CEO da L’Oréal reafirma planos na China apesar de tensões sobre segredos comerciais

Pequim tem exigido que empresas de cosméticos abram fórmulas de seus produtos vendidos no mercado local, mas isso não impedirá investimentos, diz Nicolas Hieronimus

L'Oréal continuará a fazer investimentos na China, segundo o seu CEO
Por Ed Ludlow - Angelina Rascouet
09 de Janeiro, 2024 | 05:52 PM

Bloomberg — A L’Oréal SA continua confiante no potencial do mercado chinês, apesar das tensões sobre o nível de divulgação de ingredientes solicitados pelo país aos fabricantes de cosméticos.

A China “continuará a ser uma fonte muito importante de crescimento para a L’Oréal e o mercado de beleza, pois a classe média está crescendo”, disse o CEO Nicolas Hieronimus em entrevista durante a feira de tecnologia CES em Las Vegas. “Continuamos a investir no mercado chinês.”

O CEO da L'Oréal, Nicolas Hieronimus, diz que as vendas em lojas de viagem se recuperarão progressivamente neste ano (Foto: Bloomberg)dfd

A L’Oréal é capaz de cumprir as regulamentações chinesas sem divulgar todos os segredos de suas fórmulas, acrescentou o executivo.

Os comentários vêm depois que a União Europeia levantou preocupações no ano passado com a China sobre as informações detalhadas do produto que empresas de beleza como L’Oréal e LVMH devem fornecer para vender seus produtos nesse mercado crucial.

PUBLICIDADE

A China está implementando regras que obrigam empresas de cosméticos a fornecer dados que abrangem ingredientes, detalhes dos processos de fabricação, origem de matérias-primas e composição precisa das fórmulas.

Muitas informações são coletadas e armazenadas em um banco de dados gerenciado pelas autoridades chinesas, informou a Bloomberg News no ano passado.

A principal preocupação das empresas europeias é que elas possam ser obrigadas a revelar segredos comerciais sob o pretexto de segurança dos produtos, informou a Bloomberg News, citando pessoas familiarizadas com a situação. Não há evidências ou indicações de que a China esteja usando as informações coletadas das empresas de cosméticos para fins malignos.

PUBLICIDADE

A França e a China concordaram em trabalhar juntas na melhoria do ambiente regulatório em relação a cosméticos para proteger tanto o acesso ao mercado quanto a segurança do produto.

Separadamente, Hieronimus disse que as tendências de vendas em lojas de viagem, especialmente na Ásia, devem melhorar gradualmente este ano. “Provavelmente na segunda metade de 2024, as vendas em lojas de viagem estarão muito boas”, após um ambiente desafiador no ano passado, disse ele. A L’Oréal divulgará os resultados anuais em 8 de fevereiro.

- Com a colaboração de Caroline Connan.

Veja mais em bloomberg.com

Leia também

Como a herdeira da L’Oréal se tornou a primeira mulher com US$ 100 bi em fortuna

Produtos personalizados com tecnologia são futuro da beleza, diz CEO da L’Oréal

© 2024 Bloomberg L.P.