Ibovespa fecha em alta puxado por Hapvida em dia de ata do Copom; Petrobras cai

Balanço da operadora de saúde superou as estimativas de analistas e impulsionou as ações; ata do Copom trouxe detalhes sobre a divergência entre diretores sobre o corte de juros

After Hours
14 de Maio, 2024 | 06:27 PM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) fechou em alta de 0,28%, aos 128.515 pontos, nesta terça-feira (14), em uma sessão influenciada pela divulgação de balanços, enquanto investidores reagiram à ata do Copom e ao sentimento de otimismo no exterior. O dólar (USDBRL) operava estável, com queda de 0,01% e era negociado a R$ 5,13 no fechamento.

O Banco Central divulgou pela manhã a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que cortou a taxa Selic em 0,25 ponto percentual, para 10,50% ao ano. O documento trouxe detalhes sobre o placar dividido da decisão, uma vez que quatro dos nove membros - todos indicados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva - votaram por um corte maior de 0,50 ponto, o que causou apreensão entre economistas e analistas.

Segundo o texto, o grupo dos quatro diretores - incluindo Gabriel Galípolo - avaliou que seria apropriado seguir o guidance do Copom como nas reuniões anteriores, mas reafirmando um compromisso com a meta de inflação e com uma taxa de juros mais elevada ao fim do ciclo de cortes de juros. Já o grupo que votou pelo corte de 0,25 ponto, incluindo o presidente Roberto Campos Neto, defendeu que o cenário esperado não se confirmou, ressaltando uma desancoragem adicional das expectativas de inflação.

Leia também: De Kapitalo a Legacy: multimercados ajustam posições após pior mês desde 2022

PUBLICIDADE

Em entrevista à Bloomberg News, o diretor de assuntos internacionais, Paulo Picchetti (um dos que votaram por um corte de 0,50 ponto), disse que o Banco Central está “100% comprometido” em trazer a inflação para o centro da meta, de 3%.

Para a equipe de pesquisa macroeconômica do Santander Brasil, a ata manteve o tom hawkish (a favor de um aperto monetário) do comunicado da semana passada, apesar das divergências.

“O comitê tentou explicar que a divergência na decisão atual foi pontual e, mais importante, tentou mostrar alguma unidade para o futuro, afirmando que todos concordam que as incertezas aumentaram e que uma política monetária mais restritiva é necessária para trazer a inflação/expectativas para a meta”, diz a equipe liderada por Ana Paula Vescovi, em relatório.

PUBLICIDADE

Entre as ações, os papéis da Hapvida (HAPV3) subiram 10,42% depois da divulgação do balanço da companhia na noite anterior. A operadora de saúde registrou lucro líquido de R$ 83,5 milhões no primeiro trimestre, revertendo o prejuízo de R$ 342,6 milhões no mesmo período do ano passado. O resultado superou a estimativa de analistas. A equipe do Itaú BBA ressaltou a melhora da margem Ebitda para 14,5% e a redução dos custos médicos maior do esperado.

Além da empresa, Itaú Unibanco (ITUB4) e Localiza (RENT3) também subiram e ficaram entre as maiores contribuições positivas para o Ibovespa. Embraer (EMBR3), CPFL (CPFE3), Pão de Açúcar (PCAR3) e Braskem (BRKM5) estiveram entre as maiores altas do dia.

Por outro lado, os investidores reagiram negativamente ao balanço da Petrobras (PETR3; PETR4), divulgado na segunda-feira. A empresa reportou uma queda de 37,9% do lucro líquido no primeiro trimestre em relação a igual período do ano passado, para R$ 23,7 bilhões. Segundo a estatal, o resultado se deve principalmente aos menores volumes de vendas e à redução do preço do petróleo e da margem de diesel.

Outras contribuições negativas para o dia foram Vale (VALE3), Natura&Co (NTCO3), IRB (IRBR3), CSN Mineração (CMIN3) e Alpargatas (ALP4).

Enquanto isso, nos Estados Unidos, um rali das ações de tecnologia impulsionou os índices de Nova York. Investidores reagiram de forma mista aos resultados da inflação ao produtor e ao discurso de Jerome Powell. O presidente do Federal Reserve disse que o banco central americano precisa ser paciente e deixar que os juros altos continuem a surtir efeito, dada a falta de progresso com a inflação nos últimos meses.

Os investidores agora se preparam para a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) de abril, esperado para esta quarta-feira, que deve dar novos sinais sobre a inflação nos EUA e os próximos passos da política monetária.

Os preços ao produtor nos EUA subiram mais do que o previsto em abril, sugerindo que as pressões inflacionárias estão levando mais tempo para diminuir.

PUBLICIDADE

O índice de preços ao produtor (PPI, na sigla em inglês) para a demanda final aumentou 0,5% em relação ao mês anterior, após uma queda revisada para baixo de 0,1% em março. Em comparação com o ano anterior, o IPP subiu 2,2%.

O núcleo do PPI, que exclui alimentos e energia, também aumentou 0,5% em relação ao mês anterior, após uma queda semelhante em março. A medida principal aumentou 2,4% na base anual.

- Com informações da Bloomberg News.