Citi vai demitir 20 mil pessoas em plano para economizar até US$ 2,5 bi ao ano

Plano anunciado pela CEO Jane Fraser, no entanto, vai gerar em um primeiro momento US$ 1 bilhão em despesas extras com pagamento de indenizações e outros

Citigroup prevê uma de suas mais profundas reorganizações para se tornar mais eficiente
Por Todd Gillespie
12 de Janeiro, 2024 | 04:29 PM

Bloomberg — O Citigroup anunciou que eliminará 20.000 empregos em uma medida que economizará até US$ 2,5 bilhões, como parte da busca da CEO Jane Fraser para impulsionar os retornos do gigante de Wall Street, que estão abaixo do esperado.

As despesas globais da empresa devem cair para uma faixa de US$ 51 bilhões a US$ 53 bilhões até o final de 2026, informou o Citigroup. No entanto, durante esse período, a empresa espera incorrer em até US$ 1 bilhão em despesas relacionadas a indenizações e à reestruturação do banco liderada por Jane Fraser.

As perspectivas da economia ajudaram a mascarar um quarto trimestre decepcionante, quando os traders de renda fixa do Citigroup tiveram seu pior desempenho em cinco anos, devido a uma queda na atividade dos clientes nas últimas semanas do ano. A receita do negócio caiu 25% para US$ 2,6 bilhões.

“O quarto trimestre foi muito decepcionante”, disse Fraser em comunicado. “Dado o quanto avançamos no caminho de simplificação e desinvestimentos, 2024 será um ponto de virada.”

PUBLICIDADE

Nesta sexta, as ações do banco chegaram a subir mais de 1,5% em Nova York. Isso ocorreu após uma queda de 1,8% na quinta-feira (11), quando o banco relatou bilhões em encargos únicos devido à reestruturação e a exposição a problemas na Argentina e na Rússia.

Os 20.000 cortes de empregos incluirão os impactos de uma ampla reestruturação do Citigroup iniciada por Fraser em setembro. Ela afirmou que as medidas permitirão à empresa eliminar a burocracia, reduzindo de 13 para oito as camadas de gestão.

A empresa começará a eliminar mais empregos como parte dessa reorganização a partir da semana de 22 de janeiro, conforme informado por Fraser em um memorando visto pela Bloomberg. O banco espera concluir esses cortes até o final do primeiro trimestre, afirmou.

PUBLICIDADE

A reestruturação sozinha economizará US$ 1 bilhão por ano ao Citigroup e resultará na eliminação de 5.000 empregos, principalmente ocupados por gerentes, disse Fraser.

adfd

“Estamos agindo rapidamente, mas estamos fazendo isso com cuidado”, afirmou Fraser no memorando. “Muitas considerações são levadas em conta em cada fase do trabalho: pensamos na estrutura certa, pensamos no talento certo e pensamos em como cada decisão avança o nosso objetivo geral de simplificar a empresa.”

Fraser também disse que a reestruturação ajudaria a elevar uma medida-chave de rentabilidade, conhecida como retorno sobre o patrimônio líquido tangível, para pelo menos 11% até 2027, no máximo. Ela reiterou essa orientação de médio prazo na sexta-feira.

Na busca por aumentar esses retornos, o Citigroup decidiu fechar sua unidade de negócios municipais e a unidade de negociação de dívidas problemáticas, assim como o rival JPMorgan Chase investe mais nessa área. O diretor financeiro, Mark Mason, afirmou em uma conferência com repórteres que o banco está disposto a sair de outros negócios dentro da sua divisão de mercados se “não fizerem sentido para a estratégia futura”.

A divisão de renda fixa enfrentou uma série de ventos contrários nas últimas semanas do ano, disse Mason, observando que houve pouca volatilidade em moedas e commodities.

No total, a contagem total de funcionários do Citigroup diminuirá em 60.000 empregos para 180.000 até o final de 2026, disse Mason. Isso inclui os 40.000 funcionários que partirão quando o Citigroup listar seus negócios bancários de consumo, pequenas empresas e mercado médio no México em uma oferta pública inicial.

Os resultados do Citigroup para o quarto trimestre se transformaram em uma perda de US$ 1,8 bilhão, ou US$ 1,16 por ação. Isso incluiu vários itens únicos, incluindo uma cobrança de US$ 780 milhões relacionada às indenizações oferecidas aos funcionários impactados pela reestruturação.

PUBLICIDADE

A empresa também registrou uma cobrança de US$ 1,7 bilhão nas despesas operacionais no trimestre para cobrir uma avaliação especial para reabastecer os cofres da Federal Deposit Insurance Corp. após uma série de colapsos bancários no ano passado.

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Após rali das big techs, investidores apostam em ganhos de outras empresas do setor

Burberry alerta que lucro será menor, e setor de luxo despenca nas bolsas