Cinco coisas que você precisa saber para começar esta terça-feira

Investidores reagem à ata do Copom e ao relatório Focus, ao mesmo tempo em que ficam de olho na Europa e na China

Bolsa de Xangai
06 de Fevereiro, 2024 | 08:57 AM

Bloomberg Línea — Os investidores reagem nesta terça-feira (6) à ata do Comitê de Política Monetária (Copom), que indicou que os próximos cortes na Selic devem continuar de 0,50 ponto percentual.

O Banco Central (BC) também divulgou hoje o relatório Focus — atrasado por conta de uma mobilização de servidores —, que não apresentou alterações.

Na Europa, as expectativas de inflação do consumidor em dezembro ofereceram sinais mistos, de acordo com o Banco Central Europeu (BCE), que também ampliou sua pesquisa mensal quase dobrando o número de países que analisa.

LEIA +
Copom: ata reitera cautela com exterior volátil e dinâmica inflacionária local

A expectativa é de que os preços subam 3,2% nos próximos 12 meses — o menor nível desde fevereiro de 2022 e abaixo dos 3,5% registrados em novembro, disse o BCE na terça-feira. Mas para daqui a três anos, espera-se um avanço de 2,5% — acima dos 2,4% anteriores.

PUBLICIDADE

Na China, as ações ampliaram a recuperação após a Bloomberg News relatar que reguladores liderados pela Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China planejam atualizar a liderança sobre as condições do mercado e as últimas iniciativas políticas.

Confira a seguir cinco destaques desta terça-feira (6):

1. Focus

O relatório Focus, do Banco Central, foi divulgado novamente com atraso nesta terça-feira, por conta da operação-padrão dos seus servidores.

PUBLICIDADE

Não houve mudanças nas projeções para esta semana. Os economistas consultados pelo BC seguem estimando inflação de 3,81% e crescimento de 1,60% do PIB em 2024. Para o câmbio, a estimativa é de R$ 4,92% em dezembro, enquanto para a Selic, é esperada taxa de 9,00% ao fim do ano.

2. Ata do Copom

A ata do Copom, divulgada hoje, afirma que “houve um progresso desinflacionário relevante, em linha com o antecipado pelo Comitê, mas ainda há um caminho longo a percorrer para a ancoragem das expectativas e o retorno da inflação à meta, o que exige serenidade e moderação na condução da política monetária”.

Neste contexto, a expectativa é de novos cortes de 0,50 ponto percentual nas próximas reuniões do Copom.

Para os membros do Comitê, esse é o “ritmo apropriado” para “manter a política monetária contracionista necessária para o processo desinflacionário”.

3. Mercados

As ações europeias avançam, impulsionadas pelos fortes resultados da BP, enquanto os mercados globais de títulos se estabilizaram após o maior selloff de dois dias em meses.

As ações da BP subiram quase 7% após a gigante do petróleo anunciar planos para recomprar US$ 3,5 bilhões em ações no primeiro semestre. Isso compensou as quedas para o UBS (UBS), que registrou resultados que decepcionaram os analistas.

Os futuros de ações dos EUA operavam próximos da estabilidade por volta das 8h50 (horário de Brasília). Os títulos do Tesouro de 10 anos americanos caíram um ponto base para 4,15% depois que os rendimentos dispararam cerca de 28 pontos base nas duas sessões anteriores. O dólar recuou pela primeira vez em três dias.

PUBLICIDADE

Alguns dos maiores movimentos de mercado nesta terça-feira ocorreram na Ásia, onde as ações chinesas dispararam com a especulação de que as autoridades estão planejando esforços mais incisivos para acabar com a derrocada dos papéis.

Os reguladores planejam informar o presidente Xi Jinping sobre o mercado já nesta terça-feira. O Índice de Empresas da China Hang Seng subiu quase 5%, enquanto um índice mais amplo de ações de mercados emergentes caminha para o maior avanço deste ano.

4. Manchetes dos principais jornais

Estado de S. Paulo: Supersafra derruba valorização das terras agrícolas em 2023, depois de um ciclo de alta

Folha de S. Paulo: Sucessão de Lira na presidência da Câmara passa por cargos na Caixa e caravana no Carnaval

PUBLICIDADE

O Globo: Lira faz discurso mais duro que nos anos Bolsonaro e dá novo tom para volta do Congresso

Valor Econômico: Aumento da receita de exportação brasileira se deve a um fator: saiba qual

5. Agenda

Brasil:

  • 9h: IGP-DI

Estados Unidos:

  • 10h55: Índice Redbook
  • 12h: Índice IBD/TIPP de Otimismo Econômico
  • 14h: Perspectiva Energética de Curto Prazo da EIA
  • 14h: Discurso de Mester, membro do FOMC
  • 15h: Leilão Americano Note a 3 anos
  • 15h: Discurso de Kashkari, membro do FOMC
  • 18h30: Estoques de Petróleo Bruto Semanal API

-- Com informações da Bloomberg News.

Leia também:

PUBLICIDADE

Como ficam as ‘juniors oils’ com a suspensão da venda de ativos pela Petrobras

Unigel prepara pedido de recuperação judicial após impasse com credores, dizem fontes

Tamires Vitorio

Jornalista formada pela FAPCOM, com experiência em mercados, economia, negócios e tecnologia. Foi repórter da EXAME e CNN e editora no Money Times.