Ibovespa fecha em alta com impulso de Itaú e Bradesco enquanto NY cai; dólar sobe

Principal índice de ações da bolsa brasileira avançou para 127.593 pontos no pregão de hoje com avanço dos bancos; Soma e Arezzo fecham em queda após confirmação de fusão

After Hours
05 de Fevereiro, 2024 | 07:07 PM

Bloomberg Línea — O Ibovespa (IBOV) fechou em alta ao fim das negociações nesta segunda-feira (5), na contramão dos índices da Nasdaq, S&P 500 e Dow Jones, no exterior. O volume de negociações foi de R$ 1.098.281.000. O dólar, por sua vez, era negociado a R$ 4,98, com alta de 0,26% no encerramento do pregão da bolsa.

O principal índice da bolsa de valores brasileira subiu 0,32% aos 127.593 pontos, depois de oscilar entre perdas e ganhos durante o pregão. A alta foi impulsionada principalmente pelos papeis dos bancos, como Itaú Unibanco (ITUB4) e Bradesco (BBDC4), que divulgam balanços trimestrais nesta semana.

Nesta segunda, o BTG Pactual (BPAC11) reportou pela manhã um lucro líquido ajustado de R$ 10,4 bilhões e receitas totais de R$ 21,6 bilhões em 2023, resultados recordes e 25% maiores em relação ao ano anterior. A rentabilidade medida pelo ROAE (retorno ajustado sobre o patrimônio líquido) atingiu 22,7%. O papeis do banco, assim como os do Santander Brasil (SANB11) fecharam em alta.

Entre as ações de maior peso no Ibovespa, a Petrobras (PETR3; PETR4) também fechou em alta, com os papéis preferenciais avançando 0,44%. Já a Vale (VALE3) caiu 0,86%, o que evitou um ganho maior do índice.

PUBLICIDADE
LEIA +
Unigel prepara pedido de recuperação judicial após impasse com credores, dizem fontes

No campo corporativo, a Arezzo (ARZZ3) e o Grupo Soma (SOMA3) anunciaram nesta segunda que chegaram a um acordo para realizar uma fusão dos grupos varejistas de moda, em um negócio que pode criar uma companhia com cerca de R$ 12 bilhões em receitas e um portfólio total de 34 marcas. Em valor de mercado, as empresas somadas valiam cerca de R$ 13 bilhões no fechamento de sexta-feira (2).

A empresa combinada será detida em 54% pelos investidores da Arezzo e 46% pelo Grupo Soma, desconsiderando as ações atualmente em tesouraria, de acordo com fato relevante divulgado nesta manhã.

A governança da nova companhia será comandada de maneira conjunta. O CEO da Arezzo, Alexandre Birman, continuará à frente da nova empresa, e Roberto Luiz Jatahy Gonçalves será o CEO da unidade de vestuário feminino. Já Rony Meisler permanecerá como CEO da unidade AR&Co e o Thiago Hering continuará como CEO da Hering.

PUBLICIDADE

As ações da Arezzo fecharam em queda de 5,49%, cotadas a R$ 59,35, enquanto os papéis do Grupo Soma recuaram 6,74%, negociados a R$ 7,19, após forte valorização na semana passada, quando o negócio foi divulgado inicialmente pela imprensa.

Exterior

Nos Estados Unidos, os investidores de Wall Street fizeram os valores de títulos e de ações caírem, depois que dados mostraram uma economia mais aquecida e reforçaram a visão de que o Federal Reserve ainda não está pronto para declarar vitória sobre a inflação.

Os títulos do Tesouro sofreram pressão com especulações de que o otimismo em relação à desinflação pode ter ido longe demais. Em outro sinal de que a maior economia do mundo permanece sólida, o índice de serviços do Institute for Supply Management (ISM) atingiu o patamar mais alto em quatro meses, enquanto os preços subiram. A notícia abalou as negociações em um dia em que os investidores já estavam digerindo opiniões cautelosas de alguns membros do Fed, incluindo Jerome Powell.

O “golpe duplo” impediu que os participantes do mercado atingissem mais ganhos, de acordo com Jose Torres na Interactive Brokers. O estrategista Marko Kolanovic, do JPMorgan Chase, afirmou que “na ausência de um choque material, acreditamos que o alívio deste ano será mais moderado do que os mercados precificaram”.

Os rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA de 10 anos subiram 14 pontos-base para 4,16% ao ano, e os dos títulos de dois anos se aproximaram de 4,5%. As apostas de investidores praticamente eliminaram as chances de um movimento nas taxas em março, e as chances de um corte em maio também foram reduzidas.

O dólar atingiu sua maior alta desde novembro. O S&P 500 caiu de uma alta recorde, mas se recuperou bem das mínimas da sessão, com a Nvidia (NVDA) liderando os ganhos entre as fabricantes de chips.

Com o S&P 500 saindo de seu melhor desempenho em quase quatro décadas, o caminho fica mais difícil para os investidores ao virar para fevereiro. É o terceiro pior início de mês para o índice nos últimos 30 anos, atrás de setembro e agosto, segundo dados compilados pela Bloomberg.

PUBLICIDADE

Os papéis de maior valorização do Ibovespa foram:

Já os de pior desempenho foram:

  • Arezzo Industria e Comercio SA (ARZZ3) com -5,49%
  • Azul (AZUL4) com -5,97%
  • Cogna Educacao SA (COGN3) com -6,34%

As ações mais negociadas foram:

  • Magazine Luiza (MGLU3) com R$ 128.676.900.
  • Cogna Educacao SA (COGN3) com R$ 80.879.700.
  • Hapvida (HAPV3) com R$ 52.484.000.

No ano, o Ibovespa acumula queda de 4,91% até o pregão de hoje.

PUBLICIDADE

- Com informações da Bloomberg News e colaboração de Sérgio Ripardo e Mariana D’Ávila. Conteúdo elaborado com auxílio de dados automatizados da Bloomberg.

Leia também

Fusão entre Arezzo e Soma vai gerar receita adicional a partir de 2025, diz Birman

Blackstone considera fazer oferta pela L’Occitane, dizem fontes

Isabela  Fleischmann

Jornalista brasileira especializada na cobertura de tecnologia, inovação e startups