Acordo Microsoft-Activision está perto de superar seu último obstáculo regulatório

Órgão antitruste do Reino Unido, que inicialmente vetou a compra, disse que a revisão da oferta de US$ 69 bilhões pela Activision parece atender às suas preocupações

Microsoft Activision
Por Katharine Gemmell
22 de Setembro, 2023 | 05:00 AM

Leia esta notícia em

Espanhol
Últimas cotações

Bloomberg — A Microsoft (MSFT) recebeu um grande impulso em sua tentativa de superar o último obstáculo regulatório global para o acordo de US$ 69 bilhões com a Activision Blizzard (ATVI). O órgão antitruste do Reino Unido disse que a oferta de acordo revisada da gigante da tecnologia parecia atender às suas considerações, o que pode pôr fim a uma espera de mais de um ano e meio para concluir o maior negócio de jogos da história.

LEIA +
Microsoft: acordo bilionário para compra da Activision Blizzard ganha nova oferta

A Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA, na sigla em inglês) indicou nesta sexta-feira que a proposta da Microsoft abre a porta para que o negócio seja liberado. A oferta reestruturada para vender alguns direitos de jogos para a editora francesa Ubisoft Entertainment deve manter a concorrência nos jogos em nuvem aberta por anos, disse o órgão regulador. O órgão fará consultas sobre a oferta até 6 de outubro.

“Esse é um acordo novo e substancialmente diferente, que mantém a distribuição em nuvem desses importantes jogos nas mãos de um forte fornecedor independente, a Ubisoft, e não sob o controle da Microsoft”, disse Colin Raftery, diretor sênior de fusões da CMA.

A medida representa uma reviravolta surpreendente para um acordo que chegou a ser repensado depois de enfrentar preocupações de vários órgãos de fiscalização antitruste. Ganhou um impulso inesperado quando a Microsoft venceu o desafio judicial da Comissão Federal de Comércio (FTC na sigla em inglês) sobre o acordo. A União Europeia liberou o acordo com ressalvas em maio. Isso deixou a CMA, que bloqueou a transação em abril, como o único obstáculo.

PUBLICIDADE

O acordo fornece ao chefe do Xbox, Phil Spencer, a pedra angular de um plano para impulsionar o negócio de jogos móveis da Microsoft, embora meses depois do que a empresa esperava. Spencer deve agora executar uma estratégia que ele revelou em torno do negócio em janeiro de 2021 em um cenário em que o mercado mudou, incluindo o recuo do foco no metaverso, que a Microsoft originalmente listou como um impulsionador da aquisição.

LEIA +
Big techs têm inimigo comum no Reino Unido após revés para a Microsoft

As ações da Microsoft estavam pouco alteradas às 9h10 na Alemanha, enquanto as da Activision subiam +1,3%. As ações da Ubisoft chegaram a avançar +3,26% em Paris.

O executivo da Microsoft, Brad Smith, disse que a empresa continuará a trabalhar para obter a aprovação final para fechar o negócio até 18 de outubro. “Estamos animados com esse desenvolvimento positivo no processo de revisão do CMA. Apresentamos soluções que acreditamos atender plenamente às preocupações remanescentes da CMA relacionadas ao streaming de jogos na nuvem”, disse ele.

PUBLICIDADE

A CMA já havia vetado o acordo anteriormente, dizendo que ele poderia resultar em preços mais altos, menos opções e menos inovação para os jogadores do Reino Unido. A nova oferta significa que a Microsoft não pode limitar o acesso ao conteúdo principal da Activision ao seu próprio serviço de jogos em nuvem ou reter esses jogos de rivais, disse o órgão regulador.

“No entanto, teria sido muito melhor se a Microsoft tivesse apresentado essa reestruturação durante nossa investigação original”, disse a diretora executiva da CMA, Sarah Cardell. “Esse caso ilustra os custos, a incerteza e o atraso em que as partes podem incorrer se houver uma opção de solução confiável e eficaz, mas que não seja apresentada no momento certo.”

--Com a colaboração de Stephanie Bodoni e Samuel Stolton

Veja mais em Bloomberg.com

Leia também

Microsoft: desaceleração de serviço em nuvem ofusca otimismo com crescimento da IA

© 2023 Bloomberg L.P.