Ibovespa recua com Vale e dólar vai a R$ 5,08, com Powell e Campos Neto no radar

Autoridades monetárias falam nesta quarta-feira (3) nos EUA e no Brasil; por aqui, produção industrial veio abaixo do esperado

B3
03 de Abril, 2024 | 10:34 AM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) recua nesta quarta-feira (3), com os investidores monitorando falas de autoridades monetárias no Brasil e nos Estados Unidos, em busca de pistas sobre a trajetória dos juros.

Por volta das 10h30 (horário de Brasília), o índice recuava 0,30%, aos 127.162 pontos, em uma sessão de cautela externa e queda do minério de ferro, que pressiona as ações da Vale (VALE3). O dólar, por sua vez, subia 0,37%, a R$ 5,08.

As ações da Petrobras (PETR3; PETR4) oscilam nesta manhã, apesar da alta do petróleo. A commodity chegou a saltar para US$ 90 diante da decisão da Opep+ de manter seus cortes de produção durante o primeiro semestre, mesmo com um mercado apertado.

Na agenda do dia, a produção industrial brasileira teve queda de 0,3% em fevereiro na comparação mensal, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o segundo resultado negativo consecutivo, acumulando queda de 1,8% no ano.

PUBLICIDADE

Na comparação com fevereiro do ano anterior, contudo, a produção industrial cresceu 5,0%.

Atenção ainda para falas do presidente do Banco Central Roberto Campos Neto durante evento do Bradesco BBI nesta manhã em São Paulo.

Investidores buscam por pistas sobre até onde vai o ciclo de cortes da Selic, depois que o Comitê de Política Monetária (Copom) ajustou o forward guidance e tirou o plural do trecho que fala sobre reduções das taxas em 0,50 ponto percentual em reuniões futuras.

PUBLICIDADE

No exterior, os índices abriram em queda em Wall Street. Dados fortes da economia dos Estados Unidos têm aumentado a preocupação de que os cortes nas taxas possam ser menores do que o esperado.

O foco desta quarta-feira recai sobre o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, que na semana passada afirmou que o banco central americano está aguardando mais evidências de que a inflação está sob controle.

Um relatório mensal forte de emprego nos EUA nesta sexta-feira (5), somado a uma leitura robusta sobre a produção manufatureira poderia enfraquecer ainda mais as expectativas de flexibilização da política monetária.

O dia contará ainda com falas de outros membros do Fed, como Michelle Bowman, Michael Barr e Raphael Bostic.

-- Com informações da Bloomberg News

Mariana d'Ávila

Editora assistente na Bloomberg Línea. Jornalista brasileira formada pela Faculdade Cásper Líbero, especializada em investimentos e finanças pessoais e com passagem pela redação do InfoMoney.