Por Mariana Durão
18 de Outubro, 2023 | 04:10 PM

Bloomberg — Os bilionários irmãos Batista, responsáveis pela gigante da carnes JBS, se preparam para investir mais de US$ 1 bilhão para expandir a produção nas minas que compraram da Vale no ano passado. A J&F Investimentos, a holding da família, surgiu como o comprador surpresa das minas de minério de ferro e manganês da Vale no estado do Mato Grosso do Sul, no centro-oeste, sua primeira incursão no negócio de metais.

Os ativos de US$ 1,2 bilhão também incluíam operações de logística. Desde que assumiu o controle, a J&F já conseguiu dobrar a produção de 2021 para 4 milhões de toneladas e os R$ 5,5 bilhões a serem investidos no futuro devem ajudar a elevar a produção para 10 milhões de toneladas até o final de 2024 e melhorar a logística, de acordo com um porta-voz da empresa.

Os irmãos Joesley Batista, 51 anos, e Wesley Batista, 53, aumentaram a fortuna da família criada pela expansão global da JBS para diversificar os interesses da holding. Eles possuem uma das maiores produtoras de celulose do mundo, um banco e empresas focadas em energia e cosméticos. A maior participação da família é uma fatia de quase 49% na JBS (JBSS3), que vale cerca de US$ 4,1 bilhões no momento.

LEIA +
Por que David Beker, do BofA, está mais otimista com o Brasil do que o mercado

O orçamento destinado à mineração faz parte de um plano de investimento mais amplo de R$ 38,5 bilhões que o grupo revelou para o Brasil entre 2023 e 2026.

PUBLICIDADE

A J&F Mineração, como é chamada a unidade, planeja construir 50 quilômetros de linhas ferroviárias para conectar as minas ao seu porto Gregório Curvo, uma rota atualmente feita por caminhão, segundo o porta-voz da empresa. Um centro de distribuição foi inaugurado no mês passado no estado de Minas Gerais, no sudeste do país, para atender o mercado doméstico.

A empresa também aumentará sua frota de barcaças, acrescentando mais 400, de acordo com o porta-voz. Carregadas com minério de ferro, as barcaças vão para o porto de Nueva Palmira, no Uruguai, pelos rios Paraguai e Paraná.

Em março, a J&F Mineração realizou uma operação de transbordo que lhe permitiu exportar 175 mil toneladas de minério de ferro para a China em um único navio - um Capesize, o maior transportador de commodities - pela primeira vez, uma estratégia para reduzir os custos de frete.

PUBLICIDADE

Da mesma forma que a Vale (VALE3), a J&F tem uma estratégia focada em seu minério de maior qualidade, que requer menos energia para ser processado, à medida que a indústria siderúrgica busca reduzir emissões.

A empresa desenvolve um produto batizado de “natural pellet” que, segundo ela, poderia substituir até 30% das pelotas de minério de ferro na chamada rota de redução direta para a fabricação de aço, permitindo uma queda de 6% a 15% nas emissões de CO2.

Os Batista expandiram seus negócios rapidamente por meio de aquisições no setor de carnes, além de estarem de olho em ativos em dificuldades que possam ser recuperados por meio de estratégias de reestruturação. Ainda não está definido se a família planeja aumentar ainda mais o portfólio de mineração por meio de novas aquisições.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Caminhões com motor elétrico? Para a Scania, há outras alternativas melhores

Bruno Serra mira R$ 10 bilhões em 40 dias no ‘multimesas’ da Itaú Asset