Rali no mercado dos EUA tem semana decisiva, com inflação e Fed na agenda

Índice S&P 500 adicionou aproximadamente US$ 4 trilhões em valor de mercado desde outubro, à medida que os traders correm para setores subvalorizados, como small caps

En la Bolsa de Nueva York, los operadores hacen una pausa tras la gran subida de noviembre
Por Jessica Menton, Elena Popina e Carly Wanna
10 de Dezembro, 2023 | 08:23 AM

Bloomberg — Os investidores enfrentam uma semana crucial, já que dados-chave de inflação na terça-feira e a decisão de taxa de juros do Federal Reserve na quarta-feira são esperadas para definir o tom para o mercado de ações e a economia rumo a 2024.

A crescente especulação de que o Fed encerrou o ciclo de elevação das taxas e começará a reduzi-las até meados do ano está alimentando uma forte queda nos rendimentos dos títulos do Tesouro e avivando o apetite de risco dos investidores.

O índice S&P 500 adicionou aproximadamente US$ 4 trilhões em valor de mercado desde o final de outubro, à medida que os traders correm para áreas do mercado desvalorizadas, como small caps, que geralmente se beneficiam da queda dos custos de empréstimos.

“As ações têm subido com base no otimismo de que o Fed encerrou as altas de taxas”, disse Chris Zaccarelli, diretor de investimentos da Independent Advisor Alliance. “A precificação tem sido racional considerando o quanto os rendimentos dos títulos de 10 anos caíram desde meados de outubro. Parece que as ações continuarão a subir à medida que entramos em 2024.”

PUBLICIDADE
LEIA +
As 10 ações mais recomendadas para dezembro, segundo 14 bancos e corretoras

No entanto, uma análise mais detalhada revela preocupações com esta semana. Uma medida de volatilidade esperada no S&P 500 para as próximas cinco sessões de negociação está aumentando em relação aos cinco dias subsequentes. Em determinado momento nesta semana, a diferença atingiu o patamar mais amplo desde março para esse período, sinalizando uma crescente demanda para se proteger contra turbulências.

A terça-feira marca o início da combinação de momentos cruciais na próxima semana, com a divulgação do índice de preços ao consumidor de novembro. Sinais de desaceleração da inflação poderiam impulsionar as ações até o final do ano, ao consolidar as expectativas de que o Fed em breve mudará para alívio. Os preços ao consumidor provavelmente subiram a um ritmo anual de 3,1%, o mais baixo desde junho, de acordo com uma pesquisa da Bloomberg.

No dia seguinte, espera-se que o banco central mantenha a política inalterada pela terceira reunião consecutiva. Com os traders antecipando cerca de um ponto percentual de afrouxamento total no próximo ano, eles estarão observando de perto as projeções de taxas dos funcionários, bem como a coletiva de imprensa do presidente Jerome Powell.

PUBLICIDADE

O risco é que uma economia robusta mantenha a inflação alta, levando os funcionários a considerar outra alta ou a manter os custos de empréstimos elevados por mais tempo do que o esperado. Isso poderia pesar sobre as ações de tecnologia sensíveis às taxas, que impulsionaram grande parte dos ganhos do mercado em 2023.

“O que o presidente Powell disser na próxima semana pode mudar a opinião das pessoas, especialmente se ele adotar um tom mais hawkish do que o que as pessoas estão esperando”, disse Zaccarelli.

O S&P 500 subiu quase 20% este ano e fechou na sexta-feira no patamar mais alto desde março de 2022. Os traders estão esperançosos de que, se os rendimentos dos títulos ainda estiverem geralmente em baixa, as ações estejam preparadas para ganhos amplos até o final do ano.

Desde 19 de outubro, o rendimento dos títulos do Tesouro de 10 anos caiu de quase 5% para cerca de 4,2%, enquanto o S&P 500 subiu quase 8%.

Motor de rendimento

A história mostra que grandes quedas nos rendimentos dos títulos são benéficas para o mercado de ações.

Desde 1980, houve 33 instâncias em que os rendimentos dos títulos do Tesouro de 10 anos caíram 50 pontos base ou mais em um mês, de acordo com dados compilados por Christopher Cain, da Bloomberg Intelligence. O retorno médio subsequente para três meses a partir daquele momento foi de quase 8% para o S&P 500 e de 8,2% para o Russell 2000.

“A natureza deste rally de títulos está baseada em apostas de uma política mais favorável do Fed, o que é favorável para as ações”, disse Cain.

PUBLICIDADE

Investidores de varejo parecem estar comprando esse entusiasmo. Eles adquiriram US$ 6,8 bilhões em ações dos EUA na semana até quarta-feira, segundo dados compilados por Peng Cheng, do JPMorgan Chase & Co. Essa é a maior entrada semanal desde março de 2022, quando o Fed começou seu ciclo de aperto.

Enquanto isso, muitos gestores ativos que ficaram de fora do rally deste ano estão tentando recuperar o terreno perdido antes do final do ano, criando ainda mais impulso no mercado de ações. Fundos ativos de grande capitalização lutaram para acompanhar o rally do mês passado, com apenas 41% superando o benchmark, segundo dados compilados pelo Bank of America Corp.

" Muitas pessoas erraram completamente em 2023″, disse Vincent Deluard, diretor de estratégia macro global da StoneX, observando que muitos investidores esperavam uma recessão no início do ano. “Foi um ano muito difícil para os gestores ativos. Muitas pessoas entenderam mal o panorama macro.”

Veja mais em Bloomberg.com

PUBLICIDADE

Leia também

Para Hartnett, do BofA, queda dos yields nos EUA pode ter efeito negativo sobre ações

Como economistas do mercado avaliaram a expansão do PIB no 3º trimestre